mulher segurando as costas indicando dores na lombar

A osteomielite é a inflamação do tecido ósseo causada por uma infecção. Quando um osso está infectado, a medula óssea (a parte macia dentro do osso) incha e exerce pressão sobre os seus vasos sanguíneos. As suas células não recebem sangue suficiente e partes do osso podem necrosar. A infecção pode se estender para os músculos e outros tecidos moles circundantes e produzir uma acumulação de pus chamada abscesso.

PRINCIPAIS CAUSAS

A maioria dos casos de osteomielite é causada pela bactéria Staphylococcus. A infecção pode ocorrer através de:

– Contaminação direta: um trauma com penetração de corpo estranho ou fratura exposta coloca o osso em contato com as bactérias da pele. O mesmo pode ocorrer durante uma cirurgia ortopédica.

– Infecção adjacente: bactérias podem se propagar de uma infecção de tecidos vizinhos para o osso.

– Infecção à distância: bactérias de pneumonias ou infecções urinárias, por exemplo, podem chegar até os ossos através da corrente sanguínea. As crianças comumente desenvolvem infecções ósseas nos braços e pernas. Em adultos, a infecção é mais freqüente nos ossos da coluna vertebral.

FATORES DE RISCO

– Fratura óssea grave ou lesão perfurante profunda

– Cirurgia ortopédica

– Circulação sanguínea deficiente como ocorre no diabetes, doença arterial periférica e anemia falciforme.

– Cateteres intravenosos ou urinários.

– Imunodeficiência.

– Uso de drogas ilícitas.

SINTOMAS

Em crianças ocorre febre, irritabilidade, prostração e dor no osso infectado. Às vezes, é difícil mover o membro doente por estar inchado e doloroso.

Em adultos, os sintomas aparecem gradualmente e as vértebras da coluna são os ossos mais afetados. Os sintomas incluem sensibilidade, inchaço, vermelhidão e dor local que não responde a analgésicos, compressas quentes ou repouso. Ao contrário das crianças, os adultos com osteomielite não apresentam febre.

ALGUMAS COMPLICAÇÕES

Dentre as complicações mais comuns estão:

  • Osteomielite crônica;
  • Formação de fístula do osso até a pele;
  • Necrose de parte ou todo o osso infectado: o tecido necrosado tem que ser removido cirurgicamente. Se todo o osso estiver comprometido, pode ser necessária a amputação.
  • Infecção da articulação adjacente;
  • Comprometimento do crescimento das crianças.

DIAGNÓSTICO

O médico pode suspeitar de osteomielite através dos sintomas e achados no exame físico. Exames adicionais necessários:

  • Exames de sangue;
  • Radiografia simples: pode não detectar anormalidades durante as primeiras semanas da infecção;
  • Tomografia computadorizada;
  • Ressonância magnética;
  • Biópsia do osso: considerada o melhor método diagnóstico.

TRATAMENTO 

Se a infecção óssea é hematogênica (o agente infeccioso foi disseminado através do sangue) e recente, o tratamento com altas doses de antibióticos pode ser efetivo. Como as bactérias estão se tornando cada vez mais resistentes, pode-se realizar a cultura do material colhido durante a biópsia para definir o antibiótico a ser utilizado. A medicação é administrada por via endovenosa durante um período de, pelo menos, 4 semanas.

A cirurgia é indicada na maioria dos casos, para drenar a secreção purulenta, limpar a área adjacente ao osso e remover tecidos moles e ósseo necrosados. Em alguns casos pode ser necessário amputar o membro doente.

Se houver corpos estranhos originados de trauma, placas ou parafusos, estes serão removidos. Uma prótese articular infectada terá que ser substituída.

PREVENÇÃO

No caso de traumas a melhor maneira de se prevenir a osteomielite é manter os ferimentos limpos, especialmente os mais profundos.

Os pacientes com comprometimento imunológico devem procurar atendimento médico sempre que apresentarem sinais de infecção.

No caso da osteomielite crônica, é necessário acompanhamento médico constante para manter a condição sob controle.