Como o rosto envelhece e qual é a forma de lidar com ele?

Rosto de mulher com metade dele jovém e a outra metade com ele já envelhecido com rigas e cabelo grisalho para mostrar como o rosto envelhece

Dr. Fábio Gontijo

Envelhecer é um processo natural e, diga-se de passagem, emocionante. Afinal, ter a oportunidade de notar as mudanças que o tempo faz em cada um de nós é uma sorte que, infelizmente, nem todas as pessoas têm. Porém, isso não quer dizer que, no fundo, não existam alterações que gostaríamos que fossem mais lentas ou, pelo menos, mais discretas.

Acontece que, junto às experiências, realizações e aprendizados, vêm os tão temidos sinais da idade. Sim, estamos falando de rugas, linhas finas, perda de volume, flacidez e por aí vai.

Pensando nisso, resolvi bater um papo com vocês hoje sobre como o rosto envelhece. O motivo? Bem… quanto mais nós entendermos sobre as mudanças do nosso corpo, menos assustados ficamos com ela. Entender o que acontece com nossa pele é meio caminho andado para evitar os tão temidos “sinais do envelhecimento”.

Vamos lá?

Como o rosto envelhece?

Para entender melhor esse processo de envelhecimento, vou separar as mudanças por tópicos, combinado? Contudo, é importante lembrar que todas elas ocorrem simultaneamente.

1. Perda de volume (gordura)

Durante a juventude, as gorduras do rosto estão bem posicionadas e uniformemente distribuídas (chamamos esses compartimentos de “coxins”). Isso resulta em simetria, jovialidade, brilho e aspecto de saúde.

A má notícia é que, com a idade, esse volume diminui. Para completar, os coxins de gordura costumam se deslocar inferiormente. Os traços de uma pessoa, então, que eram arredondados e bem distribuídos, sofrem uma transformação.

Algumas áreas, antes volumosas, passam a ficar planas ou mesmo mais profundas (ex: região malar e olheiras). Com o deslocamento dos coxins de gordura, formam-se sulcos (ex: bigode chinês, ruga da marionete) e protuberâncias (ex: bochecha de buldogue).

Figura representativa de como os ossos e músculos mudam com o envelhecimento do rosto

2. Reabsorção óssea

Os ossos, ao longo de toda a vida, passam por um processo constante de remodelamento (reabsorção e produção de nova matriz óssea).

Durante a infância e adolescência, esse processo é rápido e, por isso, os ossos são tão fortes e densos. Porém, com o passar dos anos (especialmente a partir dos 35/40), essa renovação gradual do tecido ósseo se torna mais lenta, prevalecendo a reabsorção sobre a renovação. E o resultado? Perda de densidade da estrutura facial.

Os ossos da face que sofrem maior reabsorção e, consequentemente, mudanças mais proeminentes são os maxilares. A perda de projeção da região malar (bochecha) resulta em perda de sustentação da base do nariz e do lábio superior. A face média se alonga e fica mais funda, resultando na queda da ponta do nariz e do lábio superior e fazendo com que o queixo fique mais proeminente.

Figura ilustrativa de como os ossos mudam com o envelhecimento do rosto
Changes in the Facial Skeleton With Aging: Implications and Clinical Applications in Facial Rejuvenation. B. Mendelson, Chin-Ho Wong (Published 2012)

3. Envelhecimento da pele

O aspecto jovem da pele depende, basicamente, de três fatores: hidratação, firmeza e elasticidade. Para que eles sejam mantidos, é necessário que a produção de colágeno seja constante.

Porém, ao longo dos anos, a quantidade de colágeno na derme diminui progressivamente. Esse processo natural de envelhecimento, associado a agressores externos como o sol e o cigarro, por exemplo, resultam nas alterações tão temidas após os 40 anos: manchas, rugas e marcas de expressão.

Para manter uma pele de aspecto jovial por mais tempo, os cuidados devem começar desde cedo. Uma rotina de skin care associada a uma boa alimentação e hidratação adequada ao longo da vida são os primeiros passos. Outros cuidados, específicos para cada época da vida, você encontra aqui:

Com os cuidados certos, os sinais do tempo irão surgir mais tarde e de forma mais suave. E, quando isso acontecer, pequenas intervenções focais serão capazes de suavizar os sinais do tempo e manter a pele bonita e jovial.

Como reverter os sinais do envelhecimento?

Apesar de inevitável, a perda de volume resultante do remodelamento ósseo, reabsorção de gordura e o deslocamento inferior dos tecidos da face, pode ser minimizada com os tratamentos certos. Aí vão algumas boas opções:

E quando surgem os sinais de envelhecimento da pele, alguns tratamentos são essenciais:

Enfim…

É importante ter em mente que o envelhecimento é um processo natural. Todas essas mudanças fazem parte da vida e, portanto, devem ser vistas com respeito.

Porém, isso não quer dizer que não podemos fazer pequenas intervenções, aqui e ali, para tornar o processo mais suave. Recorrer a procedimentos estéticos para rejuvenescer o visual é um sinal de amor próprio e autocuidado. Então, é aquele esquema: respeite a sua história e, se quiser, torne-a ainda mais bela e inspiradora!

Um abraço, e até a próxima!

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.

Vinkmag ad

Dermatologia

Médico, especialista em dermatologia. Especialista em tratamentos dermatológicos cosmiátricos e em laser.

Post Relacionados

Deixar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *