Vista de cima de uma criança acordada na cama por causa da insônia comportamental

Dra. Denise Brasileiro

A “criança moderna” está cada vez mais apresentando alterações comportamentais que deixam seus pais enlouquecidos! Não dormem, não comem e só querem ver TV e brincar no celular/iPad.

Em relação ao sono, 20 a 30% das crianças entre 6 meses a 7 anos de idade apresentam a insônia comportamental. Esse distúrbio reflete a forma pela qual as crianças estão sendo criadas: sem limites e ditando todas as regras.

Nessas faixas de idade, as crianças estão lidando a todo momento com os processos de autonomia, o que exige dos pais e cuidadores uma adaptação aos seus desejos.

Normalmente a criança desperta várias vezes durante a noite, principalmente no final de cada ciclo do sono, e volta a dormir espontaneamente.

E como funciona a insônia comportamental?

Crianças que foram acostumadas a dormir com a participação de estímulos para iniciar o sono, por exemplo, necessitarão desse mesmo estímulo para voltarem a dormir.
Tais estímulos são, na maioria das vezes, o uso de alimentos como mamadeiras, TV ligada, colo ou a cama dos pais. Dessa forma, ficam incapazes de adormecerem por conta própria.

As noites tornam-se momentos difíceis, com um aumento progressivo do déficit de sono das crianças e do cansaço dos pais e cuidadores. Essa privação do descanso pode resultar em prejuízos na alimentação da criança, nas atividades ao ar livre, sonolência diurna e aumento dos comportamentos de birras.

E como lidar com a insônia comportamental na infância?

O tratamento deste distúrbio não é feito através do uso de medicamentos, mas sim na retirada progressiva da assistência dos pais, ou cuidadores, tanto no início do sono quanto nos períodos dos despertares noturnos.

Os pais não devem ir ao quarto da criança assim que ela despertar. Podemos fazer a extinção gradual, que consiste em aumentar progressivamente o número de minutos (3, 5, 7, 10 e 15) antes de ir ao quarto do pequeno que desperta e não volta a dormir sozinho. Nas crianças maiores de 1 ano, pode-se oferecer um objeto de transferência, como uma boneca ou um ursinho.

A alimentação noturna deve ser retirada de forma gradual. As refeições devem serem feitas no período diurno, mesmo no caso de crianças que se alimentam inadequadamente.

A família deve compreender porque os limites são importantes, como estabelecê-los e como criar uma rotina agradável para a criança (e para a própria família) antes de ir para a cama.

Higiene do sono: uma técnica eficaz para curar a insônia comportamental infantil

Objetivo:

Promover hábitos de sono saudáveis para toda a vida da criança.

Quando iniciar:

Do terceiro ao quarto mês de idade.

Procedimentos para estabelecer a higiene do sono:

  • colocar a criança acordada na cama (sonolenta, mas acordada);
  • estabelecer horário para o pequeno dormir;
  • ritual do sono: implementar uma rotina calma antes de dormir, evitando brincadeiras e atividades agitadas;
  • evitar que a criança adormeça mamando;
  • evitar embalar a criança;
  • não ligar a TV ou músicas na hora de colocar o pequeno para dormir;
  • a criança deve adormecer na mesma cama ou berço em que vai dormir durante toda a noite;
  • não atender a criança rapidamente quando ela acordar durante a noite;
  • evitar acender a luz e tirar a criança da cama;
  • o quarto de dormir deve ter pouca luminosidade, ambiente calmo, sem ruídos ou aparelhos eletrônicos e com temperatura agradável;
  • promover atividades ao ar livre durante o dia;
  • evitar dormir após as 15 horas.

Os perigos do débito crônico de sono

O débito de sono nada mais é que a diferença entre a quantidade de sono que as pessoas precisam para descansarem completamente, e a quantidade que elas REALMENTE conseguem ter.

Quando este saldo fica baixo nos pequenos, seja pela insônia comportamental infantil ou quaisquer outros motivos, as manifestações clínicas costumam ser:

  • hiperatividade;
  • irritabilidade;
  • distúrbios do humor;
  • quadros de birras e desobediência;
  • comprometimento de habilidades cognitivas;
  • distúrbio do aprendizado escolar;
  • sonolência diurna;
  • recusa a participar de brincadeiras;
  • anorexia;
  • alteração da curva de crescimento;
  • aumento no número de doenças infecciosas.

Viu como o sono é importante? Para evitar, então, que este débito ocorra, é necessário somar nossas dicas de como fazer o pequeno dormir bem, com o aprendizado de quanto tempo ele precisa para descansar de forma apropriada. Veja, a seguir, de quantas horas de sono uma pessoa necessita de acordo com a idade:

Recém-nascido até 3 meses:

  • Não diferencia dia e noite;
  • Dorme em torno de 16 a 20 horas por dia;
  • Períodos de sono de 3 a 4 horas intercalados com 1 a 2 horas acordado.

3 meses

  • Consolidação do sono noturno;
  • Diferença dia x noite (ciclo circadiano);
  • Diminuição do sono diurno.

6 meses

  • 12 a 13 horas de sono em 24 horas;
  • 2 a 3 sonecas diurnas.

12 meses

  • 11 a 13 horas de sono em 24 horas;
  • 2 sonecas diurnas.

3 anos

  • 11 a 12 horas de sono em 24 horas;
  • 1 ou nenhuma soneca diurna.

6 anos

  • 10 a 11 horas de sono em 24 horas;
  • Sem sonecas diurnas.

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.