Psicólogo negro atendendo um casal em seu consultório

Dra. Larissa Figueiredo

É coisa de maluco? Ah, dia daqueles que cuidam dos loucos, certo? Errado! Então é dia daquele que você paga para ser seu amigo e conversar com você? Errado novamente! É alguém para desabafar? Não!

Então, do que se trata? Me fale mais sobre isso! 

Infelizmente na nossa sociedade o trabalho do psicólogo ainda é visto como coisa de maluco!

E isso, nem Freud explica!

Mas o que é psicologia? 

O que poucos sabem é que a Psicologia é uma ciência que estuda o comportamento, os sentimentos e os processos mentais dos seres humanos. Estuda a aprendizagem, memória, linguagem, pensamento, desenvolvimento, emoções, perturbações psíquicas, e tudo o que envolve as relações das pessoas com elas mesmas e com os outros. 

Atualmente existem 12 especialidades da psicologia reconhecidas pelo Conselho Federal:

  • psicologia escolar/educacional;
  • psicologia organizacional e do trabalho;
  • psicologia de trânsito;
  • psicologia jurídica;
  • psicologia do esporte;
  • psicologia clínica;
  • psicologia hospitalar;
  • psicopedagogia;
  • psicomotricidade;
  • psicologia social;
  • neuropsicologia;
  • psicologia em saúde.

Psicologia clínica

Aqui iremos nos ater à psicologia clínica, área predominante no imaginário popular, logo a mais estigmatizada. 

Atire a primeira pedra quem nunca escutou que se for para conversar é melhor procurar um amigo que faz isso de graça, que psicólogos adivinham nossos pensamentos, que terapia é perda de tempo, invenção de moda, coisa de gente fraca. Todos nós conhecemos  alguém que afirma que sua terapia é no boteco, ou na academia, ou na prática de um hobby qualquer! 

E a resposta? Não, não é isso! A psicologia clínica não se restringe apenas ao tratamento, através da psicoterapia, das doenças mentais. Sua intervenção é vasta, vai da primeira infância à velhice, facilitando o desenvolvimento psíquico e seus desdobramentos. Cabe ao psicólogo ouvir atentamente o conteúdo que o paciente traz aos atendimentos para ajudá-lo na compreensão e elaboração do seu funcionamento mental e comportamental. Desta forma, busca-se expandir a consciência do paciente à respeito de si mesmo, diminuindo ou cessando seus sintomas, trazendo alívio ao sofrimento psíquico e proporcionando novas formas de pensar e agir.

Em suma, o psicólogo clínico acolhe, identifica a problemática do paciente, compreende o funcionamento do seu aparelho psíquico, melhora seus recursos internos. Desenvolve um novo olhar do paciente sob si mesmo e sob o mundo que o cerca, trazendo menos sofrimento a sua trajetória de vida.

Coisa de maluco é não procurar ajuda profissional quando necessário!

Quer saber mais sobre saúde mental? Acompanhe o Convite á Saúde pelo Instagram  e Facebook!