Escoliose: o que você precisa saber?

Paciente de costas sentado na cama do consultório e um médico segurando um modelo de uma coluna vertebral com escoliose

A escoliose é uma curvatura lateral da coluna, muito comum em crianças e adolescentes.
Para entender melhor: o formato normal da coluna vertebral inclui uma curva na parte superior dos ombros, e uma na região inferior das costas. Veja só:

Três desenhos de colunas vertebrais humanas em posições diferentes

No caso da escoliose, essa curvatura se dá de forma lateral, formando um “S” ou um “C” quando se vê a pessoa de costas. Veja só:

Colunas vertebrais humanas com escoliose

O importante a se saber é que a maioria dos casos de escoliose é leve e, portanto, não exige tratamento. Porém, ela pode ser séria ao ponto de incapacitar o paciente. Por isso, todos os casos devem ser acompanhados e tratados de perto, especialmente durante a fase de crescimento.
No mais, sem neuras. Continue conosco para saber tudo o que precisa sobre esse assunto.

Causas

As causas da escoliose são desconhecidas, embora fatores genéticos parecem estar envolvidos.
A maioria dos casos são classificados de idiopáticos (ou seja, sem causa definida). Casos mais graves da doença podem ser causados ​​por:

  • condições neuromusculares (paralisia cerebral ou distrofia muscular);
  • defeitos congênitos que afetam o desenvolvimento dos ossos da coluna vertebral;
  • lesões ou infecções da coluna.

Tipos de escoliose

A escoliose pode ser classificada em:

  • congênita (quando as deformidades da coluna vertebral são aparentes desde o nascimento);
  • neurológica (quando os músculos da coluna são afetados por anormalidades nervosas);
  • estrutural (quando a curvatura da espinha é causada por uma doença, lesão ou defeitos na coluna vertebral);
  • não estrutural (casos de escoliose temporária, ou seja, que podem ser corrigidos).

Complicações

Mesmo que a maioria das pessoas com escoliose tenha uma forma leve dessa condição, ela pode, às vezes, provocar algumas complicações. São as principais:

  • lesões pulmonares e cardíacas (por assumir uma curvatura lateral, a coluna com escoliose pode acabar fazendo pressão contra os pulmões e o coração);
  • dor crônica na coluna.

Diagnóstico

Durante a avaliação, o ortopedista observa a coluna vertebral com o paciente ereto, inclinado para a frente e para os lados. Quando é detectada uma curvatura anormal, é solicitada uma radiografia para avaliar a sua gravidade.
Dependendo do caso, um exame neurológico pode ser necessário para verificar se há fraqueza muscular, dormência ou reflexos anormais.

E, por fim: existe cura para a escoliose?

Normalmente, a escoliose não precisa ser tratada. No entanto, se ela começar a causar muito incômodo e deformidades perceptíveis, algumas opções podem ser recomendadas:

  • uso de coletes ortopédicos;
  • RPG (Reeducação Postural Globalizada);
  • outros exercícios fisioterápicos.

Em casos mais complicados, costumam ser considerados, também:

  • o uso de analgésicos, relaxantes musculares e/ou anti-inflamatórios;
  • cirurgia.

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.

Ortopedia

Formado em Medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais, fez residência em Ortopedia e Traumatologia no Hospital das Clinicas. Diretor do CMH medicina hospitalar. Foi diretor e presidente do Hospital Semper, Unimed e Amil. É membro da Academia Mineira de Medicina desde 2009.

Deixar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *