Canelite: o que é, sintomas e tratamento

Homem com roupa de corrida sentado no asfalto com as mãos na canela indicando dores na região proveniente da canelite

A canelite, também conhecida como síndrome do estresse tibial medial, ou periostite tibial, é uma inflamação dos músculos, tendões e tecido ósseo ao redor da tíbia (periósteo). É caracterizada por uma dor aguda na região das canelas e geralmente afeta pessoas que praticam atividades físicas moderadas e pesadas.
Para saber tudo sobre essa condição, continue conosco.

Causas

Normalmente, a canelite acontece quando:

  • força excessiva sobre o osso da canela, tecidos e músculos que o rodeiam, sobrecarregando-os (o impacto em demasia nessa região faz com que os músculos se inchem e aumentem sua pressão contra o osso, causando dor e inflamação).
  • Ocorrem reações de estresse a fraturas ósseas (pessoas que recebem batidas constantes nas canelas, como jogadores de futebol, por exemplo, podem sofrer pequenas rachaduras nos ossos da perna. O corpo, normalmente, repara essas rachaduras com o tempo. Porém, no caso dos atletas, que treinam constantemente, essas pequenas lesões podem resultar em uma fratura completa, que é o caso da canelite).
  • mudanças bruscas na atividade física em questão (podem ser de frequência, intensidade, velocidade, duração etc).

Além disso, existem outros fatores que também contribuem para periostite tibial. São eles:

  • ter os pés chatos, ou os arcos anormalmente rígidos;
  • praticar exercícios físicos com calçados impróprios ou desgastados;
  • ter fraqueza muscular nas coxas ou nádegas;
  • correr em superfícies inclinadas ou irregulares;
  • ser atleta (principalmente de esportes que possuem paradas e partidas rápidas), dançarino ou militar.

Sintomas

O sintoma que mais caracteriza a canelite, como já explicamos no começo deste artigo, é a dor nas canelas, ao longo da borda da tíbia. Ela pode vir acompanhada, ou não, de sensibilidade e inchaço no local, sensação de dormência e fraqueza nos pés, e dores musculares.
Além disso, vale ressaltar que essa dor pode se manifestar, inclusive, quando o paciente está em repouso.

Diagnóstico

A síndrome do estresse tibial medial, normalmente, já costuma ser diagnosticada pelo ortopedista durante um exame físico. Nele, o profissional estudará o local da lesão, realizará alguns movimentos e lhe fará algumas perguntas.
Para confirmar suas suspeitas e eliminar outras condições, o médico pode ainda pedir alguns exames de imagem como o raio-x, por exemplo.

Afinal: qual é o tratamento para a canelite?

Na maioria das vezes, a periostite tibial é controlada por meio do repouso (geralmente, o tempo de inatividade costuma ser de 2 semanas). Assim, a perna tem o período que precisa para descansar.
Nesse meio tempo, é importante obedecer as seguintes recomendações:

  • manter as pernas elevadas;
  • usar compressas de gelo para reduzir o inchaço;
  • caso preciso, tomar anti-inflamatório;
  • usar bandagens de compressão elásticas;
  • massagear as canelas com um rolo de espuma;
  • se você não quiser dar uma pausa nos exercícios, converse com o médico sobre a possibilidade de praticar atividades de menor impacto como natação e caminhada, por exemplo

Apesar de MUITO raro, algumas vezes o paciente precisará de cirurgia (fasciotomia) para se recuperar da canelite. Neste procedimento, o médico realiza pequenos cortes no tecido ao redor dos músculos da panturrilha. Isso faz com que parte da dor provocada pela periostite tibial seja aliviada.

Gostou do Texto? Para ler mais conteúdos como esse, fique de olho em nosso Blog e siga nossos perfis nas redes sociais (Facebook e Instagram)!

Ortopedia

Formado em Medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais, fez residência em Ortopedia e Traumatologia no Hospital das Clinicas. Diretor do CMH medicina hospitalar. Foi diretor e presidente do Hospital Semper, Unimed e Amil. É membro da Academia Mineira de Medicina desde 2009.

Deixar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *