alimentos vistos de cima

Dra. Etelvina Porto

Os Probióticos são microorganismos vivos que consideramos suplementos alimentares. Eles contêm bactérias vivas que produzem efeitos benéficos aos seus hospedeiros e, dessa forma, favorecem o equilíbrio da microbiota do intestino.

Na medicina veterinária, eles são usados na:

  • Prevenção e tratamento de doenças;
  • Regulação da microbiota intestinal;
  • Inibição da carcinogênese e promoção de crescimento, como imunomoduladores;
  • Tratamento de distúrbios do metabolismo gastrointestinal;

Os Probióticos produzem ácidos graxos (acético, butírico e propiônico) e lactatos. Estes ácidos graxos promovem:

  • Queda do Ph local, inibindo o desenvolvimento de bactérias nocivas ao organismo como: E.coli, Clostridium sp, Salmonelas (que são sensíveis a ambientes ácidos);
  • Prevenção de doenças intestinais (colite, inflamação intestinal etc), melhorando a digestão;
  • Trânsito intestinal regulado (constipação e diarreia);
  • Aumento da absorção de nutrientes (cálcio, ferro, vitaminas..);
  • Melhor digestão da lactose;
  • Prevenção de alergias;

As formas de Probióticos mais encontradas no mercado são as lácteas (iogurte, coalhada e kefir. Também existem formas farmacêuticas como comprimidos, cápsulas, sachês. As mais utilizadas contém espécies de Lactobacillus, Bifidobacterias, e Saccharomyces cerevisiae.

Probióticos Naturais:

  • Iogurte Natural;
  • Kefir (um produto fermentado com leveduras e bactérias. É semelhante ao iogurte, porém, possui maior número de probióticos);
  • Leites fermentados;
  • Kombucha;
  • Produtos orientais a base de soja (legumes e leveduras).

Probióticos em suplementos (comprimidos, cápsulas, sachês, líquidos). Os mais usados contém:

  • Bifidobacterias animalis: melhoram o sistema imunológico e ajudam na digestão de alimentos contaminados;
  • Bifidobacteria bifidum: localizados no intestino delgado e grosso, ajudam na digestão de laticínios;
  • Bifidobacteria breve: estão localizadas no intestino e na mucosa vaginal e combatem infecções causadas por fungos e bactérias;
  • Bifidobacteria longum: é a mais comum no intestino. Ajuda a eliminar toxinas do organismo;
  • Lactobacillus reuteri: localizam-se na boca, estômago e intestino delgado, e são importantes contra a infecção do H. pylori.
  • Lactobacillus acidophilus: é um dos mais importantes. Colabora na absorção de vários nutrientes, facilita a digestão, e combate infecções. Também está presente na mucosa vaginal;
  • Lactobacillus rhamnosus: localizado no intestino, ajuda a combater a diarreia;
  • Lactobacillus fermentum: contribui para neutralizar as toxinas durante a digestão, melhorando o ambiente para o crescimento da flora intestinal.

Prebióticos

Prebióticos são fibras não digeríveis que funcionam como alimentos para as bactérias intestinais benéficas. As mais estudadas são os oligossacarídeos:

  • Frutooligossacarídeos(FOS): são encontrados em alimentos vegetais como alho, cebola, tomate, banana, cevada, aveia, trigo e mel. A inulina está presente no alho, aspargo, alcachofra, raiz de chicória;
  • MOS (Mananoligossacarídeos) e GOS (Glucoligossacarídeos): são obtidos a partir da parede celular de leveduras. As pectinas estão presentes na entrecasca dos alimentos cítricos, do maracujá, e na maçã. Ligninas nas cascas de frutas oleaginosas (gergelim amêndoas) e leguminosas como a soja e feijão azuki.

Os Prebióticos possuem várias funções. Dentre elas estão:

  • Estímulo à motilidade intestinal;
  • Manutenção da flora intestinal;
  • Prevenção da diarreia;
  • Inibição da atividade de bactérias nocivas

Simbióticos

Os simbióticos são alimentos que contêm Probióticos e Prebióticos, onde ocorre uma sinergia para beneficiar a saúde do animal.

Como foi descrito acima, podemos melhorar a flora bacteriana com o aumento do consumo de pelo menos um alimento probiótico natural por dia. Além disso, por meio de suplementos, e quanto maior a diversidade, mais rápido será o desenvolvimento da flora intestinal saudável.
Porém a quantidade e o tipo de probiótico deve ser recomendado por um Médico Veterinário para evitar o desconforto intestinal.
Gostou do artigo? Para saber como cuidar ainda mais do seu bichinho, fique de olho em nossa editoria Saúde Animal, e siga nosso perfil no Instagram!