Cachorro se alimentando em uma vasilha de metal

Dra. Leila Barwinkel

Pêlos opacos, sem brilho, com falhas, pele seca e muita coceira. Sabia que isso pode ser resultado de uma má alimentação?

Carboidratos (presentes em 30%-60% nos alimentos industrializados, leia-se ração), proteínas de baixa qualidade (baixo valor biológico/baixa digestibilidade), corantes e conservantes artificiais (BHT/BHA). Já pensou tudo isso reunido em um só alimento? E seu pet comendo isso a vida toda?

Além de prejudicar a saúde do seu cão, a pele é um dos órgãos que mais vai sofrer com a má alimentação!

Causas de alergia

Os maiores causadores de alergia de pele nos cães são:

  • excesso de carboidratos, principalmente grãos como milho, soja e trigo transgênico;
  • utilização de proteínas de baixa qualidade.

Carboidratos e alergia de pele

Seu cão pode consumir alguns carboidratos, desde que de boa qualidade e na quantidade correta. Boas alternativas são tubérculos cozidos (mandioca, batata- doce e abóbora) e arroz integral. Eles têm fácil digestão e bom aproveitamento pelo organismo.

Por terem baixo índice glicêmico mantém o cão saciado por mais tempo e não contribuem para o estado inflamatório causado pela elevação crônica da insulina.

O milho e o trigo são os carboidratos que mais causam sensibilidade e alergia nos cães. Infelizmente, eles são os mais usados na indústria para produção de ração e, muitas vezes, substituem a proteína animal para fazer com que o alimento fique mais barato.

Proteínas de má qualidade

As proteínas estão presentes em todos os produtos animais e são o componente principal da dieta de um cão: carne, vísceras, ovos, leite e derivados.

Porém, o custo elevado desses produtos faz com que a indústria busque alternativas para a proteína utilizada nos alimentos dos animais.

Pêlos, pele e unhas, e outras partes contendo proteínas de baixo valor biológico, são muitas vezes utilizadas nas rações. Elas não têm um bom aproveitamento pelo organismo e a saúde dos animais sofre pela falta de nutrientes de qualidade.

Então.. como escolher a melhor ração?

No momento da decisão da compra de um alimento industrializado (ração), é preciso analisar o perfil nutricional deste produto. Devemos prestar atenção À QUALIDADE da proteína, e não somente à QUANTIDADE! A origem da má alimentação está neste erro!

Para isso, observe com atenção a composição básica descrita no rótulo. Exemplo: subprodutos de carnes (miúdos) e farinhas são componentes que aumentam a quantidade de proteína descrita no rótulo da embalagem. Porém, possuem pouca digestibilidade, ou seja, o animal não absorverá essa matéria prima tão importante para ter uma pele/pêlos saudáveis.

Fiquem atentos, então, à QUANTIDADE e à DIGESTIBILIDADE DAS PROTEÍNAS DA DIETA DO SEU AMIGO PELUDO!

Para reforçar a saúde da pele, devemos fornecer uma dieta também rica em ômegas (EPA/DHA), vitaminas e minerais, que são fundamentais para proporcionar uma pele íntegra, principalmente em cães alérgicos, para uma boa manutenção da barreira cutânea.

Não podemos esquecer dos corantes e conservantes artificiais (BHT/BHA). Eles podem induzir reações alérgicas, causando muita coceira (prurido), queda de pêlos e lesões de pele. Por isso, opte por alimentos conservados à base de antioxidantes naturais como vitamina E e Alecrim.

Enfim, atualmente existem muitas opções de alimentos no mercado para seu cão que se preocupam com todos esses componentes! Há novas rações com nutrientes selecionados e, caso você opte por dieta caseira (que pode trazer MUITOS BENEFÍCIOS SE BEM formulada), procure um veterinário nutrólogo!

Má alimentação do seu amigo peludo? Aqui não!

Lambeijos para vocês!

Gostou do texto? Visite a editoria Saúde do Animal e saiba como manter a saúde do seu melhor amigo. Nossos veterinários têm muito para contribuir. Acesse, também, nosso Facebook e Instagram para ficar por dentro de tudo sobre o universo pet.