Uso excessivo de tecnologia na infância pode prejudicar a visão

Menino mexendo no tablet deitado no sofá

Nascidos no século 21, nossas crianças e adolescentes simplesmente desconhecem o que seja um mundo sem tecnologia. Afinal, nasceram em plena efervescência da cultura digital e, por isso, sentem dificuldades em separar o mundo real do virtual.
As interações com os amigos, o lazer, a leitura, alguns trabalhos escolares e demais atividades que compõem a rotina das crianças e adolescentes acontecem por meio dos dispositivos eletrônicos.
Se por um lado, nascer em um mundo tão digital praticamente acaba com as dificuldades que muitas pessoas enfrentam ao lidar com a tecnologia, por outro, os problemas decorrentes do seu uso excessivo não param de crescer.
Infelizmente, a emissão da luz azul artificial pelos dispositivos eletrônicos é apontada pelos especialistas como prejudicial à saúde. Há associação entre o uso de eletrônicos e o aumento da incidência de miopia, por exemplo.
Diferentemente da luz azul natural emitida pelo sol, que pode ser benéfica em quantidades moderadas, a exposição à luz artificial, especialmente no período noturno, pode prejudicar o relógio biológico, causando insônia, depressão e sobrepeso, o que contribui para diminuir a qualidade de vida.
Felizmente, há medidas que possibilitam um melhor uso dos aparelhos e evitam o acúmulo dos efeitos nocivos, especialmente durante a infância, época crucial no desenvolvimento dos olhos. Por isso, listamos seis fatos sobre o uso de eletrônicos e a visão das crianças. Confira!

O que os especialistas dizem sobre o uso excessivo de tecnologia na infância?

O aumento dos casos de fadiga ocular e miopia entre crianças e adolescentes é motivo de preocupação entre os especialistas. De acordo com estudo publicado pela American Academy of Ophthalmology, a maioria das pessoas que utilizam os computadores, sejam adultos ou crianças, desenvolvem fadiga ocular.
Por sua vez, o aumento da incidência da miopia está ligado ao uso constante da visão para atividades próximas, tanto usando eletrônicos quanto livros e outros impressos. Investir em atividades ao ar livre pode desacelerar a progressão da miopia, em especial durante a primeira infância.

Quais são os principais sintomas?

Crianças que passam duas horas ou mais em frente às telas por dia podem apresentar pelo menos um dos seguintes sintomas:

  • dores de cabeça;
  • dores na região do pescoço e/ou das costas;
  • problemas ergonômicos;
  • dificuldade de concentração;
  • fadiga ocular;
  • ressecamento e/ou irritação nos olhos;
  • visão dupla ou embaçada;
  • irritabilidade;
  • insônia;
  • problemas de comportamento.

Consequentemente, tais problemas podem causar queda do rendimento escolar e dificuldades de socialização.

Filtre a luz azul!

Sim, é possível utilizar a tecnologia a favor dos olhos. Há aplicativos que reduzem a intensidade do brilho das telas no período noturno e minimizam os prejuízos à qualidade do sono, além de outros filtros de luz azul e protetores de tela disponíveis no mercado.
Existem também óculos com lentes que filtram a luz azul emitida pelos aparelhos. Consulte um especialista para avaliar qual é a melhor opção para o seu caso. É válido lembrar: crianças e adolescentes devem visitar o oftalmologista regularmente.

Invista no conforto

A claridade das telas não deve provocar desconforto visual. Se isso estiver acontecendo, ajustes devem ser realizados. Evite usar telas muito brilhantes em locais mais escuros.
Os cuidados também valem para a ergonomia: a boa postura deve ser mantida durante o uso de aparelhos, sem sobrecarregar nenhuma parte do corpo. Mantenha uma distância de, pelo menos, 25 cm entre a tela e os olhos. Evite o grude!

Quais são os efeitos a longo prazo da exposição aos eletrônicos?

A exposição excessiva às telas é um problema recente. Portanto, seus efeitos a longo prazo ainda estão sendo estudados. Sabe-se que a luz azul artificial emitida pelos eletrônicos é prejudicial aos olhos e seus efeitos, a longo prazo, são cumulativos.
Acredita-se que, no futuro, pessoas que se expõe excessivamente aos eletrônicos têm mais chances de desenvolver Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI), mal que pode levar à cegueira, e outras doenças oculares relacionadas ao envelhecimento.

Adote medidas simples e eficazes para preservar a visão

Felizmente, é possível minimizar os malefícios causados pelo uso de eletrônicos. Há medidas simples como:

  • Fazer intervalos regulares durante o uso de eletrônicos: recomenda-se olhar 20 segundos para a janela a cada 20 minutos em frente às telas, por exemplo – o que pode acontecer entre um vídeo e outro ou entre uma fase e outra de um game.
  • Preferir a leitura em revistas e livros impressos (ou ao menos fazer uma alternância entre o impresso e o digital).
  • Suspender o uso de eletrônicos duas horas antes de dormir.

Lembre-se: existe (muita) vida e descobertas além dos eletrônicos. Aproveite!

E aí, gostou do texto? Para ler mais conteúdos como este, fique de olho em nosso Blog e siga nossos perfis nas redes sociais (Facebook e Instagram)! Estamos te esperando.

Deixar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *