Representando a coronavírus em crianças, ursinho de pelúcia na cama em baixo das cobertas com uma máscara e um termômetro

Dra. Glória Braga

A pandemia de coronavírus (SARS-CoV-2), até o momento da publicação deste artigo, é responsável por mais de 300 mil casos e 13 mil óbitos em todo o mundo. Porém, apesar da alta infectividade do vírus, apenas 1% dos casos são crianças abaixo de 10 anos de idade.

Distribuição dos casos de COVID-19 por idade (China)
Acima de 80 anos3%
30 a 79 anos87%
20 a 29 anos8%
10 a 19 anos1%
Até 10 anos1%

Após a infecção, o período de incubação é de 4 a 5 dias, quando o paciente começa a apresentar sintomas gripais como febre, tosse, cansaço, dor de cabeça e no corpo.

A maioria dos pacientes apresenta um quadro leve e melhora progressiva. Em cerca de 20% dos casos, ocorrem dificuldades respiratórias que levam à internação.

Sinais e sintomas da COVID-19 em crianças

Nas crianças, o novo coronavírus geralmente causa quadros leves de infecção das vias aéreas superiores. Raramente se observam quadros de acometimento pulmonar.

É impossível distinguir os sintomas de outras síndromes gripais. Porém, observa-se menor prevalência de coriza (nariz escorrendo e boa parte das crianças infectadas não apresentam febre).

Sinais e sintomasCoronavírus (COVID-19)Influenza (Gripe)    Resfriado comum    
FebreFrequenteFrequenteRara
Dor no corpoPouco frequenteMuito frequentePouco frequente
CalafriosPouco frequenteFrequenteRaro
Dor de cabeçaPouco frequenteMuito frequenteRaro
TosseMuito frequenteMuito frequentePouco frequente
CansaçoPouco frequentePouco frequenteFrequente
Nariz entupidoPouco frequenteFrequente (no início do quadro)Pouco frequente
Dor de gargantaPouco frequenteFrequentePouco frequente
Dificuldade para respirarFrequente (após 5 a 6 dias do início do quadro)Pouco frequente (ocorre em quadros graves)Inexistente

As crianças podem, entretanto, transmitir a doença para os adultos com quem têm contato direto. Isso pode ocorrer, inclusive, quando elas estão assintomáticas ou apresentam poucos sintomas da doença.

Coronavírus em gestantes e recém-nascidos

Não foram confirmados casos em que houve a transmissão do vírus para o feto (transmissão vertical). Nos poucos quadros de recém-nascidos contaminados alguns dias após o parto, não foi possível distinguir se a infecção ocorreu antes do nascimento, ou por meio do contato com a mãe e cuidadores que estavam infectados.

Se a mãe contrair o coronavírus, o aleitamento materno não deve ser suspenso.

A medida mais eficaz no combate à epidemia é o isolamento social. Proteja a você e à sua família ficando em casa e seguindo as recomendações de etiqueta respiratória e higiene.

Importante:

  • Pacientes com sintomas gripais como febre, tosse, nariz escorrendo e dor de garganta não devem procurar o pronto socorro;
  • permanecer em casa e instituir medidas gerais: hidratação, repouso e analgésicos (sem ibuprofeno em sua composição);
  • somente ir ao pronto atendimento se houver piora do quadro como, por exemplo, dificuldade respiratória.

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.