Hemorroidas: o que você precisa saber?

Em um escritório, mulher com hemorroida sentada com dor na região do ânus

As hemorroidas nada mais são que veias dilatadas, inflamadas e/ou doloridas que se localizam na parte inferior do reto e ao redor do ânus. A título de curiosidade, elas são bastante similares às varizes das pernas.

Acredita-se que uma das maiores causas para essa condição se deve ao fato de que nós, seres humanos, somos criaturas eretas. Isso faz com que os vasos sanguíneos localizados na região pélvica, por exemplo, lutem continuamente contra a gravidade para levar o sangue de volta ao coração.

Porém, fique tranquilo(a). No decorrer desse artigo, você saberá tudo o que precisa não só sobre os fatores de risco para as hemorroidas, mas também seus sintomas e tratamentos. Vamos lá?

Tipos de hemorroidas (e seus respectivos sintomas)

Existem dois tipos de hemorroidas: internas, que ocorrem na parte inferior do reto, e externas, que se desenvolvem sob a pele ao redor do ânus.

Normalmente, as hemorroidas internas são indolores e, portanto, imperceptíveis, a não ser quando provocam sangramento. No entanto, é preciso se atentar ao fato de que elas podem, eventualmente, se estender para além do ânus.

Tudo isso, a longo prazo, pode causar desconforto ao evacuar, sangue nas fezes e prurido anal.

As hemorroidas externas, por sua vez, são as mais incômodas, podendo causar:

  • coceira e/ou irritação na região anal;
  • dor ou desconforto ao evacuar, sentar-se, andar de bicicleta etc;
  • inchaço ao redor do ânus;
  • sangramento.

Por fim, se um coágulo de sangue se formar dentro de uma hemorroida externa, o quadro recebe o nome de trombose hemorroidária e costuma causar:

  • formação de um caroço na região do ânus;
  • dor forte.

Causas

Tradicionalmente, as hemorroidas são muito associadas a fatores como a constipação e o esforço excessivo durante as evacuações.

Porém, é importante saber que não só esses, mas quaisquer outros eventos que interfiram no fluxo sanguíneo para a região anal (e aumentem a pressão no local) podem causar a dilatação dos vasos. Isso explica, por exemplo, por que essa condição é tão comum durante a gravidez, quando o útero dificulta o retorno do sangue para o coração.

No mais, aí vão outros fatores de risco para as hemorroidas:

  • obesidade;
  • relação sexual anal;
  • dieta pobre em fibras;
  • levantamento regular de peso excessivo.

Diagnóstico

As hemorroidas são geralmente diagnosticadas por meio de um simples histórico médico e, claro, de um exame físico.

Dependendo da circunstância, o profissional pode realizar um exame retal. Além disso, ele também pode examinar o canal anal com um anoscópio e solicitar uma colonoscopia para descartar outras causas para o sangramento.

Tratamento

Na maioria dos casos, as hemorroidas não apresentam sintomas e, melhor ainda, podem se curar sozinhas. Porém, quando a situação se complica ou incomoda muito o paciente, alguns planos de tratamento são recomendados como:

Métodos não-cirúrgicos

  • mudanças simples no estilo de vida, como adicionar mais fibras à dieta, hidratar-se bastante e procurar não fazer muita força durante as evacuações, já podem ser suficientes para controlar o quadro de hemorroidas;
  • cremes e pomadas para aliviar a dor, inchaço e coceira da hemorroida (porém, lembre-se de se consultar com um especialista antes de fazer a compra do produto);
  • s banhos de assento em água morna para aliviar os sintomas da hemorroida;
  • analgésicos.

Tratamentos cirúrgicos

Se o paciente tem hemorroidas grandes, ou se outros tratamentos não lhe ajudaram a controlar o desconforto que esse quadro causa, é possível recorrer à cirurgia. Para estar, podem ser usados recursos como lasers, luz infravermelha ou a remoção cirúrgica.

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.

Deixar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *