Gato Vira-lata dentado no quintal

Dra. Beatriz Terenzi

O SRD (sem raça definida) nada mais é que o famoso gato vira-lata. A título de curiosidade, um gato vira-lata é aquele que não tem pedigree, um certificado que atesta a pura linhagem do bichano. Visualmente, ele pode lembrar bastante tipos específicos como o Persa ou o Siamês. Porém, em função das várias misturas que acontecem por aí, eles podem adquirir características e personalidades completamente originais.

Geralmente, o porte do SRD é o de um gato médio e sua pelagem é curta (aqui no Brasil). Porém, como suas procedências são desconhecidas, ao adotar um filhote, não é possível prever esses aspectos de forma exata. Por isso, os cuidados devem ser os mesmos para qualquer gato: escovação frequente dos pêlos e dentes, atenção especial às unhas e limpeza cuidadosa e constante dos olhos e orelhas.

Por fim, a alimentação do gato vira-lata deve corresponder ao seu porte, idade e condições de saúde.

História

O SRD, ou gato vira-lata, é qualquer gato que não tem pedigree – um certificado de associações de criação que atesta a pura linhagem do bichano. Mesmo animais inicialmente identificados como sendo de raça, caso apresentem pequeno desvio de cruzamento entre os ascendentes, são considerados SRD. Exames de DNA realizados em laboratórios podem concluir se ele tem raça definida ou não.

Visualmente, o gato vira-lata pode lembrar bastante algum tipo específico, como Persa ou o Siamês. Contudo, as várias misturas, que acontecem há várias gerações, dão origem a animais totalmente originais.

Esse é um fenômeno bem comum, já que existe uma população grande de gatos de rua e, mesmo entre aqueles com dono, vários são habituados e até estimulados a passearem sozinhos durante a noite. As cruzas ocorridas nessas aventuras acabam proliferando o gato SRD, um tipo bastante adotado no Brasil.

Porte

Geralmente, o porte do SRD é o de um gato médio. Porém, como suas procedências são desconhecidas, ao adotar um filhote, não é possível prever o tamanho e peso exatos que ele pode alcançar.

Expectativa de vida

10 a 20 anos.

Pelagem e Banho

As misturas criadas pêlos gatos SRD proporcionam cores e estilos super bonitos e exclusivos! Acredita-se que raças de pêlo curto, como a American Shorthair, tenham originado a maior parte dos gatos de rua no continente.

Adaptado ao clima brasileiro, o gato de pêlo curto é mais frequente entre os vira-latas.

Apesar de eles se lamberem bastante, os cuidados com a higiene são os mesmos de toda raça:

  • escovação semanal no caso de pêlo curto (em pêlos longos, a escovação deve acontecer três vezes por semana);
  • escovação dentária quinzenal, para evitar tártaro e outros problemas;
  • cuidados e corte das unhas;
  • limpeza das orelhas e dos olhos.

Alimentação

A alimentação do SRD deve corresponder ao seu porte, idade e condições de saúde. Ao adotar um gato vira-lata, leve-o imediatamente a uma consulta veterinária. Os exames realizados irão apresentar um panorama completo da saúde do seu novo amigo e você terá orientações ideais para as necessidades nutricionais de cada fase do bichano.

Rações úmidas são mais fáceis de serem digeridas, porém, estragam com maior facilidade. Além disso, se forem ingeridas em excesso, levam à diarréia e à obesidade. Já o consumo de rações secas deve ser compensado com uma hidratação rigorosa, para evitar os problemas causados pela desidratação no organismo – entre os quais insuficiência renal.

Caso o gato seja castrado, a dieta deve ser controlada para impedir o aumento de peso. Gatos idosos merecem atenção especial quanto à glicose e a água.

Saúde

Ao contrário de raças famosas, cujos dados biológicos são acessíveis, o gato vira-lata é uma incógnita. A mistura genética torna a saúde do SRD imprevisível.

Diversos estudos realizados em todo o mundo indicam que animais mestiços geralmente apresentam sistema imunológico forte e são mais resistentes a várias doenças. Para se ter ideia, a cruza entre animais da mesma família é mais perigosa para a herança genética do filhote, por exemplo.

O acompanhamento veterinário desde a adoção será fundamental para identificar as condições e necessidades do gato mestiço. Por isso:

  • visite o veterinário a cada 6 meses para consultas de rotina;
  • vermifugue e vacine o gato;
  • saiba que a castração é recomendada para o SRD.

Habitat e comportamento

Como todo gato, o SRD precisa de algum espaço e de brinquedos para se exercitar. É importante evitar, no entanto, deixar pela casa objetos que possam machucá-lo, e oferecer oportunidades de estímulo físico e psicológico.

Muito se fala que o gato vira-lata tem o instinto de passear sozinho à noite pelas ruas, mas isso não é uma especificidade deles, estando mais relacionada aos hábitos de criação. Ele pode trazer, isolados ou combinados, pontos da personalidade clássica do gatos, como:

  • mania de correr e subir nos lugares mais altos;
  • aquela preguiça digna do Garfield, que passa horas dormindo;
  • o apreço por um colo humano; a charmosa frieza e independência; as mudanças bruscas de humor;
  • entre outros.

É preciso observá-lo desde jovem e estimulá-lo em seu ambiente, com brincadeiras e interações. Conhecer e respeitar seu bichano é importante para que ele se sinta à vontade na sua casa e demonstre suas mais belas características.

Gostou do texto? Visite a editoria Saúde do Animal e saiba como manter a saúde do seu melhor amigo. Nossos veterinários e especialistas têm muito para contribuir. Acesse, também, nosso Facebook, Instagram e Twitter para ficar por dentro de tudo sobre o universo pet.