Conversa com o Especialista: hipotireodismo

Imagem capa de um texto sobre hipotireoidismo da editoria conversa com o especialista. No canto inferior, foto do clínico Pedro Alvarenga e, ao centro, imagem de um close de a garganta de uma mulher com ela apalpando a região da tireoide

O que é o hipotireoidismo?

O hipotireoidismo é uma disfunção da glândula tireoide. Nesse caso, ela produz pouco ou nenhum hormônio, gerando algumas complicações ao metabolismo corporal. É mais comum em mulheres e pessoas com mais de 60 anos.

O que pode causar o hipotireoidismo?

As principais causas do hipotireoidismo são:

  • tireoidite de Hashimoto (doença autoimune em que o sistema imunológico do corpo ataca a tireoide, diminuindo o tamanho da glândula);
  • deficiência ou excesso de iodo;
  • doenças congênitas (desde o nascimento);
  • cirurgia de tireoide;
  • terapias com radiação na região do pescoço e cabeça.

Quais são os sintomas do hipotireoidismo?

Os sinais do hipotireoidismo estão bastante relacionados ao metabolismo corporal. Os sintomas mais comuns são:

  • cansaço;
  • sonolência excessiva;
  • depressão;
  • aumento do nível de colesterol no sangue;
  • alterações menstruais;
  • intolerância ao frio;
  • diminuição do apetite;
  • intestino preso;
  • ressecamento da pele;
  • fraqueza muscular;
  • dor, rigidez e tensão muscular;
  • rigidez nas articulações;
  • cabelo mais fino;
  • ritmo cardíaco mais lento;
  • voz mais grossa;
  • inchaço duro na região da tireoide.

Quais são os fatores de risco para o hipotireoidismo?

  • Qualquer pessoa pode desenvolver hipotireoidismo. Porém, o risco é maior para:
  • mulheres;
  • idosos (mais de 60 anos);
  • pessoas que têm histórico familiar de doenças da tireoide;
  • que tem uma doença autoimune como, por exemplo, diabetes tipo 1;
  • quem faz tratamento com iodo radioativo ou medicamentos antitireoidianos;
  • quem recebeu radiação na parte superior do tórax, cabeça ou pescoço;
  • fez cirurgia de tireoide.

Como diagnosticar o hipotireoidismo?

O médico, desconfiando de algum problema na tireoide, solicitará uma série de exames laboratoriais que medem os níveis dos hormônios dessa glândula no sangue.

Como tratar o hipotireoidismo?

O seu tratamento é feito com reposição hormonal, geralmente por meio de um comprimido que deve ser tomado diariamente e pelo resto da vida. É um tratamento simples e eficaz que, se feito corretamente, tem bons resultados e proporciona uma vida normal.

O hipotireoidismo é perigoso?

Se não tratado corretamente, o hipotireoidismo pode trazer uma série de problemas de saúde. São eles:

  • bócio (aumento da glândula tireoide provocado por estimulação para liberar mais hormônio. Pode afetar a aparência e interferir na deglutição e respiração);
  • problemas cardíacos (eleva os níveis de colesterol no corpo, aumentando os riscos para doença cardíaca e insuficiência cardíaca);
  • problemas de saúde mental (é normal a pessoa ficar deprimida no início do hipotireoidismo, mas o distúrbio também pode provocar lentidão no funcionamento mental);
  • neuropatia periférica (nervos que ligam o cérebro e a medula espinhal ao membros podem sofrer danos, causando dor, formigamento, dormência e fraqueza em braços, mãos, pernas e pés);
  • mixedema: (inchaço duro e com aspecto de pele opaca, geralmente na face e pálpebras, formando bolsas sob os olhos. Seus sinais e sintomas incluem intensa intolerância ao frio e sonolência, seguidos de profunda letargia e inconsciência. É uma condição rara, mas que gera risco de vida);
  • infertilidade (baixos níveis de hormônios da tireoide podem interferir na ovulação);
  • defeitos de nascença (bebês nascidos de mulheres com doenças da tireoide (e que não a tratam corretamente) têm maior risco de defeitos congênitos e maiores chances de terem sérios problemas intelectuais e de desenvolvimento).

O hipotireoidismo tem cura?

Não. Infelizmente, ele não tem cura, mas pode ser controlado. O tratamento consiste em repor os hormônios da tireoide diariamente e, se o paciente seguir as instruções do médico corretamente, pode levar uma vida normal.

O hipotireoidismo engorda?

Essa doença pode engordar porque o metabolismo fica mais lento, mas esse aumento de peso não costuma ser exagerado. Contudo, a reposição dos hormônios da tireoide garantem um funcionamento normal do organismo. Sendo assim, o paciente que faz controle e segue as instruções do médico não precisa se preocupar com mudança de peso.

O que uma pessoa com hipotireoidismo não pode comer?

Uma pessoa que tem hipotireoidismo deve ter uma alimentação saudável e balanceada. Pode-se comer de tudo, porém, sem exageros.

Qual a diferença entre hipotireoidismo e hipertireoidismo?

Hipotireoidismo e hipertireoidismo são distúrbios da glândula tireoide. Essa glândula, que fica na região do pescoço, tem um papel fundamental em nosso metabolismo. A alteração na quantidade de hormônio produzida gera um dos dois distúrbio, sendo:

  • hipotireoidismo: pouca ou nenhuma produção hormonal;
  • hipertireoidismo: excesso de produção hormonal.

Saiba mais em: Hipotireoidismo: o que você precisa saber sobre ele?

Gostou do Texto? Para ler mais conteúdos como esse, fique de olho em nosso Blog e siga nossos perfis nas redes sociais (Facebook e Instagram)!

Clínica Geral

Médico, especialista em clínica geral. Pós graduação em Medicina Molecular e Doenças Osteometabólicas, na Universidade Federal de Minas Gerais.

Deixar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *