Cachorro ficando sob duas patas para pegar petisco que sua dona está dando como recompensa por um bom comportamento

Jacqueline Lopes

O adestramento de pets moderno é baseado na ciência do comportamento e tem como uma de suas principais bases a teoria behaviorista de Frederic Skinner.

Formulada em meados do século XX, ela defende que nossas condutas são respostas a estímulos que levam a uma série de consequências. Essas consequências, por fim, determinam se voltaremos a ter tais condutas ou não.

Tendo isso em vista, coloque o seguinte mantra em mente:

“Todo comportamento dos cães que é REFORÇADO tende a aumentar sua frequência!”

Repita isso para si mesmo várias e várias vezes, principalmente quando seu cão fizer algo de “errado”.

Repetiu? Ok. Sendo assim, agora te convido a refletir comigo sobre os comportamentos que você gostaria que seu cão tivesse com frequência. Não vale, contudo, pensar no que você NÃO QUER que ele faça, como avançar na comida sobre a mesa, puxar a guia etc. Foque no que você espera que seu cão faça!

Pensou? Então, agora chegou o momento de entender o que fazer para conseguir que ele faça tudo o que você deseja. Para isso, a melhor forma é seguir o raciocíno que já citamos aqui: tudo que é reforçado tende a se repetir.

Como obter, então, um bom comportamento dos cães?

Por meio de recompensas, oras! Reforço! Pense no que, naquela situação específica que você deseja reforçar, seria altamente recompensante para o seu pet. É o caso de um afago, ou um petisco?

Exemplo:

Reflita: o que ele mais deseja quando você coloca o equipamento de passeio nele? Sair para passear, ou ganhar um petisco? Se o seu cachorro já gosta de sair de casa, não é preciso muito. Basta um comando para que ele entenda que chegou a hora da caminhada!

Porém, se ele prefere um petisco, você pode reforçar, com ele, uma série de bons comportamentos que devem ser feitos durante o passeio como:

  • andar sempre ao seu lado, preso à guia;
  • ficar calmo;
  • interagir bem com outras pessoas e animais;
  • etc.

Para isso, basta entregar o deleite que ele tanto ama ao final de tudo. Isso indica a ele que, quando todos os comandos são obedecidos e ele se comporta direitinho, a recompensa está dada.

Nós só sabemos, então, se uma recompensa funcionou como reforço se o comportamento dos cães esperado acontecer mais vezes.

Percebeu como apontei duas opções – para cães que gostam, ou não, de passear, focando exclusivamente no comportamento que pretendemos que eles nos ofereçam?

Diferentemente do método de treinamento antigo, onde o foco era em corrigir os erros do cachorro, aqui nós valorizamos os comportamentos que desejamos que ocorram com frequência.

Você deve estar se perguntando: o que fazer, então, quando ele apresentar comportamentos que não te agradam?

Nesses casos, basta simplesmente ignorá-lo para que o cão entenda que não obtém nenhuma recompensa ou benefício ao se comportar daquela maneira.

Se você for consistente em reforçar os comportamentos que deseja, seu cachorro rapidamente entenderá como se comunicar com você e com os outros. E aí, bingo! Vocês terão um idioma em comum: comunicação assertiva e positiva!

De olho nas vontades do pet

Agora que você já sabe como usar recompensas para reforçar o bom comportamento do seu peludo, sugiro que você elenque as preferências dele. Pense em ordem decrescente, do que ele mais valoriza pro que menos valoriza.

Escolha pelo menos cinco recompensas e pronto: você conhecerá mais sobre seu filho peludo e poderá usar com inteligência a gratificação certa para cada comportamento pretendido!

Bons treinos!

Gostou do texto? Visite a editoria Saúde do Animal e saiba como manter a saúde do seu melhor amigo. Nossos veterinários e especialistas têm muito para contribuir. Acesse, também, nosso Facebook, Instagram e Twitter para ficar por dentro de tudo sobre o universo pet.