Mau hálito: quais são suas causas e como acabar com ele?

Mulher tampando a boca com as mãos indicando que ela tem mau hálito.

Também conhecido como halitose, o mau hálito pode ser bastante incômodo, desagradável e até mesmo embaraçoso. Além disso, dependendo da situação, provoca muita ansiedade, ainda mais para as pessoas que o têm de forma recorrente.

Na maioria das situações, a halitose pode ser provocada por certos alimentos, má higiene bucal, alguns medicamentos, infecções e por hábitos como fumar, fazer jejum intermitente e beber pouca água.

Em muitos casos, é possível resolver esse problema apenas por meio de uma rotina bem estabelecida de saúde bucal (incluindo as visitas periódicas ao dentista). Para situações mais urgentes, técnicas rápidas como escovar os dentes, bochechar um pouco de enxaguante bucal ou mascar um chiclete de menta costumam funcionar bem.

Contudo, o hálito ruim pode ser um indicativo de doenças e condições mais sérias e, por isso, merece nossa atenção. Pensando nisso, preparamos um artigo com tudo o que você precisa saber sobre esse assunto. Vamos lá?

Principais causas do mau hálito

O mau hálito pode se originar dentro e/ou fora da boca. Geralmente causado por bactérias presentes nos dentes e língua, não é de se espantar que sua principal causa seja a falta de higiene bucal. Porém, ela ainda pode estar associada a uma série de outros fatores como:

  • Certos alimentos e bebidas: cebola, alho, especiarias, condimentos, carne vermelha, frituras, bebidas alcoólicas, laticínios e café são alguns exemplos de alimentos que podem provocar halitose.
  • Tabagismo: fumar, por si só, já deixa o hálito ruim. Porém, além disso, o tabaco, seja em forma de cigarro ou mastigável, aumenta os riscos para algumas doenças gengivais que, obviamente, provocam halitose.
  • Boca seca: devido à diminuição da produção de saliva, a boca pode ficar com odor e até mesmo gosto ruim. Isso normalmente acontece quando a pessoa bebe pouca água, sofre de uma condição chamada xerostomia ou após algumas horas de sono dormindo de boca aberta (crianças respiradoras orais ou adultos roncadores);
  • Hábitos: ficar sem comer por muito tempo, beber pouca água, fazer dietas “low carb” – em que o corpo entra em cetose, por exemplo, são fatores que podem contribuir para a halitose.
  • Medicamentos: aqueles que deixam a boca mais seca, facilitam a ocorrência do mau hálito;
  • Infecções na boca: o mau hálito pode ser causado por feridas e/ou doenças gengivais;
  • Algumas condições de boca, nariz e garganta: a halitose pode ser ocasionada, também, por cáseos, que são aquelas bolinhas mau cheirosas que podem ser vistas nas amígdalas e muitas vezes são confundidas com “infecção de garganta”. Elas são, na realidade, acúmulo de resíduos alimentares e restos epiteliais que se alojam nas criptas amigdalianas. Além disso, ela ainda pode ser provocada por infecções/inflamações crônicas de boca, nariz ou garganta como, por exemplo, sinusite, amigdalite, infecções respiratórias etc;
  • Algumas doenças: condições como refluxo, úlceras estomacais, azia e até mesmo alguns tipos de câncer podem causar mau hálito.
  • Objetos: principalmente em crianças pequenas, o mau hálito pode ser causado por corpos estranhos, como pedaços de comida e brinquedos, que as mesmas podem introduzir nas narinas.

E como resolver o mau hálito?

Geralmente, manter uma boa higiene bucal já é o suficiente para melhorar o mau hálito. Em outras palavras:

  • escove os dentes três vezes ao dia, principalmente após as principais refeições, e dê atenção a todas as superfícies e cantos da boca;
  • escove/raspe a língua;
  • use o fio dental pelo menos uma vez ao dia;
  • faça bochecho com enxaguantes bucais sem álcool uma vez por semana.

Vale ressaltar que, se a causa para o seu mau hálito é alguma doença/condição, a melhor forma de acabar com ele é fazer o tratamento correto

E, por fim: dicas para evitar a halitose

 

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.

Otorrinolaringologia

Deixar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *