Flacidez no rosto e corpo: como recuperar o colágeno perdido?

Mulher se olhando no espelho e esticando e apertando o rosto por estar com flacidez nos rosto e no corpos.

Pessoal, uma perguntinha rápida: uma pele firme e tonificada não costuma representar o SONHO DE CONSUMO de muita gente por aí? Claro, né?

Porém, não adianta: com o tempo, o colágeno e a elastina, estruturas responsáveis pela sustentação e firmeza dos nossos tecidos, sofrem algumas alterações que acabam com a autoestima de uma pessoa.

A perda de tonicidade destes músculos, e da pele de uma forma geral, resulta em flacidez no rosto e corpo. Apesar de a flacidez ser geralmente visível após os 35 anos, ela pode aparecer em pacientes mais jovens que passaram por algumas situações como perda de peso rápida ou gestação. Aí é que vira um pesadelo mesmo!

Recebo muitas pacientes, jovens e maduras, que reclamam dessas alterações naturais do nosso corpo e, para todas elas, digo o mesmo: “Não precisa se preocupar. Existem diversos tratamentos para a flacidez da pele, cirúrgicos ou não”.

Métodos que utilizam ultrassom, radiofrequência ou infravermelho, por exemplo, são opções não invasivas que melhoram o tônus na face, pescoço e corpo, descartando a necessidade de “entrar na faca”.

Mas aí você me pergunta: ok, é um processo natural mas… o que realmente causa essa flacidez? Tem como evitá-la o máximo que eu puder?

Bem, prepare-se porque essas e várias outras perguntas, que EU SEI que você tem, serão respondidas ao longo do texto. Vem comigo:

Causas da flacidez no rosto e corpo

Há duas causas de flacidez no rosto e no corpo:

  • redução da produção de colágeno e elastina na derme;
  • enfraquecimento das fibras de colágeno e elastina existentes.

Quais são os efeitos da perda do colágeno?

Os efeitos da perda de colágeno aparecem em vários locais do corpo. Na face e pescoço, os mais comuns são:

Já no corpo, são:

E como é feito o tratamento da flacidez?

O tratamento da flacidez no rosto e corpo é simples. Ele se baseia na aplicação de energia em pontos específicos, elevando a temperatura dos tecidos. Esse aquecimento remodela e fortalece o colágeno e a elastina.

Então, além de estimular a produção de novas fibras, ele recupera gradualmente o tônus e a textura da pele, deixando-a saudável, recuperada e de dar inveja!

Porém, é importante lembrar que os melhores resultados de tratamentos não cirúrgicos para a flacidez são obtidos em casos leves e moderados. Além disso, geralmente são necessárias algumas sessões para se obter os efeitos desejados de firmeza e lifting da pele.

Por fim, de vez em quando é preciso combinar vários métodos para alcançar aquela pele deusa que eu sei que você tanto almeja.  

Os efeitos aparecem gradualmente nas semanas e meses após o tratamento, então é preciso ter paciência. Consultar um especialista é a melhor forma de descobrir se os tratamentos não invasivos para a flacidez são indicados no seu caso.

Armas para o tratamento da flacidez

Agora vem a parte mais importante: vamos falar dos diferentes equipamentos e técnicas que são utilizados como ferramentas eficazes contra a pele flácida. Então vamos lá:

1. Ultrassom micro e macro focado

O ultrassom é aplicado na derme, camada mais profunda da pele, causando aquecimento em alguns pontos e poupando os tecidos adjacentes.

Nos locais da aplicação, a temperatura se eleva e ocorre contração e espessamento das fibras de colágeno, melhorando o tônus, o contorno e atenuando as rugas de expressão.

O aparelho mais moderno de ultrassom para tratamento de flacidez no rosto e corpo é o Ultraformer®. Ele possui diversos protocolos de tratamento para que o especialista ajuste os parâmetros de aplicação às necessidades de cada paciente.

O procedimento é rápido, com pouco ou nenhum desconforto e não deixa marcas. Pode ocorrer uma vermelhidão leve logo após a aplicação.

Na maioria dos pacientes apenas uma única sessão é suficiente para obter os resultados desejados.

Os primeiros resultados são notados após 3/4 semanas. O efeito total ocorre em dois meses. O tratamento melhora a flacidez e reduz a gordura localizada.

2. Radiofrequência

O tratamento com radiofrequência está indicado em casos mais leves de flacidez ou como complemento a outros tratamentos. O resultado obtido é mais discreto do que com o Ultraformer®. Geralmente, são necessárias de 4 a 8 sessões para se obter o efeito desejado.

3. Infravermelho/Radiofrequência

Algumas tecnologias utilizam uma combinação de infravermelho e radiofrequência para tratar a flacidez e a gordura localizada.

Ele é utilizado no abdômen, flancos, coxas e glúteos. São recomendadas várias sessões semanais para se obter os resultados desejados e, após o término do tratamento inicial, uma única manutenção a cada 3 meses.

 

4. Ácido poli-L-láctico

 

O ácido poli-L-láctico (Sculptra®) é aplicado através de injeções nas camadas profundas da pele e estimula a produção de colágeno.

São necessárias entre 2 e 4 sessões, com intervalo de um mês, para se obter os resultados desejados: redução da flacidez e das rugas. A duração do tratamento é de aproximadamente dois anos.

5. Hidroxiapatita de cálcio

O Radiesse® é um gel preenchedor composto por microesferas de hidroxiapatita de cálcio. Quando injetado nos sulcos e rugas da face e das mãos, ele tem efeito volumizador e estimula a produção de colágeno. Pode ocorrer inchaço e vermelhidão logo após a aplicação. O efeito do tratamento dura em torno de dois anos.

6. CM SlimⓇ

O CM SlimⓇ nada mais é que um estimulador muscular eletromagnético. É o que há de mais avançado no mercado para tratar a flacidez.

É como se o aparelho provocasse no paciente o efeito de 20 mil agachamentos e abdominais. Com o seu uso acompanhado de um especialista, é possível reduzir até 19% da camada de gordura e ainda aumentar até 15% na espessura do músculo.

Cada sessão leva cerca de 30 minutos e é recomendado pelo menos oito para um bom resultado, sendo duas vezes na semana.

7. Fios de sustentação

Os fios de sustentação também são alternativas com bons resultados para flacidez, marcas de expressão e linhas no rosto e pescoço.

As suturas são compostas por material biocompatível e proporcionam um efeito “lifting”. Os fios implantados também estimulam a produção de colágeno no corpo, melhorando a flacidez.

Comparativo entre os tratamentos de flacidez

Técnica Média de sessões necessárias Início do efeito Efeito máximo Duração do tratamento
Ultrassom micro e macro focado Uma sessão Um mês Três a seis meses Um ano
Radiofrequência Duas a seis sessões Um mês Três a seis meses Um ano
Infravermelho/radiofrequência Duas a seis sessões Um mês Três a seis meses Um ano
Ácido poli-L-láctico Uma a três sessões Um a três meses Seis meses Dois anos
Hidroxiapatita de cálcio Uma a três sessões Um a três meses Seis meses Dois anos
CM-Slim Oito sessões iniciais seguidas de manutenção a cada 15 ou 30 dias Uma semana 5 semanas O efeito é mantido pelas sessões de manutenção.
Fios de sustentação Uma sessão Efeito lifting imediato e estimulação de colágeno nos meses subsequentes. Um ano e meio Dois anos

Qual a melhor técnica contra a flacidez?

A escolha do tipo de tratamento para a flacidez no rosto e corpo depende de vários fatores como a idade, presença de alterações associadas, grau de flacidez da pele e do seu objetivo.

Para um resultado mais efetivo, rápido e duradouro, você pode combinar técnicas para estimular o colágeno com outros tratamentos faciais e corporais como: preenchimento com ácido hialurônico, aplicação de toxina botulínica, massagens etc.

Então, bola para frente! A flacidez não é motivo para tristeza porque tem solução!

E aí, gostou do texto? Para ler mais conteúdos como esse, fique de olho em nosso Blog e siga nossos perfis nas redes sociais (Facebook e Instagram)!

Vinkmag ad

Dermatologia

Médico, especialista em dermatologia. Especialista em tratamentos dermatológicos cosmiátricos e em laser.

Post Relacionados

Deixar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *