Médico examinando o olho de uma menina

A visão está entre os sentidos que mais exigem cuidados, atenção e acompanhamento ao longo de toda a vida, desde o nascimento até a maturidade.

Durante a infância, o desenvolvimento da visão é crucial e deve ser cercado de cuidados. Nessa etapa tão especial, a visão exerce papel fundamental no desenvolvimento cognitivo, social, escolar e motor da criança.

Por que seu pequeno precisa tanto de exames preventivos?

É sempre válido reforçar a importância do acompanhamento com oftalmologista em todas as etapas da vida, sobretudo na infância. Ainda há pessoas que não possuem o hábito de visitá-lo regularmente, ou simplesmente jamais o fizeram.

Infelizmente, essa negligência pode causar problemas de aprendizado, falta de motivação para estudar entre as crianças e prejuízos mais graves e irreversíveis na vida adulta, como a cegueira.

Felizmente, até 80% dos casos de cegueira podem ser evitados ou tratados quando são diagnosticados precocemente e acompanhados de forma adequada, o que reforça a importância do acompanhamento oftalmológico.

Quais riscos seu filho corre caso não faça acompanhamento regular com o oftalmopediatra?

Na infância, o desenvolvimento dos olhos é de suma importância. Nessa fase, há problemas oculares que, quando são diagnosticados precocemente, podem ser tratados com sucesso ou minimizados, sem prejudicar a qualidade de vida da criança e evitar consequências mais graves no futuro.

É o caso da ambliopia (doença popularmente conhecida como olho preguiçoso) e do estrabismo (olho torto): quando são diagnosticados antes da criança completar sete anos, o tratamento e correção desses problemas tendem a serem mais eficazes.

  • Há outras doenças oculares que podem acometer as crianças, como:
  • miopia (quando há dificuldades para enxergar de longe);
  • hipermetropia (dificuldades em enxergar de perto),
  • astigmatismo (visão distorcida e embaralhada);
  • daltonismo (deficiência na visão de cores);
  • catarata infantil (merece atenção especial, assim como a retinopatia da prematuridade e suas decorrências).

Como saber se a visão do seu filho é saudável?

Para que a criança se desenvolva plenamente, os pais e responsáveis precisam observar se ela possui as seguintes habilidades visuais:

  • enxergar a distância;
  • enxergar pessoas e objetos próximos;
  • visão periférica;
  • visão binocular;
  • capacidade de foco;
  • focalizar os dois olhos ao mesmo tempo;
  • coordenação mão-olho.

Caso o seu filho não apresente um bom desenvolvimento de pelo menos uma das habilidades acima, procure agendar o quanto antes uma consulta oftalmológica.

O que o médico precisa saber sobre a saúde da criança?

Ao levar a criança ao oftalmologista para os exames preventivos, é importante que este profissional tenha ciência das seguintes informações sobre a saúde da criança:

  • histórico de prematuridade;
  • atraso no desenvolvimento motor;
  • hábito de coçar ou esfregar os olhos;
  • hábito de piscar os olhos em excesso;
  • hábito de fechar um dos olhos, principalmente na claridade;
  • incapacidade de olhar fixamente para os objetos;
  • dificuldades em manter contato visual;
  • dificuldades de acompanhar com os olhos objetos em movimento;
  • dificuldades motoras que levam ao rótulo de “estabanado”;
  • dificuldades de leitura, a exemplo de “perder o fio da meada” e aproximar livros e tablets dos olhos;
  • dores de cabeça;
  • demais problemas relacionados ao desenvolvimento motor.

Quais são os exames preventivos oftalmológicos recomendados para crianças? E quando realizá-los?

Conheça os principais exames que podem ser feitos durante a infância e a melhor etapa para realizá-los

1. Teste do olhinho (ou teste do reflexo vermelho)

Por meio do uso do oftalmoscópio, uma espécie de lanterna, o médico consegue enxergar o reflexo da luz apresentada pelo olho do recém-nascido. Quando o reflexo apresentado é branco, e não vermelho, pode sinalizar alguma doença ocular, a exemplo do retinoblastoma.

Esse exame também é capaz de detectar catarata e inflamações oculares e deve ser realizado quando o bebê ainda está na maternidade.

2. Teste de rotações oculares

Ainda na maternidade, a visão do bebê e a coordenação dos olhos será testada por meio da movimentação de um objeto que atraia sua atenção.

Bebês e crianças um pouco mais velhas também passam por exame similar que testa as habilidades dos músculos dos olhos. Neste, um objeto interessante será movimentado em diferentes direções: direita, esquerda, para cima, para baixo e outras.

3. Exame das pupilas

Avalia como as pupilas da criança reagem à luz. Normalmente, quando a luz aumenta, a pupila se contrai. Quando há pouca luz, a pupila se dilata. Reflexo pupilar mais lento ou inexistente indica problemas oculares.

4. Teste de acuidade visual e refração

É um dos testes de visão mais conhecidos e envolve a leitura de números e letras de diferentes tamanhos. Crianças que ainda não foram alfabetizadas podem fazer um teste similar que envolve desenhos e símbolos.

O teste de refração detecta problemas como miopia, hipermetropia e astigmatismo. Caso exista a necessidade da criança usar óculos, esse exame oftalmológico irá indicar os graus a serem aplicados nas lentes.

5. Exame de fundo de olho

Por meio do oftalmoscópio, instrumento que possibilita a visualização da retina, dos vasos e do nervo óptico, o oftalmologista pode diagnosticar diversas doenças, dentre elas a retinopatia da prematuridade.

Esse é um dos exames preventivos obrigatórios para bebês que nasceram prematuros, abaixo do peso e/ou precisaram de tratamento com oxigênio.

6. Teste de Ishihara

Crianças mais velhas com suspeita de daltonismo precisam realizar esse teste. Essa condição, mais comum em meninos, faz com que a pessoa não consiga diferenciar algumas cores. O tipo mais comum de daltonismo é o verde-vermelho.

Neste teste, o paciente é apresentado a cartões com diversos pontos coloridos. No centro dos cartões há um número ou letra, legível para quem não possui daltonismo.

Os testes para crianças que ainda não foram alfabetizadas constituem na identificação de desenhos no centro dos cartões.

7. Teste de visão binocular

Nesse teste o paciente usa um óculos semelhante aos distribuídos em cinemas com filmes em 3D, para verificar sua visão em profundidade e binocular.

8. Biomicroscopia

Utiliza a lâmpada de fenda para examinar todas as estruturas oculares em detalhes. Possibilita a visualização de lesões na córnea (cicatrizes ou arranhões), inflamações e catarata, doença que infelizmente pode acometer crianças.

Gostou do Texto? Para ler mais conteúdos como esse, fique de olho em nosso Blog e siga nossos perfis nas redes sociais (Facebook e Instagram)!