Como prevenir a obesidade infantil?

Menina asiática segurando um milho e um brócolis enquanto várias outras verduras e legumes estão em cima da mesa. Alimentos que ajudam na prevenção da obesidade infantil

Você sabia que, somente no Brasil, aproximadamente 33% das crianças dos 5 aos 9 anos são obesas? Em outras palavras, um em cada três pequenos nessa faixa etária está acima do peso. Preocupante, não é mesmo?
Quando expandimos esse dado para todo o mundo e começamos a pensar nele daqui a alguns anos, o resultado é ainda mais alarmante. De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), estima-se que a obesidade infantil, em 2025, já terá acometido cerca de 75 milhões de pequenos, sendo 11,3 milhões destes só no Brasil.
A boa notícia é que, por serem frutos de previsões, estes números ainda podem ser mudados. Tudo depende da forma como a educação alimentar dos nossos pequenos é feita. Continue conosco para saber como prevenir a obesidade infantil do jeito certo.

Primeiramente: o que é a obesidade infantil?

Basicamente, a obesidade, em qualquer faixa etária, é uma condição caracterizada pelo excesso de gordura corporal. Este, por sua vez, é determinado pelo IMC (índice de massa corporal). Vale ressaltar, ainda, que os valores de referência variam de acordo com a idade e sexo do paciente.
Para saber TUDO sobre a obesidade, incluindo suas causas, fatores de risco, tratamentos e complicações, e ainda aprender a calcular o IMC do seu filho, basta clicar aqui.

E por que devemos evitar ao máximo essa condição?

A obesidade, no âmbito infanto-juvenil, é uma ticket de entrada para doenças perigosíssimas como diabetes, hipertensão arterial, colesterol alto e por aí vai.
Além disso, é importante entender que, para chegar a essa condição, é preciso todo um processo de má-alimentação que, por fazer parte do crescimento e desenvolvimento do pequeno, condiciona demais seus costumes e paladares. E aí, mais tarde, fica muito mais difícil iniciar e aplicar uma boa reeducação alimentar.
Por fim, não podemos esquecer que o sobrepeso pode, ainda, fazer com que a criança sofra de baixa-autoestima, depressão, indisposição e ansiedade, principalmente quando consideramos os padrões sociais os quais ela vive.

Então, como podemos prevenir a obesidade infantil?

A melhor forma de evitar que as crianças sofram de sobrepeso é, basicamente, melhorar os hábitos de toda a família. Afinal, é bem mais complicado fazer com que o pequeno coma bem e pratique exercícios físicos quando os seus pais não os fazem.
Pensando nisso, preparamos uma série de dicas para você implementar em sua vida, e na de seus filhos e família também. Vamos lá?

1. Conheça os princípios básicos de uma alimentação saudável

Uma boa dieta, seja ela infantil ou não, é aquele que possui:

  • alimentos variados e em sua forma natural (nada de processados e industrializados);
  • é rica em verduras e vegetais;
  • tem pouquíssimo açúcar, gorduras ruins ou carboidratos em excesso.

Para saber como fazer um prato perfeito, respeitando todas as quantidades e qualidades dos alimentos, é só clicar aqui.

2. Nunca subestime os poderes da sua microbiota intestinal

Nosso intestino é composto por uma série de bactérias importantíssimas para o seu bom funcionamento. Juntas, elas recebem o nome de microbiota e têm como principais funções:

  • digerir alguns alimentos que nem o estômago e o próprio intestino conseguem;
  • combater microrganismos nocivos ao nosso organismo, regulando e protegendo a mucosa intestinal;
  • regular o metabolismo;
  • ajudar o sistema imunológico a cumprir seu papel
  • facilitar a síntese de vitaminas.

Nas últimas décadas, descobriu-se que a microbiota intestinal, quando desequilibrada, é capaz de influenciar diretamente o peso de uma pessoa (para saber mais, clique aqui).
Isso acontece, principalmente, porque ela atua em nosso metabolismo e, consequentemente, em aspectos fundamentais da nossa alimentação como: sensação de fome e saciedade, absorção e digestão de nutrientes, regulação dos níveis de insulina e armazenamento eficaz e controlado de gorduras.
Então, para fazer com que todas essas funções do nosso corpo funcionem corretamente, é preciso manter nossa microbiota saudável e bem-alimentada. Para isso, basta adicionar à dieta da família os famosos pre e probióticos. Os mais comuns são: kombucha, iogurte, kefir (probióticos), banana, grãos e leguminosas (prebióticos).

3. Incentive bons hábitos alimentares

O horário das refeições deve ser focado na alimentação, concorda? Pois é. Mesmo assim, um dos costumes mais comuns entre as famílias é o de comer enquanto se assiste televisão ou mexe no celular.
Essa prática, apesar de interessante e divertida, só contribui ainda mais para a obesidade infantil. Afinal, ela tira a atenção da criança do que realmente importa, fazendo com que ela coma até mesmo mais do que o normal (porque não será capaz de notar que já está satisfeita).
Então, faça com que os horários de almoço e jantar sejam sagrados. Sente com toda família à mesa, conversem sobre o dia de cada um e aproveitem a refeição com bastante calma.

4. E, por fim, estimule exercícios físicos para toda a família

Uma das melhores formas de se combater a obesidade infantil, acredite, é combinando a alimentação infantil com os exercícios físicos. O ideal é que todos da família pratiquem alguma atividade por, pelo menos, 40 minutos por dia.
No caso de crianças, essa tarefa é ainda mais fácil. Deixe que elas brinquem de bola, façam aulas de artes marciais e esportes, brinquem de esconde-esconde, pulem corda e por aí vai. O principal é gastar energia e, claro, calorias!

Gostou do Texto? Para ler mais conteúdos como esse, fique de olho em nosso Blog e siga nossos perfis nas redes sociais (Facebook e Instagram)!

Pediatria

Deixar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *