Pai e filha se abraçando e trocando olhares. Isso mostra o papel do pai na criação dos filhos.

Dra. Denise Brasileiro

Qualquer um pode cuidar de uma criança. Porém, tornar-se pai e criar bem seus filhos, fazendo com que eles cresçam bem e desenvolvam um laço afetivo forte com toda a família, é uma tarefa para o resto da vida.

Pensando nisso, criamos hoje um conteúdo especial. Aproveitando o mês de agosto, que tal enaltecermos o papel do pai na criação de seus pequenos, e provarmos por A + B o quanto ele é tão importante quanto a mãe durante esse processo?

Renove o café, dê um abraço no seu “velho” (ou lembre-se dele com carinho), sente-se confortavelmente e venha conosco.

O papel do pai no crescimento de seus filhos

Atualmente, os papéis dos pais na criação dos filhos estão misturados. Afinal, a mulher moderna também trabalha, passa horas fora do lar e os “homens da casa”, consequentemente, ganham mais responsabilidades com relação aos cuidados com os pequenos.

A grande verdade é que, tanto há 20 anos, quanto nos dias atuais, a criação dos filhos deve ser a dois. Pais, assim como mães, são pilares no desenvolvimento do bem-estar físico e emocional de uma criança. Neles, os filhos procuram por inspiração, segurança, coragem, cuidado e conforto.

Para se ter ideia, diversos estudos mostram que, quando os pais são afetuosos e dão bastante apoio aos seus pequenos, estes se desenvolvem cognitivamente e socialmente muito melhor, além de obterem maior sensação de bem estar e autoconfiança.

Além disso, não é novidade para ninguém que os pais não apenas influenciam quem somos por dentro, mas também como nos relacionamos com as pessoas à medida que crescemos. A maneira como um pai trata seu filho, por exemplo, influenciará no que ele ou ela procurarão em outras pessoas. Amigos, namorados e cônjuges serão todos escolhidos com base em como a criança percebeu o significado do relacionamento com seu pai.

Em outras palavras: os padrões que um pai estabelece nas relações com seus filhos ditarão como seus filhos se relacionarão com outras pessoas.

E como ser um pai melhor?

Sim, essa é uma pergunta que costuma ser feita por todos os papais de primeira, segunda e até mesmo quinta viagem. Ocorre que, quando pensamos em paternidade e maternidade, os papéis do homem nessa história parecem um pouco indefinidos. Afinal, é a mãe quem carrega o bebê por 9 meses, e o alimenta por, pelo menos, mais dois anos após o parto. Isso sem falar nas discrepâncias entre licenças maternidade (de, no mínimo, 6 meses) e paternidade (aprox. 1 semana).

Com esses fatos em vista, é normal que o pai se sinta um pouco deslocado no meio do processo de criação dos pequenos. Porém, aqui vão algumas dicas de como eles podem aprimorar o desenvolvimento de seus filhos em cada fase de duas vidas e, claro, ajudar as mães e eternas parceiras durante esse processo. Vamos lá?

A importância do pai antes do nascimento

Os pais podem se envolver durante a gravidez, acompanhando suas parceiras em todas as consultas médicas e se educando, junto a elas, sobre o funcionamento do parto e os primeiros meses de vida dos bebês.

Com o aumento da frequência de bebês que nascem com seus pais separados, é importante entender que existem outras formas de envolvimento positivo do pai durante e após a gestação. Ter um relacionamento saudável e de apoio com a mãe é essencial para que as crianças cresçam bem e em um ambiente seguro para elas.

O papel do pai durante os primeiros anos

Os bebês podem se unir e se relacionar com os pais da mesma maneira que o fazem com as mães. O homem pode desempenhar um papel importante no apoio ao aleitamento materno, por exemplo, tornando-se um apoiador durante o processo.

Cantar para o bebê, acariciá-lo e fazer com que ele entenda que o pai também está ali durante a amamentação são pequenas coisas que fazem com que os laços da família se fortaleçam ainda mais.

Além disso, pais que respondem ao choro de seu bebê, abraça-nos muito e participam de seus cuidados básicos (como alimentação, troca de fraldas etc) tendem a ter um efeito positivo sobre a autoconfiança e o comportamento de seus filhos. Estudos mostram que quando os pais estão mais envolvidos na infância, os filhos têm menos probabilidade de apresentar problemas de saúde. Forte, né?

Pais e modelos de referência masculinos, como avôs, tios e padrastos, são mais propensos do que mães a serem parceiros nas brincadeiras dos filhos. Afinal, eles são mais “tranquilos” e “menos cuidadosos” com os pequenos, encorajando-os a explorarem mais e serem independentes.

Os benefícios da presença ativa do pai na primeira infância

Filhos pequenos com pais que os elogiam, abraçam-os, beijam-os com frequência e os consolam quando estão tristes ou com medo, têm maior probabilidade de se darem bem na escola, e nas relações sociais, em comparação aos pequenos que não têm os pai tão envolvidos afetivamente em suas criações.

Estudos sugerem que pais amorosos e encorajadores, que respondem com calma quando seus filhos se comportam mal ou se aborrecem na medida certa, criam garotos menos agressivos e garotas que são menos negativas com seus amigos. Existem pesquisas que também mostram que, quando os pais estão envolvidos na criação de suas filhas desde cedo, elas correm menos risco de obterem experiências sexuais precoces e gravidez na adolescência.

A importância da presença do pai durante a adolescência

Adolescentes que recebem elogios e apoio de seus pais têm melhor desempenho escolar e maior participação nas tarefas da família, independentemente do status econômico desta.

Muitos estudos recentes mostram que o envolvimento do pai na adolescência diminui o risco de problemas de saúde mental ou comportamentos de risco, como envolvimento com roubo e drogas, por exemplo. Eles também mostram que os pais envolvidos criam meninos com menos problemas comportamentais e meninas com menos problemas psicológicos.

Por isso, é importante manter um diálogo franco e aberto com os filhos. Assim, eles sabem que podem confiar em ambos os pais, e contar com eles para o que der e vier.

Enfim…

Viu como o papel do pai na criação dos seus filhos é importante? Ele, assim como a mãe, tem um papel fundamental no desenvolvimento emocional, social e cognitivo de suas “crias”.

Então sim, papais. Esse mês é de vocês. Aproveitem-no para se educarem ainda mais e se tornarem os “melhores homens da casa” de todos.

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.