Comportamento canino representado por um cachorro com um bicho de pelúcia rasgado na boca e pedaços dele espalhados pelo quarto

Jacqueline Lopes

Vira e mexe surgem vídeos virais nas redes sociais expondo cães que fizeram “cachorrices”, ou que fazem cara de culpa para seus tutores ao serem flagrados. E se eu te dissesse que cães não sentem culpa? E se eu te dissesse que destruir um colchão é um comportamento canino completamente esperado? E se eu te perguntasse se você sabe quais são as atitudes comuns de um cachorro? Você saberia me responder?

Compreendendo a mentalidade dos cachorros

Antes de mais nada, precisamos entender que um cão é um animal de espécie diferente da nossa e que, portanto, tem sua própria visão de mundo!

Cães não sabem o que é certo e errado sem que nós os ensinemos como gostaríamos que eles se comportassem. E eles não sabem que fazer algo errado pode nos causar prejuízo e sofrimento. Portanto, nossos peludos não podem se sentir culpados por nenhuma ação deliberadamente realizada por eles.

Quando os cães fazem o que alguns tutores definem como cara de culpa, por exemplo, estão apenas, comunicando através da sua linguagem corporal que não querem entrar em conflito com a pessoa que os está intimidando.

Precisamos entender também que as coisas que definem uma vida boa pra cachorro estão longe de serem coisas que trazem felicidade para nós, como contas pagas, realização profissional e uma casa bem decorada e organizada. Para um cão, felicidade é correr na grama, roer um ossão e por aí vai.

O comportamento canino

Os cães são seres bem menos complexos que nós, porém, completamente diferentes. A começar pela maneira que “enxergam” o mundo através de seus focinhos – e não dos olhos, como nós humanos.

Cães comportam-se como filhotes de lobos e brincam com o repertório comportamental dos seus ancestrais. A domesticação dos lobos, há mais de vinte mil anos, e toda a evolução dos cães após isso, realmente retirou destes a capacidade predatória natural. Porém, manteve neles a expressão de comportamentos que simulam aqueles comportamentos de caça, de abate e de predação, apesar deles não conseguirem se alimentar dessa forma quando abandonados e sem cuidado humano (neste caso, é bem mais comum que ele revire lixo e coma restos de comidas).

Então, perseguir, farejar procurando comida, rasgar, cavar, roer, destruir e simular estar destrinchando uma presa são comportamentos naturais e, portanto, esperados de um cachorro.

Deixar que os cães expressem esses comportamentos é garantir bem-estar a eles!

O grande problema em cães terem esses comportamentos é quando os tutores não entendem que isso é uma necessidade da espécie que, dependendo da educação, não a adapta e direciona para atividades que permitem que os peludos a pratiquem.

É comum que eles sejam deixados sozinhos em casa, durante longos períodos do dia, sem absolutamente nada para fazer! Resultado? Dependendo da determinação do cão, ele pode começar a caçar uma cama ou sofá, destrinchar uma almofada, “palitar” os dentes com os pés das cadeiras e várias outras alternativas, dependendo da criatividade dele.

Estude mais sobre o comportamento canino. Seu pet merece.

Brincadeiras à parte, o grande problema de comportamento dos cães contemporâneos é o fato de seus tutores não conhecerem a espécie que chamam de filho!

Ter um cão e ter uma rotina harmoniosa e com qualidade de vida para ambas as espécies é muito possível. Porém, requer esforço e dedicação por parte dos humanos das famílias para garantirem que as demandas dos cães sejam atendidas diariamente.

Uma rotina boa pra cachorro

Os cães precisam ter uma rotina estruturada para, diariamente, se comportarem como cães por meio de passeios e enriquecimento ambiental, por exemplo.

Quando se planeja ter um bebê humano, as famílias buscam informações sobre como proceder com a chegada desse novo membro. Para receber um cão, independentemente da idade, ou dele já estar na família, é preciso o mesmo preparo. Esforce-se em entender que esse cãozinho precisará contar com todos os membros da família para que suas necessidades serem supridas.

Poder expressar comportamentos que somos biologicamente preparados para fazer está diretamente ligado à qualidade de vida e bem-estar, e com nossos cães não é diferente!

Para saber mais sobre formas de melhorar a oferta de possibilidades de expressar comportamentos bons para cachorro, clique aqui, e aqui.

Gostou do texto? Visite a editoria Saúde do Animal e saiba como manter a saúde do seu melhor amigo. Nossos veterinários e especialistas têm muito para contribuir. Acesse, também, nosso Facebook, Instagram e Twitter para ficar por dentro de tudo sobre o universo pet.