Hipertireoidismo: o que é, causas, sintomas e tratamentos

Mulher com as mão na cabeça sendo examinada por um médico

O hipertireoidismo é uma doença causada pela superprodução do hormônio da glândula tireoide. O acúmulo dessa substância no organismo pode propiciar um aumento no metabolismo basal do paciente, aumento da frequência cardíaca, arritmias, sudorese, nervosismo e irritabilidade.

Quais são as principais causas do hipertireoidismo?

  • Doença de Graves;
  • Bócio nodular tóxico;
  • Tireoidites;
  • Medicamentoso (excesso de tiroxina no tratamento de hipotireoidismo);
  • Tumor benigno na glândula hipofisária que pode causar hiperatividade da tireoide.

Fatores de risco

  • ser do sexo feminino;
  • ter história familiar de doenças da tireoide, incluindo doença de Graves;
  • ter doenças autoimunes como diabetes mellitus tipo 1, doença celíaca ou anemia perniciosa.

A tireoide é responsável pela produção de hormônios que regulam o funcionamento e atuam em diversos sistemas do nosso organismo. Sendo assim, as manifestações são variadas e o diagnóstico pode simular diversas outras doenças.

O hipertireoidismo e seus SINTOMAS

  • Aumento da frequência cardíaca, arritmias ou palpitações;
  • nervosismo, ansiedade e irritabilidade;
  • tremores nas mãos e nos dedos;
  • sudorese aumentada;
  • mudança no ciclo menstrual;
  • mudança no hábito intestinal;
  • fraqueza muscular, cansaço;
  • dificuldades no sono;
  • cabelo fino e quebradiço;
  • aumento da pressão arterial;
  • aumento do tamanho da tireoide (bócio).

Complicações

  • Problemas cardíacos como aumento da frequência, fibrilação atrial e insuficiência cardíaca.
  • Ossos frágeis devido à dificuldade da incorporação de cálcio nos ossos.
  • Risco de crise tireotóxica, evidenciada por um agravamento súbito dos sintomas seguidos por febre, pulso rápido e delírio. Este quadro requer atenção médica imediata.
  • Alterações oftalmológicas e dermatológicas.

Diagnóstico

Para confirmar o diagnóstico é necessária a realização de exames complementares como:

  • Exames sanguíneos para medir os hormônios tireoidianos.
  • Ultrassom da tireoide para avaliar a presença de nódulos.
  • Cintilografia, que usa uma substância radioativa para criar uma imagem da tireoide e identificar áreas de hiperatividade.

Hipertireoidismo tem cura?

O tratamento do hipertireoidismo inclui o uso de medicações (comprimidos), técnicas com substâncias específicas (iodo) e, em casos específicos, a retirada da tireoide.
Tanto o diagnóstico como o tratamento devem ser feitos por médicos especializados para que a doença seja devidamente tratada, e as comorbidades e riscos trazidos pela patologia sejam evitadas.

E aí, gostou do texto? Para ler mais conteúdos como este, fique de olho em nosso Blog e siga nossos perfis nas redes sociais (Facebook e Instagram)! Estamos te esperando.

Endocrinologia

Médico, especialista em clínica geral. Pós graduação em Medicina Molecular e Doenças Osteometabólicas, na Universidade Federal de Minas Gerais.

Deixar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *