Métodos contraceptivos: tudo que você precisa saber sobre eles parte 4

Mulher segurando dois tipos de métodos contraceptivos, uma camisinhas e pílulas
1 2 3 4 5

Continuação

Métodos não-hormonais

1. DIU de cobre

É um método não hormonal medicado com cobre e de uso intrauterino, ou seja, será colocado dentro do útero. Existem vários tipos:

  • T de cobre (clássico ou 380A): duração de 10 anos e é disponibilizado pelo SUS.
  • Multiload 375: é menor e apresenta menor duração (5 anos).
  • Associação de DIU de cobre com prata – duração de 5 anos.

Como funciona:

DIU de Cobre
O cobre promoverá uma reação inflamatória (atenção: isso não quer dizer que haverá infecção) no endométrio, tornando-o hostil à presença do espermatozoide e ao embrião.

Taxa de falha: em torno de 0,6 a 0,8% ao ano. O multiload apresenta uma falha de aproximadamente 1%.
Proteção contra Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST): NÃO!
Vantagens:

  • é um método de longa duração, com troca a cada 5 ou 10 anos (a depender do tipo), podendo ser retirado a qualquer momento;
  • tem alta eficácia e um custo-benefício excelente;
  • pode reduzir a taxa de incidência de câncer de colo do útero em aproximadamente 40%.

Desvantagens:

  • pode aumentar as cólicas e sangramento no período menstrual, mas essa resposta é bem individual.
  • uma complicação da inserção é a perfuração uterina. No entanto, essa taxa é baixa (em torno de 0,01 a 0,03%);
  • a taxa de expulsão está em torno de 5%.

Observações:

  • o que determina o sangramento e cólica no período menstrual é a superfície de cobre que o DIU tem, ou seja, quanto maior ela for, maiores serão as chances de ter dor e sangramento aumentado na menstruação.
  • A associação de prata serve para estabilizar esse cobre e evitar a corrosão que pode ocorrer (evento muito raro!).
  • Infelizmente, até o presente momento, não há estudos que sustentam a afirmação de que a associação de Diu de Cobre com Prata evolua com menor sangramento e menos cólicas.

Como utilizar:

  • deve ser inserido por um médico. Pode ser colocado em qualquer dia do ciclo, desde que se tenha uma certeza razoável de que não haja gravidez;
  • no pós-parto, pode ser inserido imediatamente ao nascimento do bebê (após a saída da placenta), ou após 40 dias deste.
  • para conferir se ele está no lugar certinho, você mesma pode fazer um toque vaginal e sentir se o fio do DIU é palpável (até que se prove o contrário, fio do DIU visível/palpável significa que o mesmo está no lugar certinho) ou então realizar um ultrassom com esse intuito.
1 2 3 4 5

Ginecologia

Médica, especializada em Ginecologia e Obstetrícia. Membro do corpo clínico Hospital Vila da Serra, Hospital Mater Dei e Maternidade Neocenter.

Deixar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *