Doenças causadas por carrapatos: conheça todas elas

Cachorro tendo o carrapato retirado da pele por um veterinário em uma clínica com o intuito de tratar doenças transmitidas pelos carrapatos

Dra. Bárbara Mariano

As doenças causadas por carrapatos têm grande distribuição no Brasil. Inclusive, elas são muito mais frequentes e graves do que alguns médicos veterinários, ou até mesmo a mídia contam. Isso se dá pela falta de conhecimento, pois essas patologias são pouco descritas em literatura.

O perigo da falta de informação para o seu pet

O grande problema de não ter conhecimento sobre todas essas doenças é que elas podem ser confundidas com outras enfermidades. Isso faz com que elas sejam tratadas de maneira equivocada, ainda mais se os exames para diagnóstico não forem direcionados corretamente.
Elas podem ser confundidas, por exemplo, com Leishmaniose, Leptospirose, verminoses intestinais, doenças autoimunes, alterações no fígado ou baço etc. Afinal, todas essas doenças geram sintomas nos pets como icterícia (quando o animal começa a ficar com a gengiva, pele, orelha e olhos amarelos, e o xixi sai praticamente laranja), febre e hemorragias.
Todo tutor fica apavorado só de pensar que o carrapato pode se aproximar do seu peludo. Então, quando ele se depara com um diagnóstico de doença por essa praga, o chão se abre e o medo real de perder o pet toma lugar.

Um pouco sobre doenças causadas por carrapatos

Um tutor informado é capaz de identificar o que há de errado com o seu pet, levá-lo ao veterinário rapidamente e questionar o tratamento caso algum dos exames seja inconclusivo (sim, isso pode acontecer quando a doença está muito no começo). Por isso essa etapa do texto é tão importante.
Acontece que um exame normal não significa que seu cachorro não tem nada. Muitas vezes, o corpo está lutando bravamente contra a doença e, por isso, o pior da guerra ainda não começou.
Eu, particularmente, acho lindo de verdade quando um tutor diz “EU CONHEÇO MEU CACHORRO E ELE NÃO ESTÁ NORMAL”. Tutores assim merecem aplausos e o médico veterinário que for capaz de ouvir e escutar o que esse tutor tem a dizer também merece ser ovacionado de pé.

Então, vamos lá: o que são as doenças causadas por carrapatos?

São as chamadas hemoparasitoses. Elas recebem esse nome pois são causadas por organismos que parasitam as células sanguíneas dos pets. Esses organismos podem ser bactérias ou protozoários, depende da doença.
Além da preocupação com os cães, algumas doenças ainda são zoonoses, ou seja, transmitidas para o ser humano. Isso faz com elas se tornem uma questão de saúde pública.

E quais são essas doenças?

Rangeliose

Vou começar pela menos conhecida que, apesar da baixa popularidade, têm sido muito diagnosticada ultimamente. A Rangeliose é causada pelo protozoário Rangelia vitalli, transmitido no momento da picada dos carrapatos.
Os sintomas mais comuns são:

  • febre;
  • urina muito escura (podendo chegar ao tom do chá mate);
  • icterícia ou mucosas pálidas;
  • emagrecimento;
  • manchas vermelhas pelo corpo;
  • sangramentos;
  • alterações nos exames de função hepática;
  • aumento de baço.

A Rangelia vitalli é a principal causa de doenças hemolíticas em cães, mesmo sendo pouco falada.

Erliquiose canina

Causada nos cães pelas rickettsias (gênero de bactérias atípicas – as mais encontradas nos pets são a Erlichia canis e a Erlichia ewingii), ela pode ocorrer junto a outras hemoparasitoses, o que faz aumentar a gravidade dos sintomas e a severidade da doença.
A Erliquiose tem 3 fases: assintomática (ou subclínica), aguda e crônica. Seus sintomas são:

  • apatia;
  • febre;
  • aumento de linfonodos;
  • aumento do baço;
  • secreção nasal e ocular;
  • sangramento pelo nariz;
  • manchas vermelhas pelo corpo;
  • plaquetas baixas;
  • inflamação nos olhos;
  • hemorragia ocular;
  • descolamento de retina;
  • cegueira;
  • meningite;
  • vasculite;
  • anemia;
  • aumento de globulinas no sangue.

Anaplasmose

Também causada pela Rickettsia Anaplasma platys, sua incubação após a transmissão pode variar de 7 a 15 dias. Geralmente, vem junto com outras infecções causadas pelo carrapato.
Os sintomas são:

  • febre;
  • hemorragia;
  • queda de plaquetas;
  • palidez da mucosa;
  • manchas vermelhas/roxas pelo corpo;
  • perda de peso;
  • aumento dos linfonodos.

Babesiose canina:

É causada por um protozoário, também transmitido pelo carrapato. Pode começar de forma discreta e ir piorando o quadro do animal, assim como também pode começar de forma agressiva, colocando a vida do pet em risco.
A doença também se divide em 3 fases: hiperaguda, aguda e crônica. Normalmente vem, acompanhada de outras hemoparasitoses. Porém, existem casos em que vem sozinha e, por isso, fechar o seu diagnóstico corretamente é imprescindível. Afinal, a medicação para tratar a Babesiose, por exemplo, é diferente da medicação para Erliquiose.
Os sintomas são:

  • apatia;
  • febre;
  • icterícia;
  • vômito;
  • aumento de linfonodos;
  • aumento do baço;
  • anemia hemolítica;
  • queda de plaquetas;
  • urina com sangue.

Dica: os sintomas de todas as doenças causadas pelo carrapato são muito semelhantes. O que muda muitas vezes é o tempo de tratamento e medicação entre eles.

Febre Maculosa

Causada pela bactéria Rickettsia rickettsii, é transmitida na hora da picada do carrapato. É considerada uma ZOONOSE e já foi diagnosticada, inclusive, em artistas famosos que travam uma batalha há anos contra ela.
A incubação da doença varia em um período de 2 a 14 dias após a picada do carrapato. Contudo, o animal pode ter febre de 2 a 3 dias após a picada.
Os sintomas são semelhantes aos descritos anteriormente, além de:

  • diarreia;
  • vômito;
  • ferimentos na pele;
  • edema das patas, lábios, nariz, orelhas;
  • dor para andar;
  • poliartrite;
  • dor muscular;
  • necrose da pele;
  • alterações neurológicas;
  • encefalomielite;
  • meningite;
  • óbito em decorrência da formação de microtrombos e coagulação intravascular disseminada.

Diagnóstico

O diagnóstico para doenças causadas por carrapatos costuma ser por meio dos seguintes exames:

  • PCR (proteína C-reativa – identifica infecções e inflamações);
  • sorologia por EliSa e RiFi;
  • hemograma;
  • função renal (exame dos rins);
  • função hepática (exame do fígado);
  • dosagem de bilirrubina;
  • etc.

Outros exames complementares podem ser realizados para saber como anda a saúde do cachorro e, principalmente, entender os riscos que o pet está correndo.

Profilaxia

A solução para evitar tudo isso é prevenir seu cão de ser picado por carrapatos.
Infelizmente, tenho percebido que 70% dos tutores não sabem como os antiparasitários funcionam, como evitar que o pet pegue carrapatos e, por isso, acabam medicando os cães de forma equivocada.
Foi pensando nisso que eu gravei uma palestra explicando como é o ciclo do carrapato e o ciclo mortal deles. Para assistir a essa palestra, basta clicar aqui.
Até a próxima!

Gostou do texto? Visite a editoria Saúde do Animal e saiba como manter a saúde do seu melhor amigo. Nossos veterinários têm muito para contribuir. Acesse, também, nosso Facebook e Instagram para ficar por dentro de tudo sobre o universo pet.

4 Comments

  • Doutor, um cão ativo e que nao apresenta linfonifos alterados ou baço, aoenas plquetas baixas, é possivel fechar o diagnostico em erliquiose e medicar o animal de 2.4 kg com 60 dias de doxy ? Fazer transfusão ou pode ser outra doença?

    • Olá, Diana. Tudo bem? Aconselhamos que você procure um veterinário. Ele vai avaliar o quadro do seu cachorro, dará o diagnóstico e irá te dizer o que fazer. Um abraço e até a próxima.

  • Dr. O meu cachorro teve a doença do carrapato e tomou todos os medicamentos…e não obteve até agor uma melhora significativa…

    Porém fiz o exame da leishmaniose e deu positivo…devo confiar nesse exame ou faço uma contraprova….devido ele ter tido a doença do carrapato ? Estou em desespero.. mi ajude.

    • Olá, Juliana. Tudo bem? Aconselhamos que você procure um veterinário de confiança para acompanhar o seu cachorro. Ele irá analisar o caso do seu peludo e dizer o que fazer. Torcemos que para tudo dê certo. Um abraço e até a próxima

Deixar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *