mulher cuidando da pele no espelho

Dr. Fábio Gontijo

É até irônico que, em um mundo com ciência, tecnologia e comunicação avançadas, nossos cuidados com a pele ainda sejam tão negligenciados por nós mesmos. Fala-se em rotinas de skin care para cá, cremes e máscaras caríssimas para lá, procedimentos famosos acolá e por aí vai. Porém, entende-se MUITO pouco sobre o assunto.

A verdade é: muitas pessoas não sabem do quê a pele delas precisa naquele momento. E, mesmo assim, continuam comprando dermocosméticos que prometem mil coisas e aplicá-los por conta própria, sem a orientação de um dermatologista. Curioso, né?

Ocorre que a pele é o maior órgão do nosso corpo e, assim como todos os outros, requer cuidados diferentes ao longo das décadas. Isso sem falar que, por ser o mais exposto, ele também sofre consequências do ambiente, prejudicando-se com fatores como a localização, o clima e até mesmo com o que se come/bebe.

O segredo, então, é entender que, a cada fase da vida, sua cútis vai precisar de uma série de cuidados específicos, todos apropriados para aquele contexto. Hoje, quero concentrar no período dos 20 aos 30 anos, que é quando os primeiros sinais da idade aparecem e nós, como adultos, ficamos mais expostos a situações que podem prejudicar nossa pele.

Vamos lá?

Começando pelo básico: quais são os cuidados com a pele que devem ser seguidos por TODAS as idades?

Existem alguns cuidados básicos e essenciais com nossa pele que precisam ser aplicados durante toda a vida. São eles: limpeza, esfoliação, alimentação, hidratação e proteção solar.

A limpeza é importante para manter a pele livre de impurezas. Isso vale tanto para crianças, que se sujam bastante, produzem suor ao praticarem exercícios etc, quanto para os adolescentes e adultos, que já começam a usar maquiagem, produtos para barbear, trabalham o dia inteiro etc.

Nesse contexto, a esfoliação vem como um aliado, impedindo o entupimento dos poros e mantendo a pele com um aspecto saudável e livre de possíveis infecções.

Para manter os cuidados com a pele coerentes, não podemos deixar de mencionar a dieta balanceada e a hidratação constante. Afinal, todo órgão precisa de água e bons nutrientes para funcionar corretamente.

Por fim, como vivemos em um país tropical e, mesmo que esse não seja o caso, ainda ficamos bastante expostos ao sol e seus raios UVA e UVB, a proteção solar é ESSENCIAL em qualquer idade e contexto. Eu, inclusive, já até fiz um texto com tudo que você precisa saber sobre esse tema. Para acessá-lo, basta clicar aqui.

O que muda, então, com a idade?

Excelente pergunta! Na medida em que o tempo passa, alguns produtos se tornam mais “importantes” que os outros, principalmente porque a pele sofre algumas alterações que são próprias da idade (alô, linhas de expressão, perda de elasticidade, melasmas etc!).

Por isso, a partir de agora, você saberá o quê seus 20/30 anos lhe aguardam, e o que é preciso fazer para manter sua cútis saudável e vistosa! Preparado(a)?

O primeiro passo: saber qual é o seu tipo de pele

Por mais que todos passem pela mesma idade, cada pele possui uma característica distinta. Isso sem falar na saúde da pessoa e o contexto o qual ela vive.

Então, o primeiro passo para estabelecer uma rotina de cuidados com a pele COERENTE é entender qual é o seu tipo de pele. Isso é importante porque alguns produtos variam de acordo com sua composição, utilidade e eficiência. É o caso, por exemplo, de maquiagens com FPS, protetores solares para peles oleosas, hidratantes com fatores anti-idade, esfoliantes para peles sensíveis etc.

Então, confira agora os tipos de pele e, de acordo com a descrição, procure ver em qual deles a sua cútis se encaixa.

  • Normal: aqui, a pele equilibrada, ou seja, os poros são pouco visíveis e a produção de óleo ocorre na medida certa.
  • Oleosa: as glândulas sebáceas, aqui, produzem óleo em excesso, dando à pele um brilho excessivo, poros dilatados e, consequentemente, cravos e espinhas.
  • Seca: diz respeito a quem possui a cútis áspera, com poros pouquíssimos visíveis, manchas avermelhadas e linhas de expressão mais evidentes.
  • Mista: aqui, a pele é seca em algumas regiões, principalmente nas bochechas, e oleosa em outras (testa, nariz e queixo).
  • Sensível: tende a descamar, arder e ficar mais avermelhada que o normal, e não tolera produtos que, em tese, funcionam perfeitamente para os outros tipos de pele.

Atenção: para tirar a prova do seu tipo de pele, uma consulta com o dermatologista é essencial, combinado?

A pele dos 20 aos 30 anos

Visão geral

Acredite: essa década é a mais importante no que diz respeito aos cuidados com a pele. Basicamente, a forma como você cuida dela AGORA vai ditar o seu skin care para o resto da vida.

Isso acontece porque sua cútis, hoje, ainda está saudável, macia e repleta de colágeno. Então, quanto mais você cuidar para que ela se mantenha assim, melhores serão os resultados daqui para frente.

Porém, nem tudo são flores: é nessa fase, normalmente, que começamos a beber, fumar, nos alimentarmos mal, ficarmos muito expostos ao sol e usarmos muitos cosméticos no rosto. Portanto, a forma como você administra tudo isso também fará diferença daqui a 10 anos.

Sendo assim, o primeiro passo é entender que, para manter sua pele firme, saudável e viçosa, é preciso cuidar da sua saúde, e da dela também. Isso inclui se alimentar bem, beber bastante água e seguir os passos que vou colocar no final desse texto!

Os primeiros sinais

Normalmente, as espinhas costumam se estabilizar nessa fase da vida. Isso faz com que elas se tornem menos frequentes, porém, as “marquinhas” que elas provocam podem permanecer. Por isso, o ideal é começar um tratamento apropriado para acabar com elas desde então.

São várias opções que ajudam nesse processo: microagulhamento, esfoliação química, peeling com ácidos, skinbooster, laser, preenchimento com ácido hialurônico, bioestimuladores e por aí vai. Para saber qual é o melhor para o seu caso, consulte um dermatologista.

Além disso, as rugas e linhas finas podem finalmente começar a serem notadas, ainda que muito discretamente. Isso é normal e acontece porque a pele, ao longo do tempo, perde um pouco de seu colágeno, ficando menos elástica. Porém, nada que os passos a seguir não consigam controlar.

10 dicas de cuidados com a pele durante os 20 e 30 anos

1. Estabeleça uma rotina

Para evitar que você sinta MUITA saudade da sua pele de 20 anos, é preciso estabelecer uma rotina de cuidados com ela DESDE essa idade! A boa notícia é: como as linhas finas e as rugas ainda não estão evidentes, os passos serão poucos.

Você vai notar que o foco principal será na limpeza, esfoliação e hidratação. A diferença é que, a partir de agora, já é possível apostar em outros produtos que farão toda a diferença na prevenção das rugas, controle de acne e manutenção da elasticidade.

Porém, é preciso colocar uma coisa na cabeça: os cuidados com a pele são percebidos A LONGO PRAZO. Por isso, não espere que, ao realizar uma rotina de skin care em um dia, sua pele acorde IMPECÁVEL no outro. É por isso que digo que essa rotina precisa se iniciar cedo.

E pode acreditar: daqui a 10 anos você vai me agradecer por essa dica.

2. Capriche na limpeza

Esse passo ainda se mantém bastante básico. Ao se levantar e antes de se deitar, lave o rosto com um sabonete apropriado para essa região e, principalmente, para o SEU tipo de pele.

Para se certificar de que toda a impureza do dia-a-dia foi tirada dela, como resquícios de poeira, fumaça, suor e maquiagem, use produtos como tônicos e água micelar. Ambos farão uma limpeza profunda na derme, permitindo que os próximos produtos ajam ainda mais na pele.

3. Faça da niacinamida uma aliada

A niacinamida, também conhecida como Vitamina B3 ou Nicotinamida, é uma vitamina multifuncional. Afinal, ela não só estimula nossa produção de colágeno como também uniformiza o tom da pele e reduz seus poros.

Ela pode ser encontrada em diversos produtos como hidratantes, cosméticos anti-idade, tônicos e por aí vai. Para saber qual é a melhor opção para o seu caso, consulte um dermatologista.

4. Não subestime o ácido salicílico

O ácido salicílico é um beta hidroxiácido essencial para os cuidados com a pele dos 20 aos 30 anos. Ele possui propriedades esfoliantes, anti-inflamatórias e seborreguladoras. Em outras palavras, é ele que vai ajudar no combate da acne na fase adulta, reduzir a oleosidade da sua pele e deixar seus poros livres e respirando.

Assim como a niacinamida, ele também é encontrado em diversos dermocosméticos, com vários propósitos à parte. Por isso, NUNCA deixe de pedir conselhos ao seu dermatologista.

5. Use protetor solar

Se eu ganhasse 10 centavos para cada vez que explico a importância do filtro solar nesse site, e em minhas consultas, minha casa hoje seria, na verdade, uma baita mansão em Dubai.

O protetor solar deve fazer parte da rotina de cuidados com a pele EM TODAS AS IDADES E CONTEXTOS. A dica é escolher uma opção apropriada para o seu tipo de pele, com um FPS correspondente ao nível diário de exposição ao sol.

6. Comece a construir seu “escudo anti-idade”

Por mais que as rugas ainda não sejam evidentes, alguns aspectos da pele envelhecida começam a dar as caras depois dos 20 anos. São os famosos pés de galinha, bigodes chineses e linhas de expressão. Nas mulheres, eles são até mais fáceis de serem notados, uma vez que a maquiagem costuma se acumular nessas regiões.

Como já expliquei, isso é completamente normal e acontece pela queda na nossa produção de colágeno. Então… é só estimulá-la do jeito certo que tudo ficará sob-controle.

A melhor forma caseira de cuidar disso é apostar em cremes e outros produtos com o selo “anti-idade”. Eles são ricos em colágeno, ácido hialurônico, vitamina C e por aí vai. Tudo o que sua pele precisa para se manter firme e vistosa.

Existem, também, procedimentos estéticos que dão conta do recado. É o caso da toxina botulínica, por exemplo. Porém, nessa idade, acredito que os produtos CERTOS já farão toda a diferença. Para não falhar na escolha deles, converse com seu dermatologista.

7. Aposte no Retinol e na vitamina C

Agora é a hora de começar a se familiarizar com o seu novo melhor amigo de pele: o retinol. Ele é um micronutriente derivado da vitamina A e seu papel principal é aumentar a produção de colágeno e elastina da pele, dando a ela mais poder de cicatrização e uniformização. O mesmo vale para a vitamina C!

ATENÇÃO: o retinol é fotossensibilizante, ou seja, reage quando entra em contato com o sol, podendo causar irritações e até mesmo manchas escuras na pele. Por isso, se decidir usá-lo, inclua-o em sua rotina noturna de cuidados com a pele, ou aplique protetor solar logo que passá-lo no rosto.

8. Não se esqueça do ácido hialurônico (HIDRATAÇÃO)

Da mesma forma que a produção de colágeno diminui com a idade, a fabricação da oleosidade natural da pele segue o mesmo caminho. Isso faz com que a cútis fique ressecada, irritada, fosca e menos elástica.

Para resolver isso, uma das melhores soluções é o ácido hialurônico, um composto ideal para “firmar” a pele e devolver a ela seu brilho natural. Aqui no site, inclusive, tem um texto completíssimo, com TUDO o que você precisa saber sobre ele. Para acessá-lo, é só clicar aqui.

9. Cuide da saúde

Parece óbvio, mas muitos pacientes ainda não sabem que alguns fatores do nosso dia-a-dia podem ser extremamente perigosos para a nossa pele. Sim, estou falando do sol e da poluição, mas também me refiro ao álcool e cigarros, e aos alimentos muito gordurosos e ricos em açúcar.

Por isso, não adianta NADA gastar rios de dinheiro em dermocosméticos se o seu estilo de vida for pouco saudável. Alimente-se corretamente, beba bastante água, pratique exercícios regularmente e acredite: sua pele agradecerá.

10. E, por fim: esfolie a pele de vez em quando

A esfoliação é um processo extremamente útil. Afinal, ela remove a pele morta do nosso rosto, deixando-a respirar, e fornece a ela um aspecto mais saudável, vistoso e macio.

Porém, não exagere. Esfoliar a pele em excesso pode causar um efeito rebote, fazendo com que esta produza ainda mais óleo, tornando-se propícia a espinhas, cravos e outras inflamações. O ideal é repetir esse processo de duas em duas semanas.

Atualmente, existem diversos produtos que possuem essa função. Por isso, nunca deixe de consultar o dermatologista para saber qual é a melhor opção para o seu caso.

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.