Qual a importância do sono para a saúde?

Mulher dormindo tranquilamente na cama, mostrando a importância do sono para a saúde

No dia 18 de março é comemorado o Dia Mundial do Sono, e essa celebração não é por acaso. É durante ele que o organismo exerce as principais funções restauradoras do corpo como, por exemplo, repor energias e regular o metabolismo.

Por isso, dormir bem é uma recomendação médica. Especialistas indicam, em média, 8 horas diárias de sono, sem interrupções. Porém, atenção! Essa quantidade varia de acordo com a idade:

  • para adultos – de 7 a 8 horas;
  • para adolescentes – de 8 a 10 horas;
  • para crianças – de 9 a 13 horas;
  • para bebês – de 12 a 16 horas.

Porém, essa quantidade está cada vez sendo menos seguida pelos brasileiros. Para se ter ideia, uma pesquisa realizada pelo Instituto do Sono mostra que 55,1% dos entrevistados relataram piora do sono na quarentena.

Por isso, nesse texto vamos falar sobre a importância do sono para a saúde, quais doenças são causadas pela falta deste, além de dicas para dormir melhor. Vamos lá?

O que acontece com o corpo quando dormimos mal?

Você certamente já quis não estar com sono em um certo momento do dia. Sim, esse sentimento é normal devido à vida agitada que levamos ultimamente. Porém, sinto em lhe informar que o corpo humano foi minimamente projetado para dormir.

O sono é uma função essencial para o corpo e, quando dormimos mal, são algumas das consequências que podemos enfrentar:

  • aumento do risco para doenças como depressão, doenças cardíacas, derrames e até alguns tipos de câncer;
  • diminuição do metabolismo, já que a melatonina regula a ação da insulina e ajuda a reduzir o peso;
  • enfraquecimento do nosso sistema imunológico. O sono libera hormônios que queimam gordura e estimula o sistema imunológico, combatendo infecções e doenças;
  • dificuldade para qualquer atividade que seja (isso acontece porque seu cérebro fica mais cansado);
  • aumento do risco para diabetes, já que não dormir bem faz com que o corpo produza mais cortisol, hormônio do estresse, responsável pela resistência à insulina;
  • olheiras e linhas de expressão mais evidentes;
  • possível diminuição da libido, já que o corpo sofre com o cansaço e o estresse.

Doenças causadas pela falta de sono

Diante dos efeitos que o corpo sofre com a falta de sono, algumas doenças vêm como consequência desse descuido com sua saúde. Listamos abaixo algumas delas:

  • Hipertensão e doenças cardiovasculares: distúrbios do sono podem causar irregularidade nos batimentos cardíacos, além de levarem a outras doenças mais graves relacionadas ao coração.
  • Obesidade: como atrapalha no bom funcionamento do metabolismo, a falta de sono pode contribuir para o ganho excessivo de peso.
  • Transtornos mentais e emocionais: pessoas que dormem mal apresentam uma alta possibilidade de desenvolverem transtornos depressivos.
  • Alterações imunológicas e resfriados: noites mal dormidas podem diminuir a capacidade do corpo de combater e resistir à infecção. Quem dorme menos de 7 horas por dia aumenta em três vezes a chance de resfriados.
  • Diabetes: a falta de controle do açúcar no sangue também pode estar ligada diretamente à privação do sono, causando diabetes tipo 2.

Transtornos do sono

Alguns outros fatores podem contribuir para que você tenha problemas com o sono. Esses distúrbios e transtornos devem ser tratados quanto antes. Por isso é importante uma avaliação médica para identificar o real problema e indicar o melhor tratamento.

Alguns desses transtornos são:

  • apneia do sono: aqui, o paciente apresenta um aumento de tecidos moles como amígdala, pólipos nasais e adenoides, influenciando o fechamento da via aérea;
  • ronco: ruído que se origina a partir do fechamento da via aérea superior;
  • insônia: dificuldade em iniciar ou manter o sono, e o despertar precoce.

Conheça as fases do sono

Você sabia que a quantidade de tempo e a qualidade do sono que se dorme pode favorecer todo o ciclo de descanso para o organismo? Isso acontece porque o sono é dividido em fases. Vamos conhecê-las?

  • Primeira fase: é um meio termo entre estar acordado e dormindo, ou seja, a pessoa está adormecendo. Nessa fase, o cérebro trabalha de forma irregular e o corpo relaxa.
  • Segunda fase: sono leve. É quando a temperatura do corpo e os batimentos cardíacos diminuem.
  • Terceira fase: sono profundo. É quando as ondas cerebrais diminuem o ritmo.
  • Quarta fase: aqui, o organismo libera hormônios de crescimento, os tecidos se recuperam e o corpo repõe o que foi gasto de energia.
  • Quinta fase: só nessa fase a pessoa começa a sonhar. Nesse momento, o cérebro está mais acelerado e realizando uma “faxina de memória” sobre as informações importantes do dia.

Adotar alguns hábitos para dormir bem é uma necessidade clínica. Ter um boa noite de sono fará com que você consiga realizar todas as tarefas propostas para o dia, além de garantir uma vida mais saudável.

Dicas para dormir bem

Já tentou de tudo e não consegue dormir bem? Alguns hábitos simples podem ajudar para que você tenha uma noite de sono tranquila. Para isso, siga as recomendações abaixo:

  • evite alimentos estimulantes antes de se deitar. Canela, café, pimenta e excesso de açúcar podem atrapalhar na sua noite de sono. Foque em manter uma dieta leve no período noturno.
  • Faça exercícios físicos. Além de manter a saúde, eles diminuem os níveis de estresse e ansiedade.
  • Diminua as telas. Dormir assistindo televisão ou mexendo no celular pode atrapalhar.
  • Evite cigarro e álcool. Essa recomendação poderia servir para qualquer assunto, não é mesmo?
  • Alimente-se bem. Uma dieta rica em nutrientes e vitaminas contribui para o funcionamento equilibrado do organismo, impactando seu sono.
  • Evite pensar em problemas ou preocupações do dia-a-dia.
  • Evite cochilos longos durante o dia. Isso pode atrapalhar uma noite de sono completa, fazendo com que você acorde diversas vezes durante a noite.
  • Se exponha ao sol durante o dia, pois isso ajuda no ciclo circadiano (lembre-se de usar filtro solar!).
  • Tenha uma cama confortável e mantenha o quarto escuro e silencioso.
  • Tenha uma rotina para dormir. Horários certos fazem com que seu corpo acostume com a necessidade do sono.
  • Procure finalizar seu dia de trabalho 3 ou 2 horas antes de se deitar. Assim, seu corpo irá abaixar a adrenalina do dia e você terá uma noite de sono melhor.

No mais…

É importante ressaltar que, se você já seguiu as recomendações acima e, mesmo assim, continua com problemas para dormir, é preciso procurar um especialista.

Uma dica é procurar um neurologista. Ele conseguirá realizar todos os exames necessários e indicar o melhor tratamento, além de encaminhar o seu caso para outro profissional, caso seja preciso.

 

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.

Neurologia

Médica oftalmologista e idealizadora do Convite à Saúde. Atualmente atende na Clínica Advision, nas especialidades de plástica ocular e cirurgia de catarata. Paralelamente, escreve e coordena o departamento de redação do portal, além de prestar consultoria na área de auditoria médica.

Deixar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *