Imagem de capa de um texto sobre rubéola na gravidez da editoria conversa com o especialista. No canto inferior, foto da pediatra Glória Braga e, ao centro, imagem de uma mulher com as mãos em sua barriga grávida.

Dra. Glória Braga

O que é rubéola?

A rubéola é uma doença infecciosa causada pelo Togavírus e é transmitida por meio de gotículas respiratórias liberadas ao tossir e espirrar, ou pela saliva.

A principal característica da doença são as manchas vermelhas, que surgem primeiro no rosto e atrás da orelha, e depois tendem a se espalhar pelo corpo inteiro. Apesar de ser rara no Brasil, é mais comum em crianças e jovens adultos.

É importante dizer que a rubéola é perigosa se ocorrer na gravidez, aumentando risco de aborto, morte fetal e defeitos congênitos.

Quais os sintomas da rubéola?

Os sintomas da rubéola costumam aparecer depois de 2 ou 3 semanas após o contato com o vírus. O sinal mais comum da doença são as manchas vermelhas que aparecem na face e atrás da orelha, e depois se espalham pelo corpo. Porém, ela também pode apresentar:

  • febre baixa;
  • dor de cabeça;
  • náuseas;
  • conjuntivite leve;
  • fadiga;
  • aumento dos linfonodos no pescoço, atrás da orelha e na nuca;
  • tosse;
  • nariz escorrendo.

Como são as manchas da rubéola?

As manchas da rubéola são vermelhas e podem apresentar coceira. Surgem primeiro na face e atrás da orelha e depois se espalham pelo corpo, em direção aos pés.

A rubéola é contagiosa? Como é o tratamento?

Sim, a rubéola é uma doença viral que se propaga facilmente. Sua transmissão ocorre por meio de gotículas expelidas na fala, tosse ou espirro. Também pode ser transmitida no beijo e no compartilhamento de copos e talheres.

Rubéola é perigoso?

A rubéola é bastante perigosa se ocorrer na gravidez, principalmente no primeiro trimestre de gestação, pois aumenta os riscos de aborto, morte fetal e anomalias congênitas, isso é: surdez, problemas de visão, má formação e outras complicações.

Como diagnosticar a rubéola?

A rubéola é uma doença que só pode ser diagnosticada por meio de exames laboratoriais que vão detectar a presença de anticorpos contra o agente causador da doença, o Togavírus.

A necessidade do exame ocorre devido à semelhança de sintomas com outras doenças, como: sarampo, dengue, exantema súbito e outras.

Como tratar rubéola?

Não existe um tratamento específico para a rubéola, o que pode ser feito é uma administração de medicamentos para alívio dos sintomas, como antitérmicos e analgésicos. Além disso, é recomendado repouso e bastante água.

Como prevenir a rubéola?

A prevenção da rubéola ocorre por meio da vacinação, aplicada em duas doses: a primeira com 1 ano de vida e a segunda aos 4 anos. A vacina contra a rubéola (Tríplice Viral) também protege contra o sarampo e a caxumba.

Vale ressaltar que uma mulher que planeja engravidar deve fazer um exame para detectar se há anticorpos contra a doença e, se o resultado for negativo, deve ser vacinada e esperar 4 semanas para começar a tentar engravidar.

O que é rubéola na gravidez?

A rubéola na gravidez é grave, principalmente porque ela traz riscos ao feto, podendo resultar em aborto, morte fetal e síndrome da rubéola congênita.

Essa síndrome pode resultar em anomalias ou óbito. Os defeitos mais comuns são:

  • microcefalia;
  • surdez;
  • catarata;
  • restrição do crescimento uterino;
  • retinopatia;
  • defeitos cardíacos;
  • alterações no fígado e baço;
  • alterações no desenvolvimento e aprendizado.

O que é síndrome da rubéola congênita?

Doenças congênitas são condições ou doenças que estão presentes desde o nascimento. Sendo assim, a síndrome da rubéola congênita ocorre quando uma mulher grávida é infectada pelo vírus da doença e essa infecção pode resultar em anomalias ao feto ou óbito. Algumas dessas anomalias são: surdez, catarata, defeitos cardíacos, alterações no fígado e baço, dentre outras.

Quem teve rubéola pode ter sarampo?

Sim, uma pessoa que já teve rubéola pode ter sarampo e vice-versa. Essa dúvida é comum porque a rubéola também é conhecida como sarampo alemão (por causa dos sintomas parecidos e pela principal característica das doenças, as manchas vermelhas no corpo).

Contudo, o vírus causador da rubéola é diferente do que provoca o sarampo. Portanto, uma pessoa que já teve rubéola pode ser infectada pelo vírus do sarampo e desenvolver a doença. Vale dizer que no Brasil a vacina Tríplice Viral protege contra rubéola, sarampo e caxumba.

Quem teve rubéola pode doar sangue?

Sim, a pessoa que teve rubéola pode doar sangue depois de 2 semanas após a cura. Se a pessoa recebeu a vacina que protege contra a rubéola, deve esperar de 3 a 4 semanas para poder doar sangue.

Saiba mais em: Rubéola na gravidez: riscos para a mãe e o bebê

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.