Variedade de alimentos prebióticos, banana verde crua, aspargos, cebolas, alho, alho-poró, frutas vermelhas, feijões verdes para saúde intestinal e uma boa microbiota

Dra. Amanda Souza

Você com certeza já ouviu falar que o intestino é o nosso segundo cérebro. Isso acontece porque as bactérias que o colonizam, também conhecidas como flora ou microbiota intestinal, têm influência direta sobre várias funções diferentes do nosso organismo (incluindo as metabólicas e imunológicas).

Para se ter ideia, um desequilíbrio nessa colônia pode levar a problemas como diabetes, síndrome metabólica, síndrome do intestino irritável, doenças cardiovasculares e até mesmo câncer. Isso sem falar no eixo cérebro-intestino, que é a prova de que esses dois órgãos trocam informações e comandos sobre nosso corpo constantemente.

Sendo assim, não é de se espantar que, para mantermos uma boa saúde, é preciso fortalecer essa microbiota para que nossa barreira intestinal funcione corretamente e, assim, evite a passagem de agentes nocivos ao organismo.

Continue conosco para saber o que fazer para manter uma boa saúde intestinal.

O que você precisa saber sobre o intestino e sua microbiota?

Nosso intestino possui uma parede formada por várias células epiteliais que, juntas, formam uma barreira. O objetivo destas é avaliar tudo que vem do meio externo e decidir o que entra, ou não, em nosso organismo.

Os microrganismos (incluindo bactérias, fungos, vírus e protozoários) que, então, passam a viver no intestino, formam a nossa microbiota. Suas funções incluem:

  • nutrição: produz várias vitaminas essenciais para o organismo.
  • digestão: a microbiota é capaz de extrair alguns nutrientes de alimentos que o organismo não consegue digerir (como as fibras insolúveis, por exemplo) e transformá-los em energia;
  • metabolismo: os microrganismos que compõem essa colônia fermentam as fibras alimentares e, a partir desse processo, produzem ácidos graxos de cadeia curta, regulando o metabolismo de várias coisas como glicose, gordura etc;
  • proteção: principalmente contra o câncer de cólon. Protege nosso organismo, também, de potenciais alérgenos como o pólen, por exemplo, e de patógenos capazes de causar uma série de doenças;
  • imunidade: a microbiota intestinal participa, também, da modulação do nosso sistema imunológico.

Como manter a microbiota intestinal saudável?

Favorecendo e fortalecendo os microrganismos “do bem”, ou seja, que exercem todas as funções acima.

A grande questão é que, como pudemos ver, nossa microbiota intestinal, assim como tudo no corpo, sofre a influência de vários fatores. E sim, estamos falando desde os genéticos até os externos e comportamentais, como a exposição a toxina e alérgenos, dietas, doenças, medicamentos, estresse e por aí vai.

Atenção: Paciente que, por indicação médica, fizeram ou estão fazendo uso de antibióticos, devem redobrar os cuidados com a saúde intestinal!

A boa notícia é que, acredite, não é necessário muito esforço para manter a microbiota forte e saudável. É só introduzir à dieta os famosos pre e probióticos.

O que são probióticos e prebióticos?

Os probióticos são bactérias vivas encontradas em alguns alimentos que, juntas, fornecem inúmeros benefícios à saúde intestinal. São alguns deles: melhor digestão, absorção mais eficiente de nutrientes e fortalecimento do nosso sistema imunológico.

os prebióticos são alimentos (principalmente fibras) que os humanos não conseguem digerir e, portanto, servem de substrato para as bactérias benéficas ao nosso intestino.

Ao consumirem essas fibras prebióticas, as bactérias produzem uma série de ácidos graxos de cadeia curta que, como já explicamos, são essenciais para o nosso metabolismo. São alguns exemplos o acetato (metaboliza gordura e controla o apetite), o propionato (regula a glicose) e o butirato (tem ação anti-inflamatória e reduz os riscos de câncer de cólon).

São exemplos de alimentos probióticos:

  • iogurte (leite fermentado);
  • kefir (obtido a partir da fermentação de leite, água adoçada ou água de coco);
  • kombucha (bebida feita a partir da fermentação do açúcar do chá preto);
  • chucrute (conserva de repolho fermentado em água e sal).

São exemplos de alimentos prebióticos:

  • alho;
  • alho-poró;
  • aspargos;
  • batata doce;
  • brócolis;
  • cebola;
  • chicória;
  • couve;
  • ervilha;
  • espinafre;
  • grão de bico;
  • lentilha;
  • soja;
  • abacate;
  • banana verde;
  • frutas vermelhas;
  • maçã;
  • mel;
  • aveia;
  • centeio;
  • cevada;
  • farelo de trigo;
  • farinha de coco;
  • linhaça;
  • semente de abóbora;
  • quinoa.

Enfim…

É claro que manter a saúde intestinal vai muito além do que apenas alimentar nossa microbiota intestinal com probióticos e prebióticos. Aliás, caso você queira saber tudo sobre esse órgão e como mantê-lo saudável, é só clicar aqui.

No mais, vale ressaltar o quanto é importante fortalecer as culturas que existem em nosso intestino para que elas, juntas, garantam o bom funcionamento do organismo e tragam a ele tudo o que há de melhor. Para isso, basta adicionar os alimentos que citamos acima em sua dieta e pronto: já temos meio caminho andado.

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.