cachorro de barriga pra cima na grama sendo acariciado por uma pessoa

Dr Artur Vasconcelos

Em humanos e nos animais, a saúde depende do bem estar físico, mental e social. Mais que a ausência de doenças, para ter saúde precisamos cultivar sentimentos de segurança, calma, felicidade e relações sociais saudáveis. O adoecimento ocorre quando há um desequilíbrio em um ou mais destes princípios fundamentais.

Apesar de existirem fatores genéticos associados ao aparecimento de doenças, hoje se sabe que alguns agentes externos têm um papel importante neste processo. O câncer, por exemplo, é atribuído em grande parte ao estilo de vida e fatores ambientais. A predisposição genética, antigamente considerada como principal fator causador de câncer, tem uma influência bem pequena, em torno de 10%.

Da mesma forma como devemos cuidar da nossa saúde, fazendo as escolhas certas, somos responsáveis também pela saúde dos nossos animais. Uma dieta apropriada, exercícios, brincadeiras, amor e atenção fazem toda a diferença para o bem estar e a longevidade dos seus pets.

Sendo assim, nós, do Convite à Saúde do Animal, organizamos esses hábitos em dez pilares da saúde:

  1. Hidratação;
  2. Nutrição;
  3. Estímulo mental;
  4. Saúde emocional;
  5. Movimento;
  6. Descanso;
  7. Saúde bucal;
  8. Saúde hormonal;
  9. Saúde intestinal;
  10. Ambiente saudável.

Hidratação

A água, apesar de não oferecer calorias, é considerada o nutriente mais importante para a vida. Os animais possuem hábitos de hidratação muito diferentes dos humanos. Porém, eles também variam entre si, de acordo com o tipo de dieta que recebem de seus donos.

Os gatos, por exemplo, não têm o costume de beber água. Como são carnívoros, na natureza caçam e consomem suas presas, o que oferece um alimento bastante hidratado. No ambiente doméstico, eles mantém a característica da espécie de não beber água com frequência. Para garantir uma hidratação adequada, deve-se oferecer aos gatos preferencialmente uma dieta úmida.

Além disso, os cães e os gatos devem ter sempre água limpa e fresca por perto. Os melhores materiais para estes recipientes, que não liberam substâncias nocivas à saúde do animal, são inox, vidro ou cerâmica. Essas vasilhas devem ser lavadas pelo menos duas vezes na semana

Nutrição

Uma nutrição balanceada é importante para a saúde de todo ser vivo. Além disso, nos animais, devemos nos preocupar em oferecer uma dieta biologicamente apropriada e que seja semelhante à alimentação deles na natureza.

Os cães e gatos são carnívoros. Logo, a proteína animal deve constituir a maior parte da sua dieta. Outros alimentos importantes são: gordura de boa qualidade, fontes de vitaminas, minerais e ácidos graxos essenciais e uma pequena quantidade de frutas e vegetais para oferecer fibras alimentares.

A comida deve ser fresca, balanceada e variada. Os animais não precisam de grãos, corantes, conservantes artificiais, aditivos, produtos químicos ou comidas processadas. Nós acreditamos que a alimentação natural caseira, bem variada e orientada por um especialista é a opção que oferece mais benefícios aos animais domésticos.

O alimento processado, na forma das rações comerciais, é conveniente e pode ser utilizado esporadicamente. Porém, o animal não deve consumi-lo de forma contínua por toda a vida.

Outro ponto importante é a forma de oferecer a comida. Na natureza, os animais têm que caçar para conseguir o alimento. Isso envolve grande esforço físico e mental, o que é bem diferente de receber a alimentação em uma vasilha, diariamente. Se possível, deve-se desafiar o pet na hora da refeição. Algumas dicas são:

  • Esconder os alimentos pelo jardim ou pela casa;
  • Oferecer pedaços maiores, com ossos;
  • Utilizar vasilhas e recipientes que desafiem o animal.

Lembre-se: o estímulo mental no momento da refeição é muito benéfico para os animais.

Estímulo mental

Além da estratégia descrita para o momento das refeições, existem muitas outras formas de estimular nossos amigos. Os brinquedos são muito importantes para que eles se mantenham ativos e encorajados. Outras alternativas são as aulas de treinamento, os passeios na rua e os encontros com outros animais. Reservar um tempo para interagir com seu amigo diariamente também garante, além da estimulação mental, que ele se sinta seguro e amado.

É importante também que o ambiente do animal ofereça brincadeiras e situações que simulem suas atividades na natureza. Esta prática, chamada enriquecimento ambiental, é muito importante para que os animais domésticos não fiquem tristes, deprimidos ou apresentem algum problema de comportamento.

Os gatos, por exemplo, gostam de escalar as árvores e observar o mundo do alto. Em seu ambiente doméstico, então, utilize estratégias como:

  • Prateleiras e móveis onde seu pet possa subir;
  • Superfícies apropriadas para serem arranhadas;
  • Brinquedos para “caçar”;
  • Locais fechados e aconchegantes para servirem de esconderijo.

Saúde emocional

Os animais domésticos são muito sensíveis a emoções como raiva, ansiedade e depressão. Logo, o bem estar emocional da família se reflete na saúde dos pets, especialmente na dos cães.

Em um estudo interessante, realizado na Itália, os cientistas demonstram que cães reagem de forma diferente a pessoas de acordo com um filme que elas haviam acabado de assistir. Quando expostos aos indivíduos que haviam assistido a um filme de terror, por exemplo, os cães respondiam com medo.

Por isso, cultive boas energias, tranquilidade e carinho no ambiente familiar. Todos irão ganhar com isso!

Movimento

Todo ser vivo, em qualquer idade, precisa se movimentar e se exercitar diariamente. A natureza dos cães e gatos é percorrer grandes distâncias todos os dias, seja procurando alimento ou por outro objetivo.

No ambiente doméstico, muitas vezes os animais se tornam sedentários, aumentando o risco de obesidade e de várias doenças associadas a ela. Entre os cães, algumas raças como o Beagle e o Border Collie são especialmente ativas. Portanto, precisam de muito espaço para correr e disponibilidade do dono para brincar.

Por outro lado, o excesso de exercício também pode ser prejudicial. Cães que participam de esportes são treinados cuidadosamente para aquela modalidade específica. Deve-se sempre tomar o cuidado de não ultrapassar os limites tolerados pelo animal.

Descanso

Os animais têm padrões de sono diferentes dos humanos. Os cães têm um sono mais superficial e dormem várias vezes ao dia, principalmente após as refeições. Na natureza, eles costumam ter hábitos noturnos, o que algumas vezes se altera no ambiente doméstico, onde eles acabam se adaptando aos padrões da família. Além disso, os cães mais idosos tendem a dormir mais horas por dia.

Os gatos chegam a dormir 16 horas por dia. Porém, grande parte deste sono é superficial. Eles aparentam estar dormindo, mas estão conscientes do mundo à sua volta e prontos para se defender de algum perigo.

Saúde bucal

Os cães estão muito propensos ao desenvolvimento de placa bacteriana, cálculo dentário e doença periodontal. Todas com sérias consequências para a saúde.

A escovação dos dentes é uma forma de prevenção eficiente, desde que realizada, no mínimo, a cada dois dias. A dificuldade de incluir isto na rotina da maioria das pessoas, porém, torna necessária a profilaxia periódica com um veterinário especializado em odontologia. Durante o procedimento, é removido o cálculo dentário aparente e também o subgengival, que muitas vezes é o causador da inflamação da gengiva.

A alimentação natural crua com ossos e a oferta periódica de grandes ossos recreativos crus são algumas estratégias utilizadas para reduzir a formação do tártaro. Seu efeito abrasivo remove as placas bacterianas antes da calcificação. Existem, também, brinquedos específicos para auxiliar na limpeza dos dentes.

Saúde hormonal

Os hormônios controlam as principais funções do organismo e funcionam de forma integrada e complementar.

Nos cães, a principal causa do desbalanço hormonal é a castração precoce. Defendida por muitos especialistas ao longo dos anos como forma de prevenir câncer de mama, útero e ovário, estudos recentes mostram que a castração de animais com menos de seis meses de idade traz consequências devastadoras para a saúde do animal. Ocorre o aumento da incidência de várias doenças, como::

  • Displasia de quadril;
  • Hipotireoidismo;
  • Infecções do trato urinário e incontinência;
  • Alguns tipos de câncer como osteosarcoma, hemangiosarcoma, linfoma, mastocitoma e câncer de próstata;
  • Alterações cognitivas relacionadas à idade;
  • Problemas de comportamento;
  • Obesidade.

Além disso, existem alguns trabalhos demonstrando que a castração não reduz o risco de câncer de mama.

A orientação atual é de que cada animal deve ser avaliado individualmente antes de se decidir a favor ou contra a castração. Devem ser levadas em consideração também outras opções para esterilização, como: histerectomia sem a remoção dos ovários nas fêmeas, e vasectomia nos machos.

Saúde intestinal

A saúde do intestino depende principalmente da diversidade, qualidade e equilíbrio da microbiota intestinal, composta por trilhões de microorganismos. Uma microbiota equilibrada garante um funcionamento normal do trato gastrointestinal, protege contra infecções, regula o metabolismo e o sistema imunológico.

Os principais fatores que alteram a microbiota são:

  • Consumo de alimentos processados e excesso de carboidratos;
  • Toxinas e poluentes do ambiente urbano;
  • Uso de antibióticos, anti-inflamatórios e anti-ácidos.

Além disso, a falta de contato com a natureza muitas vezes contribui para o problema. Afinal, é nesses locais que os animais adquirem a maioria dos microrganismos que passam a habitar o intestino.

Alimentos prebióticos, como legumes e verduras, e probióticos, como iogurte, kefir e os próprios alimentos frescos e crus, que possuem bactérias, auxiliam na saúde intestinal dos animais.

Ambiente saudável

O ambiente, mesmo doméstico, oferece vários perigos para a saúde do animal. Produtos de limpeza, por exemplo, contêm diversos elementos químicos nocivos. Cães e gatos passam grande parte do seu tempo deitados no chão e se lambem constantemente. Por isso, são especialmente afetados por estas substâncias tóxicas.

Existem muitas alternativas naturais e seguras aos produtos de limpeza tradicionais. São elas vinagre, bicarbonato de sódio, bórax etc. Atenção: produtos de uso tópico (talcos, coleiras, sabonetes e xampus) podem causar intoxicações tão graves quanto os inseticidas, pesticidas e fertilizantes.

O excesso de vacinação pode ser considerado um dos fatores externos nocivos à saúde dos animais. Trabalhos mostram que a maioria dos animais, quando vacinada após os quatro meses de idade, adquire imunidade que persiste por anos ou até por toda a vida (para a maioria das doenças).

Um simples exame de sangue pode comprovar se a vacina foi eficaz ou se está indicado um reforço. Vacinar anualmente para todas as doenças, portanto, é desnecessário e potencialmente nocivo aos animais. Trabalhos mostram o aumento da incidência de doenças autoimunes, convulsões, outras alterações neurológicas e até mesmo alguns tipos de câncer.

Um convite à saúde…

Ter mais saúde e ao mesmo tempo ajudar os nossos pets a conquistá-la é uma escolha e um trabalho contínuo, construído a partir de pequenos passos e ações. O conhecimento é o início do processo de mudança.

Juntos, iremos analisar cada um dos pilares da saúde do animal, desmistificar crenças e desvendar os conceitos da ciência atual. Criaremos, também, estratégias para ajudar você a adotar uma postura mais saudável em relação à vida.

Este é um Convite à Saúde. Aceite este desafio e juntos iremos conquistar mais bem-estar e felicidade para nós e para nossos pets.

Para ficar por dentro de assuntos como esse e, claro, outros temas que envolvem a saúde, basta ficar de olho em nosso Blog, curtir nossa página no Facebook e acompanhar nossas postagens no Instagram!