Cachorro brincando com obstáculo em forma de túnel

Camilli Chamone

Enriquecimento ambiental é um conjunto de estratégias utilizadas para melhorar o bem-estar e a qualidade de vida do animal. Afinal, ele não vive em seu ambiente natural considerando a sua biologia, o seu repertório de comportamentos naturais e a sua história.

Embora nos pareça sofrida a ideia de que os animais, em ambiente selvagem, precisam se esforçar para sobreviver (procurar abrigo, caçar comida, fugir de predadores, disputar parceiro sexual etc), esses comportamentos são inerentes às espécies e os acompanham durante todo o seu processo evolutivo.

Ao serem privados desses estímulos físicos e mentais, os animais ficam com seu bem-estar comprometido e começam a apresentar sintomas decorrentes de níveis elevados de estresse como:

  • imunodepressão;
  • ansiedade;
  • hiperatividade;
  • depressão;
  • agressividade;
  • estereotipias comportamentais;
  • transtornos compulsivos;
  • etc.

Em um zoológico, o enriquecimento ambiental pode envolver o planejamento do local onde ele vive, considerando a inclusão de árvores, lagos, brinquedos e outros estímulos.

O alimento pode ser oferecido de maneira alternativa, de forma a desafiar o animal a “caça-lo”. Existem muitas opções criativas que objetivam levar aos animais experiências semelhantes às que teriam em ambiente selvagem.

Cães e gatos domésticos também são animais de cativeiro

Em suas casas, ficam privados de comportamentos naturais de suas espécies como explorar e caçar. Muitos deles passam horas sozinhos, completamente entediados, esperando que seus tutores voltem para casa.

Como não lhe são oferecidas situações alternativas para que eles expressem seus comportamentos naturais, eles procurarão manifestá-las da forma que podem, ou seja: roendo móveis, cavando o sofá, fazendo buracos no jardim, revirando a lata de lixo.

Uma casa grande, um quintal espaçoso e muitos brinquedos não impedem o tédio porque os animais precisa ser estimulados a explorar o ambiente onde vivem – que muitas vezes se torna sem graça, óbvio e entediante para eles.

O enriquecimento ambiental é uma forma de estimular experiências sociais, mentais e físicas que resultam em mais saúde e bem estar. É uma medida preventiva contra o estresse crônico e proporciona aos pets uma forma de canalizar a sua energia, evitando transtornos na saúde física e mental.

Enriquecer o ambiente é tão importante quanto uma alimentação apropriada e cuidados veterinários preventivos.

Para fazer um bom enriquecimento ambiental, basta motivação e criatividade! Existem milhares de opções comerciais e feitas em casa. Muitas delas serão, inclusive, abordadas neste post.

Ao planejar uma atividade, ou utilizar um brinquedo, deve-se pensar em alcançar um ou mais dos seguintes objetivos:

  • desafio: atividades que envolvam solução de problemas ou treinamento de uma nova habilidade;
  • escolha: promover escolhas que empoderam o animal e aumentem sua confiança em si mesmo. Ter um local onde ele possa se esconder quando tiver vontade, respeitar preferências alimentares ou seguir o caminho que ele escolhe durante o passeio são formas de lhe dar o mínimo de autonomia;
  • novidade: oferecer tipos diferentes de enriquecimento a cada dia e fazer um rodízio dos brinquedos;
  • controle: o animal deve ter a oportunidade de controlar alguns aspectos da sua vida e do ambiente onde vive. São pequenas chances, mas que fazem a diferença no bem-estar dele! São alguns exemplos: escolher onde quer dormir, escolher onde quer tomar sol, escolher descansar etc.

Objetivos do enriquecimento ambiental:

  • permitir que os animais manifestem comportamentos naturais da espécie;
  • permitir que eles tenham algum nível de controle sobre as suas vidas;
  • reduzir estresse, tédio e frustração ao oferecer novas atividades;
  • permitir escolhas;
  • estimular a atividade física;
  • oferecer desafios mentais.

Adaptado de: http://www.beyondsqueakytoys.com/

Tipos de enriquecimento ambiental

Existem cinco categorias de enriquecimento ambiental. Porém, a maioria das atividades envolve mais de um tipo de estímulo. Vamos ver quais são elas?

1. Enriquecimento social

Promover a interação regular dos cães e gatos domésticos com outras pessoas e animais é essencial. Durante esses contatos eles precisam observar, adaptar-se, resolver problemas e aprender a se acalmar.

É importante diferenciar o enriquecimento social de socialização. O primeiro atende a necessidade dos cães de terem contato com outros animais e com os humanos.

A socialização é um processo onde o cão, filhote ou adulto, é exposto a um novo ambiente, outros animais e pessoas. Cães e gatos bem socializados se sentem mais seguros, confiantes e são menos agressivos.

Ao introduzir as experiências sociais é importante respeitar a reação do animal e o tempo necessário para que ele se acalme e se interesse em participar. As experiências precisam ser positivas e seguras para que o resultado seja alcançado.

Para os gatos, o contato com animais de fora do seu ambiente é geralmente muito estressante e traz um risco de transmissão de alguns patógenos como o FELV.

Recomendamos que o gatinho tenha um ou mais companheiros em sua casa, mas não interaja com felinos desconhecidos. Interações com o cão da casa, se ele for socializado, é uma forma de enriquecimento ambiental social.

O enriquecimento ambiental social mais importante de todos é o relacionamento positivo e afetivo que o tutor tem com o seu pet!

2. Enriquecimento cognitivo

O enriquecimento cognitivo proporciona oportunidades de raciocínio e solução de problemas. O treinamento de novas habilidades com reforço positivo é uma das opções e tem o benefício adicional de melhorar a relação entre pet e tutor.

Na hora das refeições, usar estratégias de desafio como espalhar a comida pela casa e utilizar tabuleiros quebra-cabeça são ótimo estímulo mental e simulam a busca pelo alimento na natureza.

Treinos de comunicação, como “vem”, “fica”, “senta” etc também são formas de estimular cognitivamente o pet.

3. Enriquecimento físico

Um ambiente doméstico mais complexo estimula mentalmente e fisicamente os animais. Existem várias opções de mobília e acessórios específicos para enriquecer a casa e o quintal.

Oferecer brinquedos é o jeito mais clássico de enriquecimento físico. Porém, a rotatividade é importante para que o animal se interesse pela “novidade”.

4. Enriquecimento sensorial

O enriquecimento sensorial estimula os sentidos: visão, olfato, paladar, audição e tato. Ouvir música, experimentar alimentos diferentes, preparações variadas e novas texturas, pisar na grama, na terra ou no asfalto são alguns exemplos de estímulos sensoriais.

5. Enriquecimento alimentar

As refeições podem ser momentos de desafio e diversão. Oferecer o alimento, de forma “gratuita” e não estimulante, em um bowl, é perder uma oportunidade incrível de proporcionar estímulos físicos e mentais!

Existem várias formas de utilizar a alimentação para enriquecimento como: servi-la em tabuleiros “quebra-cabeça”, congelada dentro de ossos e chifres, esconder o alimento pela casa e muitas outras.

As outras categorias de enriquecimento muitas vezes utilizam petiscos nas atividades, como recompensa ao cão.

O segredo do sucesso no enriquecimento ambiental é considerar a individualidade do animal! Entender o que funciona para ele saber do que gosta e variar os estímulos. Novos brinquedos e atividades são sempre mais interessantes que aqueles vistos diariamente. Além disso, nenhum brinquedo substitui atividades que incluam a interação do animal com o tutor.

Gostou do texto? Para ler mais conteúdos como esse, fique de olho em nosso Blog e siga nossos perfis nas redes sociais (Facebook e Instagram)!