Conversa com o Especialista: pneumonia infantil

Imagem de capa de um texto sobre pneumonia infantil da editoria conversa com o especialista. No canto inferior, foto da pediatra Glória Braga e, ao centro, imagem de uma menina na cama com a mãe medindo a sua temperatura e colocando a mão na sua testa

Pneumonia é uma inflamação no pulmão que pode acometer só um pulmão ou os dois. Geralmente, é causada por uma infecção viral ou bacteriana, mas também pode ser provocada por outros fatores como aspiração de comida, líquidos, gases ou poeira.

É uma doença pouco contagiosa e transmissível. A contaminação muitas vezes ocorre por uma queda da imunidade, como em casos de doenças pulmonares prévias, como gripe; alteração do sono, estresse, desnutrição e doenças que provocam imunossupressão como AIDS e câncer também podem ser fatores que beneficiem o início da doença.

Quais são os tipos de pneumonia?

Existem vários tipos de pneumonia. As mais comuns são:

  • viral: caracterizada por tosse, chiado, febre, dor no peito e outros sintomas gerais. Apresenta uma evolução mais lenta do que a pneumonia bacteriana e seus agentes mais comuns são: adenovírus, vírus parainfluenza, vírus influenza e vírus sincicial respiratório;
  • bacteriana: geralmente apresenta febre aguda no início, calafrios, chiado, dor no peito, tosse com secreção, vômitos, diarreia, cansaço e perda de apetite. Os agentes mais comuns são o Streptococcus pneumoniae ou pneumococo, o Streptococcus do grupo B e o Staphylococcus aureus;
  • pneumonia por mycoplasma: normalmente apresenta um quadro mais leve, com tosse e febre, contudo, a febre pode durar até 3 ou 4 semanas. Seu agente causador é o Mycoplasma pneumoniae;
  • fúngica: a pneumonia causada por fungos é mais rara e geralmente atinge crianças com sistema imunológico deficiente, como portadores do HIV ou câncer. São três os agentes mais comuns: histoplasma capsulatum (histoplasmose), coccidioides immitis (coccidioimicose) e bastomyces dermatitidis (blastomicose);
  • química: a pneumonia química é provocada por poluição, fumaça, toxinas, agrotóxicos e demais produtos químicos inalados. Normalmente apresenta complicações derivadas de uma infecção bacteriana secundária.

Como é feito o diagnóstico da pneumonia?

O diagnóstico de pneumonia é feito com exame clínico, radiografias do tórax, e auscultação dos pulmões. Em alguns casos, podem ser precisos exames mais específicos para identificar o agente causador e definir o melhor tratamento.

Pneumonia é perigosa? Pode matar?

A pneumonia é uma infecção grave que ocorre nos pulmões e pode levar à morte se não tratada a tempo. Porém, pode ser curada facilmente se diagnosticada e tratada corretamente.

É importante ressaltar que apesar da doença afetar pessoas de todas as idades, ela é mais comum em crianças, idosos e pessoas com doenças pré-existentes, como aids, câncer, diabetes e cardiopatias.

Quais são os fatores de risco?

Os principais fatores de risco para o desenvolvimento da pneumonia são:

  • cigarro: a fumaça provoca uma reação inflamatória que facilita a infecção das vias respiratórias;
  • álcool: provoca queda na imunidade;
  • ar-condicionado: resseca o ar facilitando a infecção por vírus e bactérias;
  • gripes mal cuidadas.

Quais são os sintomas?

A pneumonia é uma infecção localizada nos pulmões e seus sintomas podem variar de acordo com a idade e sua causa. Os sintomas mais comuns são:

  • febre;
  • chiado;
  • tosse;
  • respiração ofegante ou dificuldade para respirar;
  • secreção densa e amarelada;
  • dor no peito;
  • falta de ar;
  • perda de apetite ou dificuldade para se alimentar;
  • dor nas costas;
  • respiração ruidosa.

Pneumonia tem cura?

O tratamento da pneumonia pode variar de acordo com o seu tipo e agente causador, a idade e as condições gerais do paciente também são importantes na hora de definir qual o melhor tratamento.

Contudo, algumas medidas podem auxiliar na recuperação, são elas:

  • repouso;
  • hidratação;
  • umidificadores;
  • medicamentos analgésicos e antitérmicos.

Além disso, o médico também pode prescrever o uso de antibióticos, via oral, em casa, ou intravenoso em pacientes internados.

Como preveni-la?

A pneumonia causada pela bactéria pneumococo pode ser prevenida por meio de vacinação. No Brasil existem três tipos de vacina contra a pneumonia. A pneumo 10 oferecida pelo SUS e a pneumo 13 presente na rede particular são recomendadas para crianças, já a pneumo 23 é indicada para adultos e idosos.

Outras formas de prevenção são boas medidas de higiene:

  • lavar bem as mãos com água e sabão;
  • higienizar as mãos com álcool em gel, se não houver possibilidade de lavar com água e sabão;
  • evitar contato com pessoas doentes;
  • espirrar e tossir cobrindo nariz e boca com lenços descartáveis ou em cima do antebraço.

O que é a pneumonia infantil?

Pneumonia infantil é a infecção das vias respiratórias com acúmulo de líquido nos pulmões em crianças.

Os fatores de risco para desenvolvimento da doença em crianças são:

  • baixo peso ao nascer;
  • desnutrição;
  • exposição à fumaça de cigarro;
  • falta de aleitamento materno;
  • deficiência de vitamina A;
  • asma;
  • fibrose cística;
  • sistema imunológico comprometido.

Contudo, quando tratada corretamente dura cerca de 7 a 14 dias.

Quanto tempo dura a pneumonia?

Se tratada corretamente, os sintomas da pneumonia desaparecem entre 7 e 10 dias. Para isso, é preciso seguir corretamente o tratamento indicado pelo médico.

O que é pneumonia aguda?

A pneumonia é constantemente chamada também por pneumonia aguda porque é uma infecção aguda que acomete as vias aéreas inferiores que provoca o acúmulo de líquido nos pulmões.

E, por fim: como saber se meu filho tem pneumonia?

O diagnóstico de pneumonia em crianças se baseia na história relatada pelos pais, em exames físicos, radiografias do tórax e exames de sangue. Em alguns casos, é preciso complementar com exames mais específicos, como a coleta de líquidos e secreções para ajudar na identificação do agente causador da doença e, assim, poder definir o melhor tratamento.

Saiba mais em: Pneumonia infantil: o que é, sintomas e tratamentos

 

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.

Pediatria

Médica, especialista em Pediatria. Membro do corpo clínico do CMH Medicina Hospitalar, em Belo Horizonte.

Deixar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *