Gato recebendo carinho na barriga no coloca da sua dona

Dra. Juliana Franzo

A microbiota intestinal é um conjunto de microrganismos (bactérias, fungos e vírus) que habitam o intestino dos seres humanos e dos animais. Ela é numerosa, diversificada e sua composição varia de acordo com o hospedeiro, influenciando diretamente a sua saúde.

O ecossistema altamente complexo do intestino participa de muitas funções do organismo. Seu desequilíbrio está relacionado ao aparecimento de doenças como alergias, diabetes, obesidade, condições autoimunes, doenças cardiovasculares, demência e câncer.

A microbiota participa do processo de digestão e absorção de nutrientes da dieta e da produção de energia para células da mucosa intestinal. Também tem papel regulador da motilidade intestinal, participa da estimulação e modulação do sistema imunológico e interfere em funções hormonais e neurológicas.

A microbiota intestinal e o sistema imunológico

O intestino é revestido internamente por uma camada mucosa que serve de barreira entre o que está dentro dele e as células de sua parede. Neste local, tudo que ingerimos é analisado e catalogado antes de conseguir entrar ou não no organismo através da parede do intestino.

Em uma situação de desequilíbrio da microbiota, esta camada é rompida e os microorganismos e toxinas entram em contato com as células intestinais. Elas reagem estimulando o sistema imunológico a iniciar os mecanismos de defesa do organismo, iniciando uma inflamação local que causa lesão das células e formação de pontos de vazamento (intestino permeável).

Além da lesão física da barreira, ocorre também uma alteração na sua função protetora e ela passa a reagir excessivamente a todas as partículas com as quais entra em contato, mesmo que sejam alimentos e substâncias inócuas. A inflamação, que antes era localizada ao intestino, se propaga para todo o organismo, tornando-se crônica e persistente.

Estudos demonstram que este estado inflamatório está relacionado ao desenvolvimento de várias doenças.

Sistema neurológico e comportamental

O intestino possui uma rede tão rica de células nervosas que costuma ser chamado de “segundo cérebro”.

O sistema nervoso entérico, como é chamado, possui mais de 100 milhões de neurônios e se comunica diretamente com o cérebro e o sistema nervoso central, influenciando diretamente o estado emocional do indivíduo.

Hoje se sabe que mais de 90% da serotonina, conhecida como o hormônio da felicidade, é produzida no intestino. Além de influenciar o humor, a serotonina também regula o funcionamento do trato gastrointestinal.

A maior parte da serotonina é produzida em células endócrinas na parede intestinal. Algumas espécies de bactérias da microbiota participam da estimulação destas células.

Em um estudo feito com ratos infectados com Toxoplasma gondii, descobriu-se que eles passam a ser atraídos pelo odor da urina dos gatos, o que os colocaria em situação de perigo frente ao seu predador. Após o restabelecimento de uma microbiota saudável, os ratos voltaram a ter o comportamento cauteloso, mantendo-se longe dos gatos.

Esse experimento, dentre outros, demonstra que a microbiota intestinal pode agir no comportamento e no sistema neurológico.

Controle de peso

A microbiota intestinal dos adultos possui milhares de espécies de microrganismos. Entre eles, destacam-se os Bacteroidetes e os Firmicutes.

A ingestão de calorias em excesso, provindas de uma dieta rica em carboidratos simples e gorduras saturadas, promove a proliferação de Firmicutes, que aumentam a absorção e melhoram a eficiência com que o organismo armazena energia, o que culmina no ganho de peso.

Por outro lado, bactérias como Bifidobacterium, Clostridium e Bacteroides têm sido relacionada a uma melhora do metabolismo, do sistema imune, da resistência ao câncer, da sinalização endócrina e da função cerebral. A flora intestinal de humanos e de animais pode ser alterada através da dieta.

O animal obeso possui um desequilíbrio da microbiota (disbiose) que leva também a alterações na resposta à insulina e aos hormônios que indicam saciedade.

São muitas as funções das bactérias intestinais e sua participação nos processos endócrinos e metabólicos do organismo. Cultivando uma microbiota saudável, podemos modular a saúde dos nossos pets.

Gostou do texto? Para conhecer alguns alimentos e suplementos que melhoram a microbiota intestinal, leia nosso artigo sobre “Probióticos e seus benefícios para pets”.

Quer ler mais conteúdos como esse? Fique de olho em nosso Blog e siga nossos perfis nas redes sociais (Facebook e Instagram)!