endocardiose

A endocardiose, ou degeneração mixomatosa de valva mitral , é a doença cardiovascular mais comum em cães. Aflige principalmente animais em idade avançada e de raças de pequeno porte. Trata-se de uma doença crônica, degenerativa e de causa desconhecida. Pode levar à insuficiência cardíaca e até a morte. Acomete felinos raramente.

Principais causas da Endocardiose

A endocardiose em cães acontece quando há insuficiência da valva mitral, responsável por separar o átrio esquerdo do ventrículo esquerdo do coração. Sua função é auxiliar no fluxo do sangue vindo do átrio para a artéria aorta. O mal funcionamento da valva faz com que ocorra uma regurgitação. Em outras palavras, o sangue recua para o átrio ao invés de escoar para a artéria. Esse processo desencadeia o início da endocardiose.

Fatores de Risco

  • Cāes a partir de 8 anos, sobretudo entre 8 e 11 anos de idade;
  • raças de pequeno porte, com peso inferiores a 20 kg;
  • cães machos;

Raças com maior predisposição à doença:

  • Poodle toy;
  • Shinauzer miniatura;
  • Chihuahua;
  • Pinscher;
  • Fox terrier;
  • Daschund Teckel
  • Boston terrier;
  • Chihuahua
  • Cocker Spaniel;
  • Whippet;
  • Cavalier King Charles Spaniel.

Sintomas

A endocardiose é uma doença progressiva. Por isso, não apresenta sintomas imediatos. Com a evolução do quadro, seguem-se sinais como, por exemplo:

  • Tosse, principalmente noturna ou após exercícios;
  • secreção nasal;
  • cansaço;
  • cianose;
  • congestão e edema pulmonar;
  • hipertrofia hepática;
  • insuficiência cardíaca;
  • desmaios;
  • derrames.

Diagnóstico

O diagnóstico preciso da endocardiose envolve, na maioria dos casos, exames por imagem como radiologia, eletrocardiografia e ecografia, métodos não-invasivos seguros para animais de pequeno porte.

Como funciona o tratamento da Endocardiose?

O cão portador de endocardiose deve ter sua saúde monitorada regularmente, com consultas frequentes e observação. A possibilidade de morte súbita é presente. O tratamento exige, especialmente:

  • Dieta hipossódica, livre de sal e sódio;
  • restrição de exercícios físicos;
  • administração de diuréticos, como furosemida;
  • vasodilatadores, como nitroglicerina e enalapril;

O tratamento em pacientes com quadros mais severos podem incluir:

  • Broncodilatadores – aminofilina, teofilina.

Prevenção

É difícil prevenir a endocardiose por se tratar de doença degenerativa e de causa desconhecida. Porém, alguns procedimentos podem melhorar a qualidade de vida do pet como, por exemplo:

Gostou do texto? Visite a editoria Saúde do Animal e saiba como manter a saúde do seu melhor amigo. Nossos veterinários e especialistas têm muito para contribuir. Acesse, também, nosso Facebook, Instagram e Twitter para ficar por dentro de tudo sobre o universo pet.