Jato de plasma: como tratar a flacidez nas pálpebras?

Close de olho de uma mulher com dedo apontando para a pálpebra caída. Uma das formas de tratar é o jato de plasma.

Os olhos são a janela da alma porque eles, definitivamente, não mentem… principalmente no que diz respeito à nossa idade. Ocorre que, ao longo dos anos, nossa pele perde um pouco de sua elasticidade e hidratação. Isso acontece, especialmente, porque o organismo produz cada vez menos colágeno, elastina e ácido hialurônico.

Para “piorar” um pouco a situação, ainda contamos com o efeito da gravidade. Sendo assim, o excesso de pele que decorre da flacidez faz com que ela “caia”. Esse efeito é notado, principalmente, em regiões da face como as bochechas, laterais da boca e, claro, os olhos (especialmente as pálpebras).

Apesar de ser um “infortúnio” puramente estético, a flacidez nas pálpebras pode causar desconforto e, a depender do caso, costuma atrapalhar a visão. Uma das alternativas mais procuradas é uma cirurgia conhecida como blefaroplastia. No entanto, hoje venho com uma solução muito mais segura e minimamente invasiva: o jato de plasma.

O que é e como funciona?

O jato de plasma é uma excelente opção para quem deseja amenizar a flacidez nas pálpebras e, claro, em outras regiões do rosto. Além disso, ela é útil no tratamento para verrugas, manchas, cicatrizes e estrias.

Funciona assim: a pele, com o passar dos anos, sofre o “fechamento” de canais que, a priori, são essenciais para o transporte de nutrientes e água ao longo dela. Então, assim como qualquer outro órgão, ela passa a reter líquidos, especialmente aqueles ricos em potássio e sódio.

O plasma, então, gerado por meio de correntes elétricas contínuas, permite a reabertura destes canais e, consequentemente, o equilíbrio de fluidos entre os tecidos.

Isso, deixando o “mediquês” de lado, significa que esse procedimento promove o rejuvenescimento da pele, deixando-a completamente hidratada e munida de todos os minerais que precisa para se manter plena.

Todo esse processo, por fim, provoca uma retração imediata das pálpebras, fazendo com que elas fiquem menos caídas e mais elásticas. Além disso, o atrito entre o jato de plasma e os tecidos da pele faz com que um mecanismo de regeneração seja iniciado.

Para tal, o organismo estimula a produção de colágeno, mantendo a região firme e prolongando os efeitos do tratamento.

O procedimento

Uma sessão de aplicação de jato de plasma costuma durar 30-40 minutos e os resultados já são perceptíveis ao longo da primeira semana após o tratamento. Geralmente, o número de sessões indicadas gira em torno de 3 a 5 sessões com intervalos de 30 dias entre cada uma delas.

Nas primeiras 48 horas de recuperação, é comum que a pele fique um pouco avermelhada e sensível. Esses efeitos costumam durar pouco e desaparecem sozinhos, não exigindo nenhum tipo de intervenção por parte do paciente.

Sobre os cuidados pós-procedimento, a conduta é básica: evitar exposição ao sol e aplicar filtro solar todos os dias antes de sair de casa, retocando-o a cada 2 horas. Além disso, é interessante evitar exercícios muito intensos por 72 horas após a sessão e, para ajudar no processo de cicatrização, aplicar um pouco de bepantol ou cicaplast em toda a região.

E, por fim: existem contraindicações para o jato de plasma?

Sim. São elas:

  • ter um histórico de herpes;
  • usar medicamentos anticoagulantes;
  • ter predisposição a queloides;
  • estar com inflamações ou ulcerações no local a ser tratado;
  • usar marcapasso e/ou próteses metálicas.
 

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.

Dermatologia

Médico, especialista em dermatologia. Especialista em tratamentos dermatológicos cosmiátricos e em laser.

Deixar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *