Moça com o rosto rosa se olhando preocupada no espelho

Dr. Fábio Gontijo

A Rosácea é uma doença vascular crônica que afeta principalmente mulheres entre 30 e 50 anos de idade. Ela pode se apresentar de várias formas, mas geralmente aparece como um rubor ou vermelhidão nas bochechas, nariz, queixo ou testa.

As causas da rosácea não são conhecidas, mas há uma influência de fatores genéticos e psicológicos (estresse).

Tipos de Rosácea

Existem, atualmente, cinco tipos de Rosácea. São eles:

  • Rosácea eritêmato-telangiectásica: seus principais sintomas são rubor facial e vermelhidão, mas podem ocorrer inchaço, ardor, ardência, aspereza e vasos sanguíneos mais visíveis.
  • Rosácea pápulo-pustulosa: é marcada por vermelhidão persistente e pequenas lesões avermelhadas semelhantes a espinhas (pápulas).
  • Rosácea fimatosa: tipo mais raro da doença que afeta as glândulas sebáceas e o tecido conjuntivo do paciente. Comum no nariz, ela faz com que a pele fique espessa e os poros dilatados. É mais comum em homens.
  • Rosácea ocular: além da pele, a rosácea pode afetar as pálpebras, causando inflamação (blefarite), vermelhidão, ardor ou sensação de areia nos olhos, secura, sensibilidade à luz, visão turva e lacrimejamento.

Fatores que desencadeiam a rosácea

Embora a causa da rosácea seja desconhecida, ela pode ser desencadeada por alguns fatores:

  • ingestão de alimentos e bebidas quentes (ou frias);
  • consumo de álcool (principalmente o vinho tinto);
  • uso de produtos, molhos ou temperos picantes;
  • exposição ao sol e ambientes quentes (banhos, saunas etc);
  • fatores emocionais;
  • exercícios físicos intensos;
  • uso de corticosteroides e vasodilatadores.

São outros possíveis fatores de risco para essa condição:

  • histórico familiar prévio de rosácea na família;
  • problemas nos vasos sanguíneos do rosto;
  • sensibilidade a ácaros e alguns tipos de bactérias;
  • ter pele clara, cabelos loiros e olhos azuis;
  • ter entre 30 e 50 anos;
  • ser mulher;
  • sofrer de acne grave.

Sinais e sintomas

O quadro da Rosácea podem variar de pessoa para pessoa, porém existem alguns sintomas bastante comuns e recorrentes entre os pacientes que sofrem desse distúrbio. São eles:

1. Vermelhidão facial persistente

A vermelhidão no rosto é o sinal mais comum de rosácea. Ela pode vir acompanhada de uma sensação de calor ou queimação.

2. Espessamento da pele

A pele costuma ficar espessa, principalmente na região do nariz. De todos, este é o sintoma menos comum, porém, merece atenção redobrada. Afinal, em casos mais graves, ele pode levar até à desfiguração facial.

3. Pápulas

Pequenas saliências vermelhas (pápulas) podem se desenvolver devido à Rosácea. Elas podem ser acompanhadas de ardor e pontadas no local.

4. Vasos sanguíneos visíveis

Em muitas pessoas com Rosácea, os pequenos vasos sanguíneos da face se tornam visíveis, principalmente nas bochechas e nariz.

5. Irritação ocular

Os olhos podem ficar irritados, lacrimejantes e/ou vermelhos. As margens das pálpebras também costumam apresentar inchaço, vermelhidão, acúmulo de crostas e inflamação.

6. Inchaço

O inchaço facial, também conhecido como edema, pode acompanhar outros sinais de rosácea, ou ocorrer de forma independente. Além disso, dependendo da gravidade do quadro, manchas vermelhas elevadas (placas) também podem acabar se desenvolvendo.

7. Secura

A pele da face (principalmente na região central) pode ficar áspera e parecer escamosa, apesar de alguns pacientes reclamarem de pele oleosa.

Complicações

Com o tempo, as glândulas sebáceas do nariz e, algumas vezes, as bochechas, aumentam, resultando em um acúmulo de tecido no nariz e ao redor dela. Essa condição é conhecida como rinofima.

Essa complicação é muito mais comum em homens e se desenvolve lentamente ao longo de anos.

Diagnóstico

O dermatologista pode diagnosticar facilmente a rosácea por meio de um exame físico da sua pele, sem mistérios nem complicações, e com base em seus sintomas e queixas.

Tratamentos

A Rosácea, infelizmente, não tem cura. Porém, pode ser controlada com a ajuda de um médico especialista e tratamentos apropriados.

1. Medicamentos tópicos

  • Metronidazol: tem efeitos anti-inflamatórios e antimicrobianos, e é o medicamento mais utilizado no tratamento da Rosácea. Pode ser usado a longo prazo e está disponível em forma de gel, creme ou loção. Consulte o dermatologista para saber qual é a melhor opção para o seu caso.
  • Ácido Azelaico: é um ácido dicarboxílico de atividade antibacteriana. É tão eficaz quanto o metronidazol. Porém, é preciso tomar cuidado porque pode desencadear intolerância em alguns pacientes.
  • Tartarato de Brimonidina: usado uma vez por dia como um creme, o tartarato de brimonidina pode reduzir a vermelhidão associada à rosácea ao provocar a contração dos vasos sanguíneos.
  • Ivermectina: utilizada em alguns casos indicados.
  • Creme de tretinoína: este agente tópico pode ser prescrito para a rosácea leve. Pode irritar a pele e deve ser usado com cuidado.
  • Sulfacetamida de sódio-enxofre: utilizada ​​ocasionalmente para tratar vermelhidão e inflamação.

2. Medicamentos via oral

  • Antibióticos: a Rosácea é frequentemente tratada com antibióticos, seja em uma formulação tópica, ou tomados por via oral.
  • Isotretinoína: pode ser prescrito se a rosácea for grave, ou se seus sintomas não responderem aos antibióticos.

3. Terapias a Laser e Cirurgias

  • Laser: o tratamento via laser envolve usa energia luminosa para tratar vasos sanguíneos vermelhos visíveis e vermelhidão que não respondem às opções já citadas.
  • Cirurgia: a cirurgia pode ser utilizada para reduzir o crescimento excessivo de tecido.
  • Dermoabrasão: torna a superfície da pele mais plana e suave, combatendo manchas e até mesmo removendo tatuagens.
  • Cauterização: uma corrente elétrica é enviada aos vasos sanguíneos danificados para fechá-los.

E aí, gostou do texto? Para ler mais conteúdos como este, fique de olho em nosso Blog e siga nossos perfis nas redes sociais (Facebook e Instagram)! Estamos te esperando.