Que habilidades profissionais nossas crianças precisam ter para 2040?

Bebê com manchas vermelhas na pele do rosto

Dra. Denise Brasileiro

Sejamos sinceros: a humanidade está enfrentando revoluções sem precedentes. Nas últimas décadas, avançamos diversos passos na ciência, na tecnologia e no modo de vida de forma geral.

Com toda essa dinamicidade, a pergunta que não quer calar é: como podemos preparar nossos filhos para um mundo inimaginável de transformações e incertezas radicais? Em outras palavras: quais habilidades profissionais devemos ensinar às crianças de hoje que, lá em 2040 já terão seus trinta e poucos anos, a conseguirem um emprego bom e se adaptarem às novas tendências?

Bem, como ainda não inventaram a máquina do tempo, e os grandes profetas ainda não foram devidamente interpretados (ainda bem, do contrário não estaríamos sequer aqui), ninguém sabe como será o mundo em 2040.

A única certeza que temos é a de que tudo se transforma

Atualmente, mesmo podendo supor alguma coisa, ninguém tem ideia de como o Brasil será daqui 21 anos. Não sabemos o que as pessoas farão da vida, nem se os mesmos empregos de atualmente ainda existirão.

Isso sem falar que, como a evolução e a medicina já vêm mostrando, é bem provável que algumas pessoas vivam muito mais do que as de hoje. Ou o próprio corpo humano, pelo menos, sofrerá uma revolução sem precedentes (se as crianças de hoje já estão nascendo sem o siso, imagina mais tarde?).

Sendo assim, como nos prepararmos, ou melhor, prepararmos nossos filhos para o futuro? Bem, é só continuar conosco!

O papel de uma educação apropriada

Nos dias de hoje, muitas escolas ainda se concentram em “despejar” o máximo de informações que puderem no cérebro das crianças. Bem, no passado isso até fazia sentido. Afinal, o acesso às informações, assim como o fluxo entre elas, era realmente escasso.

Ocorre que nossos filhos, assim como nós, já estão inundados com enormes quantidades de informação e, pior que isso, desinformação. Logo, em um mundo como esse, a ÚLTIMA coisa que um professor precisa oferecer aos alunos é mais informações. Entenda: eles já têm muito disso.

Em vez disso, as pessoas precisam ter a capacidade de entender as informações, saber diferenciar o verdadeiro do falso e, claro, serem capazes de filtrar dados que são realmente importantes para o contexto atual.

Além disso, os materiais didáticos ainda se concentram muito em fornecer aos alunos um conjunto de habilidades profissionais predeterminadas, como resolver equações de segundo grau, identificar produtos químicos ou conversar em chinês.

No entanto, como não temos idéia de como será o mundo e o mercado de trabalho em 2040, não sabemos EXATAMENTE quais habilidades específicas as pessoas precisarão até lá.

Podemos investir muito esforço em ensinar as crianças a falarem Mandarim, por exemplo, para descobrirmos que, em 2040, existirá um novo aplicativo de tradução perfeito. Sim, já pensou? Ele permitirá que o usuário converse, de forma perfeita, com qualquer pessoa do mundo, e em qualquer idioma. E aí, todo aquele tempo dedicado à “educação quadrada” do seu filho terá sido em vão.

Então, concluindo: o que devemos ensinar às nossas crianças?

O mais importante, antes de tudo, é entender que não é possível prever o futuro, mas sim saber que, para se preparar para ele, é preciso adquirir habilidades de vida que lhe permitirão lidar com mudanças, aprender coisas novas e preservar seu equilíbrio mental em situações desconhecidas.

Aí vão algumas ideias de como conseguir que seu filho tenha tudo isso:

1. Incentive o pensamento crítico

Ser capaz de pensar de forma crítica é a moeda de ouro dos nossos tempos. Atualmente, existem duas maneiras de cultivar essa prática em seus filhos. São elas:

  • fazendo as perguntas certas: diariamente, nós somos expostos a uma série de meios que nos ajudam a desenvolver habilidades de pensamento crítico, especialmente em crianças. O segredo é trocar perguntas como “o que é isso”, ou “sobre o quê é esse desenho”, por “o que você entende que isso é” ou “ o que podemos aprender com ele?”.
  • buscar por problemas e, claro, soluções: instigue seus filhos a procurarem por um problema que eles enfrentam por dia, e incentive-os a encontrar formas de solucioná-los. Isso é importante porque a nossa tendência é ficar extremamente frustrado quando algo não sai conforme nossos planos. O pulo do gato é redirecionar todo o foco nessa chateação para a solução. É entender que, ao invés de se sentar e chorar pelo leite derramado, o melhor é se sentar e pensar em qual será a melhor forma de limpá-lo!

Ao trabalharem nesses dois exercícios diariamente, você e seu filho conseguirão desenvolver mais clareza nos processos de pensamento e, com o tempo, terão muito mais habilidade para lidarem com as mudanças e se adaptarem a elas!

2. Dê asas à criatividade

A arte é uma das melhores formas de incentivar a curiosidade em uma criança e promover a ela um ambiente criativo e rico em sabedoria. Por isso, permita que o pequeno tenha tempo, liberdade e ferramentas para explorar, experimentar, cometer erros e encontrar a si próprio.

Por meio de histórias, música, jogos, livros interativos, filmes, brinquedos e brincadeiras, seu filho não só aprenderá as coisas de forma divertida e interessante, como as absorverá de um jeito mais leve e permanente. E, acredite, valores como “errar é humano”, “perder faz parte da vida”, “aprenda a dividir” e “não faça com os outros o que você não gostaria que fizessem com você” são para toda a vida!

Por fim, ao final de cada atividade lúdica, lembre-se de exercer a primeira dica que demos! Pergunte ao pequeno o que ele aprendeu com as brincadeiras, como ele se sentiu com elas, o que ele mudaria para torná-las melhores e por aí vai.

3. Faça da tecnologia uma aliada

Muitos pais já entenderam que privar seus filhos da tecnologia é uma tarefa praticamente impossível. O desafio, então, não é limitar/proibir o tempo de tela de uma criança, mas sim dar mais qualidade a ela. Para fazer isso, tente:

  • mostrar ao pequeno jogos e vídeos educativos;
  • passar mais tempo com ele, perguntar do que ele gosta, assistir aos desenhos que ele ama, aprender a jogar seus jogos favoritos etc. Isso tudo fará com que você tenha noção do conteúdo que ele anda absorvendo;
  • ficar de olho no comportamento das crianças nas redes sociais, e sempre ter um diálogo aberto com elas sobre segurança online e cyberbullying; usar os famosos “aplicativos filtros” para impedir que o pequeno acesse conteúdos impróprios.

Dessa forma, pode acreditar: para qualquer tecnologia que o futuro guardar para o seu filho, ele está preparado e familiarizado com ela.

4. Por fim, preze pelas relações sociais

Construir relações importantes faz parte da vida. Porém, não é todo mundo que tem facilidade para interagir com outras pessoas e cultivar redes sólidas de amizade, networking e por aí vai.

Por isso, sempre incentive seu filho a colocar a cara “nesse mundão”, sabe? Coloque-o em aulas de teatro para melhorar a timidez, leve-o a lugares diferentes para que ele sempre tenha a oportunidade para conhecer novas coisas e pessoas, etc.

Dessa forma, pode ter certeza de que seu filho conseguirá transitar bem entre culturas e pessoas diferentes. Seja agora, ou em 2040!

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.

Deixar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *