Probióticos e prebióticos: por que seu pet precisa deles?

Gato cercado de tomates para representar os prebióticos e probióticos pets

Assim como nos humanos, a flora intestinal de cães e gatos possui uma infinidade de bactérias benéficas. Elas são importantes para diversas atividades do organismo, atuando na absorção de vitaminas, nutrientes, sais e minerais e ainda na proteção contra bactérias patogênicas, que podem causar doenças infecciosas.

A flora intestinal do cão ou gato pode sofrer desequilíbrio devido a diversos fatores, que vão da formação genética à alimentação, ambiente e mesmo outras doenças.

Probióticos e prebióticos são complementos alimentares que podem auxiliar consideravelmente na saúde intestinal do pet. Estão no mercado em diversos formatos, separados ou juntos, na forma de simbióticos. O tipo e uso correto devem ser indicados pelo veterinário do seu companheiro.

Probióticos e prebióticos também estão presentes em alguns tipos de ração e alimentos naturais. Lembre-se que o consumo de comestíveis naturais por animais deve ser cuidadoso, pois vários deles podem conter substâncias nocivas para o organismo do bichinho. A adoção dessa dieta deve também, seguir orientação do profissional da medicina veterinária.

Probióticos, prebióticos: o que são?

Os probióticos são suplementos alimentares compostos de microrganismos vivos, as próprias estirpes de bactérias benéficas que já vivem na flora intestinal do cão, auxiliando em seu equilíbrio.

Os prebióticos são ingredientes nutricionais não digeríveis que estimulam seletivamente o crescimento dessas bactérias benéficas importantes para a flora intestinal.

Probióticos, prebióticos e simbióticos não são considerados remédios. Atuam com fins de complemento e profilaxia. São indicados para qualquer fase da vida do cão ou gato. Seu uso contínuo gera maiores resultados na qualidade de vida e resposta imunológica do animal.

Quando usar?

O desequilíbrio intestinal pode ser comum em animais que passam pelas seguintes situações:

  • desmame;
  • falta de contato com a mãe na fase de crescimento (fator que influencia no fortalecimento imunológico);
  • amamentação com sucedâneo;
  • alimentação inadequada;
  • imunossupressão;
  • crescimento deficiente;
  • período de vacinação;
  • desnutrição;
  • uso exagerado ou frequente de antibióticos orais;
  • contato excessivo com produtos químicos de higiene;
  • mudança de habitat ou ambiente de difícil adaptação;
  • Estresse emocional gerado por maus tratos, ansiedade, rotina imprópria, sem passeios, lazer ou atividades físicas.

O trato intestinal enfraquecido e o sistema imunológico instável favorecem o aparecimento de graves doenças na região. As principais são:

Além disso, o desequilíbrio na flora intestinal provoca uma débil qualidade de vida ao animal, causando constantes dificuldades no apetite, alimentação, digestão, evacuação, energia e humor.

Probióticos

Probióticos operam com êxito em casos de estresse, quando o animal pode apresentar queda de imunidade e propensão a doenças. Costumam ser indicados para tratar diarreias e transtornos provocados por uso de antibióticos. Porém, se adotados desde a juventude do animal, seus efeitos podem ser decisivos nas seguintes qualidades de vida do seu animal:

  • atividades gastrointestinais reguladas;
  • influência no brilho e beleza do pêlo do animal;
  • melhora do apetite;
  • resistência, disposição e força física.

Principais benefícios do uso dos probióticos:

  • Reduzem o ‭ ‬pH ‭ ‬do ‭ ‬ambiente ‭ ‬do ‭ ‬trato‭ ‬ ‭ ‬gastro ‭ intestinal;
  • previne a proliferação de patógenos (como coliformes);
  • estimula a colonização de algumas espécies de lactobacillus e bifidobacterium;
  • provoca o crescimento de antimicrobianos como‭ ‬bacteriocinas, nisina, acidofilina, peróxido de hidrogênio e lactalina;
  • aumenta a produção de anticorpos;
  • auxilia no metabolismo, aumentando a tolerância a lactose em animais lactase-deficientes; também diminui a atividade de enzimas que produzem substâncias tóxicas;
  • atua na adsorção de bactérias.

Prebióticos:

São fonte de nutrição para as bactérias benéficas que atuam no intestino do animais. São fibras vegetais, não digeridos pelas enzimas digestivas, mas que quando fermentados pela flora bacteriana do trato digestório criam substâncias que estimulam o crescimento de bactérias benéficas e interrompem o crescimento de bactérias patogênicas.

Prebióticos naturais são encontrados em alimentos como:

  • tomate;
  • banana;
  • cevada;
  • aveia;
  • trigo.

Principais benefícios dos prebióticos

  • Mantêm o equilíbrio celular da mucosa intestinal;
  • regulam a taxa de triglicérides e glicemia no sangue;
  • aumentam a absorção do intestino delgado;
  • ajudam na formação e consistência do bolo fecal, aumentando a absorção de energia;
  • agilizam a recuperação da microflora intestinal após desequilíbrio.

Como escolher

Siga a orientação do seu veterinário e:

  • dê preferência a probióticos que contenham no mínimo 10 estirpes de bactérias;
  • escolha produtos direcionado para consumo do seu animal – cão ou gato;
  • certifique-se de que o produto apresenta no rótulo o selo BPF (Boas Práticas de Fabricação) ou GMP (Good Manufacturing Practices);
  • atenção quanto à data de validade do produto;
  • armazene o alimento em locais e temperatura adequadas;
  • ofereça ao seu pet apenas a quantidade suficiente por refeição;
  • veja se o produto pode ser administrado junto a outros alimentos e medicamentos.

Atenção para o uso correto

Os probióticos, prebióticos e simbióticos são majoritariamente indicados com objetivos preventivos, sendo às vezes eficazes em problemas simples como desarranjos intestinais e diarréias.

Como a própria diarréia também é um dos primeiros e mais comuns sinais de patologias mais graves, é comum que o tutor, ao presenciar esse problema em seu animal, deixe de levá-lo a um exame mais cuidadoso, depositando sua expectativa nos probióticos, e prebióticos.

Esse é um comportamento extremamente perigoso pois pode adiar a percepção de uma doença mais severa. Infecções, tumores ou parasitoses devem ser diagnosticados precocemente para que o tratamento obtenha êxito. Portanto, mesmo que seu animal consuma esses produtos, nunca deixe de levá-lo ao veterinário frente a alterações em sua saúde.

Os probióticos, prebióticos e simbióticos não são complementos nutricionais completos nem agem sozinhos. Não adianta adotar o uso deles e oferecer ao animal uma dieta incorreta, ambiente desfavorável e uma rotina deficiente em práticas físicas. Doenças intestinais encontram terreno propício em organismos de baixa imunidade. O ideal para evitá-las é possibilitar ao seu cão ou gato um sistema imunológico equilibrado, boa resistência e saúde forte.

 

Visite Saúde do Animal e saiba como manter a saúde do seu melhor amigo. Nossos veterinários têm muito para contribuir. Acesse, também, nosso Facebook e Instagram para ficar por dentro de tudo sobre o universo pet.

Deixar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *