Respirar pela boca faz mal?

Homem dormindo e respirando pela boca

A respiração é uma das funções mais vitais do corpo. Para se ter ideia, a cada inspiração e expiração, podemos trazer consequências positivas ou negativas à nossa saúde. Tudo depende, claro, de como ambas são realizadas.

A grande questão é que, por ser um ato tão natural, a maioria das pessoas não pensa como, ou com que frequência respiram e, principalmente, se estão fazendo isso da forma certa.

Durante a respiração normal, o abdômen se expande e se contrai suavemente. Não há esforço envolvido, o processo é silencioso, regular e, o mais importante, pelo nariz. No entanto, algumas pessoas inspiram e expiram principalmente pela boca sem perceberem.

Normalmente, essa “troca” das vias nasais pela bucal acontece quando há um problema de saúde temporário (como um resfriado), ou devido a outras condições como, por exemplo, apneia do sono. Porém, quando se respira quase exclusivamente pela boca, o diagnóstico é de respiração bucal.

O que muitos não sabem, no entanto, é que respirar pela boca pode trazer várias implicações para saúde ao longo da vida, incluindo alterações no desenvolvimento das estruturas faciais.

Para entender todos os detalhes sobre esse assunto, dedicamos o artigo de hoje à exploração dos benefícios da respiração nasal e, principalmente, os riscos de se respirar pela boca (e por que isso acontece). Vamos lá?

Primeiramente: qual é a importância da respiração pelo nariz?

A respiração, para o ser humano, pode ser feita de duas maneiras distintas: por meio das narinas, ou da boca. Porém, como já esclarecemos um pouco acima, a melhor alternativa é, sem dúvidas, o nariz!

Isso acontece porque ele foi especialmente projetado para nos ajudar a respirar com segurança, eficiência e adequação. Afinal, ele consegue:

  • filtrar partículas estranhas, graças aos pelos nasais, impedindo que fatores alérgenos e prejudiciais à saúde como, por exemplo, poeira ou pólen, cheguem até os pulmões;
  • umidificar o ar inalado, fazendo com que nós o inspiremos na temperatura corporal, facilitando a atividade dos pulmões;
  • produzir óxido nítrico, um poderoso vasodilatador que ajuda a melhorar a circulação de oxigênio no corpo.

Com tudo isso em vista, fica fácil entender por que o ato de respirar preferencialmente pelo nariz é mais vantajoso para o nosso bem-estar. Para se ter ideia da importância desse processo, confira algumas de suas principais vantagens:

  • reduzir a exposição do organismo a substâncias estranhas;
  • aumentar o fluxo de ar para os pulmões;
  • melhorar o consumo de oxigênio e circulação;
  • desacelerar a respiração;
  • melhorar o volume pulmonar;
  • ajudar o diafragma a funcionar corretamente;
  • reduzir o risco de alergias e tosse;
  • reduzir o risco de ressecamento e irritação da garganta;
  • facilitar o trabalho do nosso sistema imunológico;
  • reduzir o risco de ronco e apneia do sono;
  • apoiar a o posicionamento correto de dentes e boca.

No entanto, aí vai um fato curioso: mesmo assim, estima-se que cerca de 30 a 50 por cento dos adultos respiram pela boca, especialmente no início do dia. Por que será que isso acontece? Bem, vamos investigar algumas possíveis causas para essa atividade.

Por que algumas pessoas respiram pela boca?

São diversas as condições e fatores de risco que levam uma pessoa a respirar pela boca. As principais incluem:

  • alergias;
  • asma;
  • resfriados e problemas respiratórios crônicos;
  • desvio de septo;
  • amígdalas e adenoides aumentadas;
  • histórico de chupar o dedo;
  • pólipos sinusais;
  • anormalidades de nascimento, como atresia coanal, fenda palatina ou síndrome de Pierre Robin.

Qual é o problema de respirar pela boca?

Apesar de também poder ser utilizada para respirar, a principal função da boca é auxiliar os processos de fala, alimentação e digestão. Sendo assim, não é de se admirar que ela não tenha uma anatomia completamente favorável à respiração.

Devido a esse fato, aí vão alguns malefícios documentados e comprovados de se respirar pela boca:

  • maior probabilidade de apresentar: distúrbios respiratórios do sono (ronco, apneia etc), fadiga, diminuição da produtividade e piora na qualidade de vida (devido às noites mal dormidas);
  • em crianças, os efeitos deletérios (prejudiciais) da respiração oral são muito maiores, pois é durante a infância que o sistema respiratório se forma plenamente, ajudando a modelar as estruturas orofaciais e as vias aéreas. Em outras palavras, elas podem desenvolver mais problemas respiratórios e de formação facial (resultando em um rosto menos harmônico e em problemas de oclusão, prejudicando inclusive a alimentação);
  • inalação de ar não filtrado, facilitando o surgimento de reações alérgicas e outros problemas respiratórios;
  • maior probabilidade de desenvolver mau hálito, cáries dentárias e gengivite (principalmente porque a boca fica seca).

Quando é preciso procurar ajuda?

Embora a respiração pela boca raramente seja uma emergência, é preciso se consultar com o médico caso haja a percepção de algum problema decorrente deste ato, como boca seca ao acordar, mau hálito crônico, apneia do sono, ronco etc.

No caso de crianças, a visita ao otorrinolaringologista ou pediatra é importante quando os pais notam que o filho está roncando durante o sono, ou respirando pela boca ao invés do nariz.

Durante a consulta, o médico fará uma série de perguntas para obter um histórico médico completo do paciente e, claro, confirmar se a respiração pela boca está causando estes problemas.

Além disso, um exame da boca, nariz e garganta pode ser realizado para identificar quaisquer áreas de inchaço ou anormalidades, e observar se elas interferem na respiração.

Se necessário, alguns testes extras podem ser solicitados para examinar as passagens nasais, avaliar a atividade pulmonar e, dependendo do caso, exame para monitorar o sono do paciente (a polissonografia).

Como, então, corrigir a respiração? Existe tratamento para isso?

O tratamento da respiração oral, como já era de se esperar, consiste em tratar sua causa subjacente.

Então, se uma pessoa tem amígdalas e adenoides aumentadas ou apresentar problemas com o formato das passagens nasais, por sua vez, ela pode precisar de cirurgia com o otorrinolaringologista.

Para administrar esse problema a curto prazo, até que a causa para a respiração bucal seja encontrada, o paciente pode recorrer a medicamentos como sprays nasais anti-inflamatórios, anti-histamínicos e, em último caso, descongestionantes, estes últimos não devem ser utilizados por mais de 5 dias

Além disso, o paciente pode realizar alguns exercícios e técnicas para fortalecer os músculos do nariz e boca, treinando a respiração nasal conforme orientação do fonoaudiólogo ou do fisioterapeuta.

Enfim…

Apesar de possível, é preciso entender que a respiração pela boca apresenta mais malefícios do que benefícios para a nossa saúde. Então, procure utilizar as vias nasais para tal finalidade sempre que possível. Caso isso não seja possível e dure muito mais tempo que o normal, não hesite em procurar pela ajuda de um profissional, combinado?

 

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Cuide-se bem e até a próxima!

Otorrinolaringologia

Deixar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *