Mulher sorridente se alongando para combater a fibromialgia

Dr. Emerson Fidelis

O que fazer quando o corpo todo dói, cada músculo, cada articulação, praticamente o dia inteiro? Pior ainda, quando esse incômodo é acompanhado de um cansaço constante, dificuldade para dormir, perda de memória e humor oscilante… O que pode ser isso? Bom, pode ser fibromialgia.

Na fibromialgia, o cérebro interpreta de forma diferente e aumentada os sinais de desconforto e dor. O paciente sente como se o corpo todo estivesse doendo.

Muitas pessoas acreditam que o problema não é real, que é “um exagero”. Porém, as pesquisas mostram que existem alterações químicas no cérebro e na medula espinhal que fazem com que estímulos de dor sejam interpretados de forma exagerada.

Apesar de não ser uma doença grave ou com complicações sérias, a fibromialgia afeta muito o bem estar e a qualidade de vida dos pacientes.

Sintomas da fibromialgia

Os principais são:

  • dor em todo o corpo, constante e prolongada;
  • sensibilidade aumentada ao toque e pressão;
  • fadiga crônica: é comum acordar sentindo cansaço, mesmo após horas de sono, pois esse é interrompido múltiplas vezes pela dor;
  • alterações da memória e dificuldade de concentração.

Muitas vezes, os sintomas são mais acentuados após uma noite mal dormida, em situações de estresse ou quando o paciente não pratica as atividades físicas as quais está acostumado.

Em algumas pessoas, a fibromialgia está associada à outros problemas como enxaqueca, apnéia do sono, síndrome do intestino irritável,refluxo, depressão, ansiedade e bruxismo.

Causas da fibromialgia

As causas são desconhecidas, mas suspeita-se que existe uma predisposição genética. Mulheres com histórico da doença na família têm mais risco de desenvolver fibromialgia e ela geralmente surge após uma infecção, doença sistêmica, trauma físico ou emocional.

Existem alterações químicas no sistema nervoso central (cérebro e medula espinhal) que modificam a forma como a dor é percebida. Alguns especialistas se referem à fibromialgia como a “doença de amplificação central da dor”.

Diagnóstico

O diagnóstico da fibromialgia é clínico, baseado na localização e no tipo de dor. Para ser considerada generalizada, a dor precisa estar presente nos dois lados do corpo e também em pontos acima e abaixo da cintura. A figura abaixo mostra alguns pontos frequentes de dor.

Figura que representa os pontos no corpo humano onde a fibromialgia mais acontece

Não existe um teste diagnóstico específico para fibromialgia, porém, alguns podem ser necessários para afastar outras doenças como hipotireoidismo, artrite reumatóide, lúpus ou polimialgia reumática.

Fibromialgia tem cura?

Os tratamentos convencionais, muitas vezes, não são eficientes para controlar a doença. Porém, mudanças no estilo de vida podem ajudar muito no bem estar e na melhora dos sintomas. É importante que o paciente invista no autocuidado, melhorando a alimentação, o sono e a sua saúde emocional.

  • Exercício físico: é considerado a arma mais eficaz contra a fibromialgia. Yoga, caminhada e fortalecimento muscular melhoram significativamente os sintomas;
  • Acupuntura;
  • Massagens;
  • Medicamentos que atuam no balanço químico cerebral: duloxetine, milnacipran, amitriptilina e ciclobenzaprina;
  • Medicamentos que reduzem a transmissão dos estímulos nervosos de dor: pregabalina e gabapentina.

Convivendo com a fibromialgia

A dor crônica e a sensação de cansaço podem causar ansiedade e depressão. As tarefas cotidianas podem virar grandes desafios. A tendência do paciente é se afastar dos amigos e da família, se isolar do mundo.

É essencial reconhecer os sinais da fibromialgia e buscar ajuda. O tratamento pode melhorar muito os sintomas e a qualidade de vida, tornando a doença tolerável.

O autocuidado é parte importante do processo. Conhecer o próprio corpo, como ele reage a certos alimentos, aos estímulos externos, aprender a administrar o estresse e a cultivar o bem estar são os primeiros passos para uma vida melhor.

E aí, gostou do texto? Para ler mais conteúdos como este, fique de olho em nosso Blog e siga nossos perfis nas redes sociais (Facebook e Instagram)! Estamos te esperando.