Conversa com o Especialista: hiperidrose

Imagem de capa de um texto sobre queda de cabelos da editoria conversa com o especialista. No canto inferior, foto do dermatologista Fábio Gontijo e, ao centro, imagem da axila de uma mulher que sofre com o suor excessivo e está com a roupa molhada de suor.

O que é hiperidrose?

É uma condição em que o paciente sua excessivamente e imprevisivelmente.

Pessoas que apresentam hiperidrose são capazes de suar mesmo em temperaturas amenas ou baixas, sem fazer movimentos ou passar por situações estressantes.

Quais são os tipos existentes?

Primária focal: surge na infância/adolescência. É caracterizada por suor excessivo e simétrico em áreas específicas do corpo (mãos, axilas, rosto ou pés). Geralmente, mais de um integrante da mesma família é afetado.

Secundária: aparece como um sintoma de outras doenças, ou pelo uso de alguns medicamentos.

Quais são as causas da hiperidrose?

A hiperidrose pode ser causada por:

Quais são os sintomas?

A hiperidrose é quando há manifestação de suor em excesso. O paciente percebe que pode ser isso quando:

  • transpiração excessiva pelo menos uma vez por semana;
  • transpiração em excesso, sem motivo aparente e há pelo menos seis meses;
  • Quando o excesso de suor começa a interferir nas atividades diárias

Como saber se tenho hiperidrose?

O diagnóstico de hiperidrose deve ser feito por um médico. O teste mais utilizado para avaliar as áreas acometidas é o Minor. Nele, uma solução de iodo é aplicada nas áreas suspeitas.

Após seco, o amido é polvilhado na região. A transpiração é então estimulada com medicamentos ou exercícios, por exemplo. Nos locais com excesso de suor a coloração fica azul escuro.

Qual é o tratamento?

Existem várias estratégias para reduzir o suor excessivo.

A primeira tentativa para todos os tipos de hiperidrose, geralmente, são os antitranspirantes tópicos. Eles são, basicamente, produtos a base de sais de alumínio ou zinco.

Essas substâncias reduzem a produção de suor na região aplicada por meio da obstrução dos ductos das glândulas sudoríparas.

Caso essa solução ainda não seja o suficiente, aí vão alguns tratamentos extras que costumam ser considerados:

  • Medicamentos orais: anticolinérgicos (glicopirrolato, oxibutinina etc)
  • Injeções de toxina botulínica: extremamente eficaz, ela leva a uma redução de 85% (ou mais) da quantidade de suor produzida.
  • Iontoforese: aqui, os pés ou as mãos são mergulhados na água enquanto um dispositivo envia correntes elétricas de baixa voltagem. As sessões precisam ser regulares e duram cerca de 40 minutos.
  • Simpatectomia torácica: direcionado a casos de hiperidrose palmar e plantar, esse procedimento consiste na retirada cirúrgica da cadeia simpática. Atualmente, é realizado por videotoracoscopia.
  • Retirada cirúrgica das glândulas sudoríparas: útil apenas para quadros de hiperidrose axilar que não respondem aos outros tratamentos descritos acima.

Qual especialidade pode identificar a hiperidrose?

A hiperidrose, por ser um sintoma de outras doenças, pode ser diagnosticada por diversos profissionais de várias áreas. Entre elas:

  • infectologia;
  • pneumologia;
  • urologia;
  • ginecologia;
  • clínico geral;
  • dermatologia;
  • endocrinologia;
  • neurologia;
  • psiquiatria;
  • psicologia;
  • oncologia.

Quem tem hiperidrose? Ela é comum?

Qualquer pessoa pode sofrer hiperidrose, de crianças a idosos, homens e mulheres. É considerada uma condição comum, acometendo cerca de 3% da população.

Hiperidrose causa desidratação?

Os casos mais graves de hiperidrose podem levar o paciente a sofrer desidratação e ter falta de nutrientes no corpo, uma vez que se perdem no suor excessivo.

E perda de peso?

Não. A perda de peso em pessoas com hiperidrose está associada a outras causas, inclusive à doença que está causando a própria hiperidrose.

Hiperidrose é permanente?

Na maioria das vezes, a hiperidrose pode ser controlada por completo a partir dos tratamentos indicados pelo médico.

Saiba mais sobre hiperidrose:

Hiperidrose: você sofre com suor excessivo?

 

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.

Dermatologia

Médico, especialista em dermatologia. Especialista em tratamentos dermatológicos cosmiátricos e em laser.

Deixar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *