Menina na entrada de casa com as mãos no rosto chorando

O cyberbullying é a versão online do bullying, conjunto de práticas de violência física e psicológica, limitado ao universo da internet. É caracterizado por agressões diretas, como insultos e apelidos pejorativos, ou indiretas, como espalhar rumores e criar intrigas. Por definição, os envolvidos são jovens e a vítima é agredida sem motivo aparente, repetidas vezes e por tempo prolongado. A situação se agrava no cyberbullying, pois um único ato pode ser retransmitido, multiplicado instantaneamente e perpetuado para um público quase ilimitado. Além disso, o anonimato proporcionado pela tecnologia torna difícil identificar o agressor.

Para a vítima, as consequências são devastadoras. Os indivíduos que se sentem intimidados, assediados ou ameaçados online sofrem os efeitos de tais comportamentos em muitos aspectos de suas vidas.

 

Alguns exemplos de cyberbullying

 

  • Posts, comentários, tweet ou mensagem de texto, com teor agressivo, cruel ou sarcástico direcionado a outra pessoa;
  • Publicação e compartilhamento de fotos, vídeo e conteúdo de outras pessoas, sem a devida permissão, acrescidos de comentários irônicos ou pejorativos.

 

E quando suspeitar?

Suspeite quando você percebe algum desses sinais:

  • Apresentar nervosismo ou constrangimento ao precisar usar a internet ou celular;
  • Não permitir que os pais tenham acesso a sua vida online;
  • Isolamento da família e amigos;
  • Baixo desempenho escolar;
  • Mudanças no humor e comportamento;
  • Perda de apetite;
  • Dificuldades para dormir;
  • Evitar usar o computador ou celular.

 

Os efeitos na saúde

Vergonha e medo de retaliação faz com que muitos jovens hesitem em contar que estão sendo vítimas de cyberbullying e a procurar ajuda. Ele não está limitado ao ambiente da escola, se torna onipresente e constante, perseguindo a criança 24 horas por dia. Estes jovens têm maior risco de depressão, ansiedade e outras doenças relacionadas ao stress. Existem muitos casos de suicídio associados a este tipo de agressão online.

 

O diálogo é o melhor caminho…

Uma criança vítima de cyberbullying precisa de apoio e compreensão. É importante que entenda que não é culpada pelas agressões e que isso acontece com muitas pessoas. Assegure-a de que vocês irão cuidar do problema juntos e elabore com ela um plano de ação. Alguns passos importantes:

  • Oriente a criança a não responder às agressões;
  • Salve mensagens, fotos e vídeos, material que pode ser utilizado como prova do cyberbullying;
  • Leve o problema ao conhecimento da autoridade responsável (na escola ou outro local);
  • Bloqueie o agressor no celular, email e redes sociais;
  • Mantenha o computador em um local da casa onde outras pessoas sempre estão presentes;
  • Participe da vida virtual do seu filho;
  • Eduque seu filho sobre medidas de segurança online.

 

O diálogo é essencial para a conscientização dos jovens sobre os perigos existentes no mundo virtual. Muitas escolas têm projetos voltados para a segurança no ambiente virtual, como é o caso do Colégio Santo Agostinho. Alunos da Unidade Nova Lima elaboraram o Guia Agostiniano de Boas Escolhas Online  e hoje fazem palestras em outros colégios sobre o assunto.