Mulher negra em ao espelho mexendo no cabelo

Dr. Fábio Gontijo

A queda de cabelos é um problema frequente e leva muitas pessoas ao desespero. Porém, nada que um bom estudo junto ao paciente, combinado a um tratamento apropriado, não resolva!

Você sabia que é normal perder cerca de 100 fios de cabelo por dia? Pois é. Esses fios, que já não estavam mais crescendo ativamente, entraram em fase de repouso. Nela, eles não estão mais aderidos firmemente ao couro cabeludo. Por isso, suas raízes mais superficiais e frouxas são arrancadas facilmente, seja na hora do banho, ou da escovação, por exemplo.

Uma perda de cabelos maior que a usual, porém, pode ocorrer por vários fatores. Identificar precocemente as suas causas e iniciar logo o tratamento pode reverter ou interromper toda essa situação desagradável!

Venha comigo e entenda tudo sobre esse perrengue!

Causas

As causas mais comuns para a queda de cabelos são o eflúvio telógeno e a alopécia androgenética.

No primeiro, uma quantidade considerável de fios entra na fase de repouso e ficam prontos para cair. Para se ter ideia, pode ocorrer a perda de até 300 fios por dia!

O eflúvio telógeno pode ser desencadeado por:

  • doenças sistêmicas;
  • cirurgia;
  • parto;
  • mudanças na dieta;
  • problemas hormonais;
  • uso de alguns medicamentos como heparina, isotretinoína, ácido valproico, terbinafina e lítio.

O segredo aqui é não ter neuras. Uma vez descoberta e removida a causa da queda de cabelos, os fios voltam a crescer normalmente dentro de 6 a 8 meses.

E a alopécia androgenética?

A alopecia androgenética é causada por fatores hormonais e, geralmente, ocorre em pessoas que possuem um histórico dessa doença na família.

Nela, ocorre um afinamento dos fios no topo da cabeça e as famosas “entradas”, ou seja, perda de cabelos na região da testa. O couro cabeludo, por sua vez, torna-se mais visível.

Como tratar a queda de cabelos?

No eflúvio telógeno, identificar a causa do problema é o primeiro passo. Geralmente, a queda de cabelos está associada a algum evento ocorrido 2 a 3 meses antes de sua ocorrência. No caso de traumas, cirurgia e parto, por exemplo, a melhor opção é aguardar que o próprio corpo se recupere.

Problemas hormonais como o hipotireoidismo, por exemplo, devem ser tratados. Com o controle da doença, os fios voltam a crescer. Se há suspeita da causa ser um medicamento, ele deve ser suspenso ou substituído.

Por fim, o estado nutricional do paciente também deve ser avaliado. Por exemplo, é comum que a queda de cabelos seja ocasionada pela deficiência de ferro.

Medidas gerais como alimentação saudável e equilibrada, hidratação adequada e controle dos níveis de estresse são necessários a todos os pacientes. Se mesmo após essas medidas o problema persistir, podem ser indicados tratamentos com medicamentos.

Opções de tratamento

A queda de cabelos pode ser tratada com medicamentos orais, tópicos, procedimentos, mudanças no estilo de vida ou cirurgia:

  1. Tratamento tópico: medicamentos como o minoxidil e o alfaestradiol são utilizados como estimuladores do crescimento capilar. Ambos não conseguem restaurar o volume anterior do cabelo.
    Porém, em muitos casos, ajuda a controlar o problema. Seus primeiros efeitos são notados após 2 meses de tratamento e eles devem ser usados por períodos prolongados.
  2. Tratamento oral: alguns medicamentos inibidores da atividade da testosterona são utilizados para tratar a queda de cabelos. São alguns exemplos a finasterida, o acetato de ciproterona e a espironolactona.
  3. Suplementos vitamínicos: um dos motivos mais comuns para a perda de cabelos é a falta de vitaminas como ferro, B, C e magnésio. No mercado, existem diversas opções de suplementos que podem amenizar esse quadro. Porém, não deixe de se consultar com um profissional para escolher o produto correto.
  4. Livre-se dos maus hábitos: fumar reduz o fluxo sanguíneo para o couro cabeludo, assim como ingerir álcool e cafeína dificulta o trabalho do nosso sistema imunológico. Além disso, não se manter hidratado(a) é péssimo para a saúde dos tecidos do corpo, e por aí vai. Então, pelo bem dos seus cabelos, adote hábitos mais saudáveis!
  5. Microagulhamento: neste procedimento são realizadas múltiplas punções no couro cabeludo utilizando o Dermaroller ou outros dispositivos. O procedimento aumenta a vascularização local, estimula a formação de colágeno e fatores de crescimento, além de melhorar a absorção de medicamentos aplicados.
  6. MMP (Microinfusão de medicamentos na pele): técnica recente para tratamento da queda de cabelos que usa microagulhas para aplicar medicações específicas no couro cabeludo, indicadas pelo especialista de acordo com o caso. Os resultados são muito promissores, observando-se melhora logo após as primeiras sessões.
  7. Transplante capilar: a cirurgia para transplante capilar utiliza fios retirados de uma área doadora, geralmente próxima à nuca, e os implanta na região da queda capilar.

Algumas dicas e toques extras:

  • Saiba o que é melhor para o seu cabelo: se você quiser manter o cabelo saudável, basta saber como cuidar deles do jeito certo. Para isso, descubra qual é o tipo dos seus fios e procure pela ajuda de um profissional para saber como cuidar deles da forma adequada.
  • Cuidado com as altas temperaturas: o calor excessivo pode tornar os cabelos frágeis e quebradiços. Na hora de secá-los ou alisá-los, segure o secador a uma distância razoável do couro cabeludo e seque os cabelos sempre de cima para baixo. No caso da prancha, nunca ultrapasse a temperatura de 200 °C.
  • Cuide da sua saúde emocional: estresses traumáticos muito graves, como dietas radicais, a perda de um ente querido etc, podem desencadear algumas doenças do cabelo e do couro cabeludo.

No mais…

Em todos os tratamentos, a melhora é lenta e requer paciência e persistência. É importante fazer o diagnóstico e começar o tratamento cedo para controlar a progressão do problema.

Os efeitos da queda de cabelo na autoestima podem ser devastadores! Por isso, precisamos valorizar essa queixa e tratar a doença com todas as armas disponíveis.

E aí, gostou do texto? Para ler mais conteúdos como este, fique de olho em nosso Blog e siga nossos perfis nas redes sociais (Facebook e Instagram)! Estamos te esperando.