Entrópio e Ectrópio: causas, sintomas e tratamentos

Mão de oftalmologista examinando o olho de uma mulher asiática com entrópio e ectrópio

Nossas pálpebras, quando não apresentam alterações, se fecham completamente. Isso faz com que os olhos fiquem sempre úmidos e protegidos contra danos externos.
Porém, existem situações em que a posição das margens das pálpebras está alterada. Quando a margem se vira para dentro, colocando os cílios em contato com os olhos, chamamos isso de entrópio. Já quando ela se vira para fora e, consequentemente, não protege o olho corretamente, chamamos isso de ectrópio.

Entrópio

Uma pessoa com entrópio tem a sensação de areia nos olhos. Eles ficam vermelhos e doloridos e é comum ocorrer lacrimejamento e secreção.
O entrópio, inicialmente, ocorre quando o paciente fecha os olhos com muita força. Com o tempo, a condição se torna permanente.
Quando afeta os dois olhos, recebe o nome de entrópio bilateral.

Causas

  • Envelhecimento: na medida em que a pessoa amadurece, a pele ao redor das pálpebras fica mais frouxa e os músculos sob os olhos enfraquecem, assim como os tendões e ligamentos. Tudo isso facilita o aparecimento do entrópio.
  • Cicatrização: cicatrizes resultantes de um procedimento, trauma ou inflamação conjuntival podem alterar a curvatura natural da pálpebra.

Além disso, pessoas que têm casos de Entrópio na família estão mais sujeitas a desenvolverem este quadro.

Sintomas

  • irritação e sensação de areia/cisco nos olhos;
  • lacrimejamento excessivo;
  • crostas ou secreção na pálpebra;
  • dor nos olhos;
  • sensibilidade à luz (fotofobia);
  • flacidez da pele ao redor dos olhos;
  • vermelhidão dos olhos;
  • problemas de visão (especialmente se houver danos à córnea).

Ectrópio

No ectrópio, a pálpebra inferior se vira para fora, expondo a superfície interna.
Ocorre ressecamento da conjuntiva, membrana que reveste a parte interna das pálpebras, lacrimejamento e irritação.

Causas

A principal causa do ectrópio é a fraqueza muscular, ou relaxamento dos tecidos que ocorre como parte do processo normal de envelhecimento. Contudo, outros gatilhos para esse quadro incluem:

  • cicatrizes de lesões ou queimaduras;
  • tumores palpebrais benignos ou malignos;
  • alterações congênitas (devido a doenças genéticas como a Síndrome de Down, por exemplo);
  • Paralisia de Bell (condição que danifica o nervo que controla os músculos faciais) ou outros tipos de paralisias faciais;
  • cirurgia prévia ou radioterapia na região das pálpebras.

Sintomas

  • ressecamento da mucosa exposta;
  • irritação;
  • olho vermelho;
  • sensação de queimação nos olhos;
  • lacrimejamento excessivo;
  • conjuntivite crônica;
  • sensibilidade à luz;
  • dor nos olhos;
  • visão embaçada.

Afinal: Entrópio e Ectrópio têm cura?

Para ambos os casos, a cirurgia é o tratamento indicado. Lágrimas artificiais e pomadas lubrificantes apropriadas para os olhos podem ser usadas para alívio dos sintomas, antes do procedimento.

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.

Deixar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *