5 incômodos comuns nos olhos e o que eles representam

Mulher de óculos coçando um dos olhos por estar com um dos incômodos nos olhos.

Há quem diga que os olhos são a janela da alma, a linguagem do coração e o espelho do mundo (ou, no mínimo, um convite para explorá-lo). Bem, independentemente do que eles representam, uma coisa é certa: cuidar da visão é essencial para vivenciar todas essas metáforas, e muitas outras que a vida tem a oferecer.

É claro que o princípio básico para zelar pela saúde não só dos olhos, mas de qualquer parte do corpo, é manter as avaliações periódicas em dia e fazer boas escolhas de vida. Porém, nosso dia-a-dia muitas vezes é cercado por imprevistos que, a depender da situação, merecem um cuidado maior de nossa parte.

Sendo assim, a pergunta que não quer calar é: de vez em quando, é normal sentirmos certos incômodos nos olhos? Nesse caso, o que eles representam e qual é o momento de procurar por ajuda profissional? Bem… para saber a resposta, continue conosco!

São 5 sinais e sintomas de alerta que provocam incômodos nos olhos:

1. Dor nos olhos

A dor é considerada uma das principais aliadas quando o assunto é saúde. Afinal, ela é um dos indicativos mais evidentes de que há algo errado com o nosso corpo.

Na região dos olhos, esse tipo de sintoma é geralmente causado por:

Dores agudas e intensas são consideradas urgências oftalmológicas, principalmente quando vêm acompanhadas de outros sintomas como visão dupla, vômito, perda de visão, sensação de corpo estranho etc.

Vale ressaltar, também, que o desconforto nem sempre é proporcional à gravidade do problema. Às vezes, por mais que a dor possa ser tolerável, ela pode indicar uma doença grave e com sérias consequências! Sendo assim, não deixe de procurar pelo oftalmologista em situações como esta, combinado?

2. Ressecamento ocular

O ressecamento ocular é um dos incômodos nos olhos mais comuns da atualidade. Isso acontece, principalmente, porque estamos cercados por telas que nos obrigam, e muito, a forçar a visão. Além disso, é comum que, com o passar dos anos, haja uma diminuição na quantidade e qualidade das lágrimas.

Porém, é preciso entender que até mesmo estes casos precisam de atenção. Afinal, é por meio da lubrificação que os olhos adquirem proteção, hidratação e nutrição.

São sintomas de olho seco:

  • ardor;
  • sensação de areia nos olhos;
  • visão embaçada;
  • vermelhidão;
  • secreção mucosa.

Ademais, a secura neste órgão pode, ainda, indicar certas doenças sistêmicas como, por exemplo:

  • artrite reumatoide;
  • síndrome de Sjögren;
  • penfigoide cicatricial;
  • rosácea;
  • lúpus eritematoso sistêmico;
  • síndrome de Stevens Johnson.

O tratamento para o ressecamento ocular é feito com colírios lubrificantes. Porém, é importante determinar a causa exata do problema para que esta também possa ser abordada. Sendo assim, caso você esteja sentindo um incômodo desse tipo, não hesite em procurar por um oftalmologista.

3. Fotofobia

A fotofobia, como o próprio nome indica, é uma sensibilidade exacerbada (ou até mesmo aversão) à luz. É comum em pessoas de olhos claros, ou que têm astigmatismo.

Porém, quando surge subitamente e, especialmente, acompanhada de dor, precisa de atenção. Afinal, pode ser um indicativo de alguma doença ocular mais séria, como:

Sendo assim, caso você sinta um incômodo nos olhos como a sensibilidade exagerada à luz, marque uma consulta com o seu oftalmologista.

4. Moscas volantes e fotopsias

Você com certeza já notou alguns pontinhos pretos flutuantes em sua visão que, “misteriosamente”, movimentam-se com os seus olhos. A boa notícia é que, na maioria das vezes, eles não são motivo de preocupações.

Esse tipo de incômodo recebe o nome de “moscas volantes” e acontece quando o corpo vítreo, uma substância gelatinosa que preenche os nossos olhos, sofre alguma alteração.

É importante citar esse, e outros tipos de percepções oculares “estranhas” ao oftalmologista durante as avaliações periódicas. Afinal, eles sempre podem indicar algo mais sério.

Apesar de raro, é conveniente saber que as moscas volantes, quando aparecem subitamente, podem sinalizar descolamento da retina.

5. Olho vermelho

Por fim, chegamos a um dos incômodos nos olhos mais comuns e, com certeza, experienciado por todos nós por, pelo menos, uma vez na vida: a vermelhidão dos olhos.

Este é um tópico complicado, pois um olho vermelho é um sinal presente em praticamente todas as doenças oftalmológicas. É por isso que o seu diagnóstico depende muito da avaliação das alterações associadas. Exemplo: na conjuntivite, a vermelhidão vem acompanhada de coceira, secreção e lacrimejamento.

Sendo assim, a melhor forma de entender o que está acontecendo com os seus olhos, principalmente no que diz respeito a esse tópico, é procurando pela ajuda de um oftalmologista. No mais, aí vão algumas doenças oculares comuns que apresentam esse tipo de sintoma:

  • pterígio;
  • uveíte;
  • glaucoma;
  • alergias;
  • síndrome do olho seco;
  • lesões e traumas na região.

No mais…

A grande verdade é que, independentemente do tipo de incômodo nos olhos, é de suma importância que você mantenha as consultas de rotina ao oftalmologista em dia, combinado? Assim, todas as belezas e mistérios do universo poderão ser experienciadas na maior intensidade possível!

Cuide-se, e até a próxima!

 

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.

Oftalmologia

Médica, especialista em Oftalmologia. Trabalha com Catarata, Córnea e Lentes de Contato. Membro do corpo clínico do CMH Medicina Hospitalar.

Deixar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *