Grupo de pessoas limpando um parque. No canto superior, uma figura de um mosquito da dengue com um círculo vermelho cortado para simbolizar o combate ao mosquito Aedes aegypti

Dra. Adriana Bonfioli

Você sabia que os mosquitos, além de irritantes, podem representar um problema à saúde? Além de causarem desconforto, as picadas desses insetos podem transmitir infecções graves para você e sua família como, por exemplo, a dengue, a febre amarela e a leishmaniose.

A incidência de doenças transmitidas por mosquitos tem aumentado em todo o mundo. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), as infecções transmitidas por vetores (mosquitos, moscas, carrapato, pulgas etc) representam cerca de 17% de todas as doenças infecciosas e causam mais de 700 mil mortes anualmente.

A prevenção contra as picadas e a redução do número de mosquitos nas regiões urbanas contribuem, e muito, para reduzir a incidência dessas doenças. Bem, é sobre isso que vamos falar hoje!

O que são esses mosquitos?

Os mosquitos são pequenos insetos voadores, entre os quais apenas as fêmeas são hematófagas. Elas têm uma espécie de “bico”, que é alongado e consegue penetrar na pele e sugar o sangue.

Na verdade, falamos muito em mosquitos, mas você sabia que existem vários tipos de insetos hematófagos? Os mosquitos propriamente ditos (pernilongos, muriçocas) pertencem à família Culicidae. Os principais transmissores de doença pertencem aos gêneros Aedes, Anopheles e Culex.

Já o mosquito-palha, transmissor da leishmaniose, é um flebotomíneo. As principais diferenças entre eles são o tamanho (o mosquito-palha é muito menor que o Aedes) e os locais de reprodução: enquanto os pernilongos se reproduzem em água parada, o mosquito-palha prefere solos úmidos com restos vegetais.

Como combater os mosquitos no ambiente

A melhor maneira de combatê-los, sem dúvida, é impedir que eles se reproduzam. Confira algumas medidas:

1. Evitar acúmulo de lixo em casa

Acumular lixo é como fazer um criadouro para os mosquitos, já que eles precisam de água para que os ovos possam eclodir.

2. Tenha atenção aos objetos que possam acumular água

Não somente o lixo pode ser um criadouro, como também os próprios objetos presentes em nossa casa. Por isso, siga as dicas a seguir:

  • coloque areia nos vasos das plantas;
  • cubra as caixas d’água;
  • mantenha as calhas sempre limpas;
  • deixe garrafas viradas com a boca para baixo;
  • guarde pneus em locais cobertos;
  • mantenha as lixeiras tampadas;
  • retire a água acumulada atrás da máquina de lavar roupa, geladeira e aparelhos de ar condicionado;
  • estique as lonas utilizadas para cobrir objetos;
  • higienize a piscina e os ralos regularmente;
  • dê atenção a bromélias e outras plantas que acumulam água;
  • limpe aquários e vasilhas de água dos pets com frequência, usando água, bucha e sabão.

IMPORTANTE: A água sanitária pode ser utilizada no combate às larvas do mosquito, porém NUNCA em recipientes que armazenam água para consumo humano ou de animais. Use o produto apenas nos locais e nas quantidades indicadas abaixo:

  • vasos sanitários (1 colher de sopa);
  • caixa de descarga (2 colheres de sopa);
  • ralos externos (1 colher de sopa);
  • plantas que acumulam água (1 colher de café por litro de água e preencher as plantas).

Medidas de proteção individual e familiar

1. Utilize roupas como uma barreira de proteção

Blusas com mangas compridas e calças dificultam o acesso dos mosquitos à pele. É possível, ainda, pulverizar as roupas com repelente de insetos, o que pode ajudar e aumentar a eficácia da cobertura.

2. Crie obstáculos entre os mosquitos e sua família

  • Permaneça dentro de casa nos horários de maior atividade do mosquito (período noturno);
  • utilize o ar condicionado ou proteja as janelas e entradas com telas finas;
  • coloque mosquiteiros em torno das camas e dos carrinhos de bebê.

3. Use repelentes de insetos

Os produtos que contêm N-dietil-meta-toluamida (DEET-N) são repelentes de insetos mais eficazes do mercado, mas só podem ser utilizados em crianças acima de 2 anos.

Apara conhecer as melhores opções de repelentes de insetos, leia:
Repelente infantil: como proteger o seu filho dos insetos corretamente?

Enfim…

Os mosquitos, assim como as doenças transmitidas por eles, são uma questão de saúde pública. Portanto, todas as medidas preventivas que citamos ao longo do texto devem ser seguidas à risca. Só assim conseguiremos aprimorar as estratégias de prevenção da nossa cidade e arredores.

Figura que mostra tudo que pode ser feito pelas pessoas para combater o mosquito da dengue
Fonte: http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/combate-ao-aedes

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.