Vista de baixo pra cima do rosto de uma mulher com um aparelho de cirurgia ocular à laser apontado para o seu olho

Dr. Henrique Vizibelli

Cirurgia refrativa é qualquer procedimento cirúrgico que corrige os erros de refração: miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia. Para isso, existem várias técnicas. Uma das mais conhecidas é a cirurgia refrativa a laser ou excimer laser.

Outras técnicas de cirurgia são: A SMILE, que utiliza o Laser de Femtossegundo; a facoemulsificação com implante de LIO, que é a retirada do cristalino com o implante de lente intraocular, e o implante de lente intraocular sem retirar o cristalino.

Quem pode fazer a cirurgia refrativa a laser?

Pessoas acima de 21 anos, portadoras de miopia, hipermetropia e astigmatismo, com grau estabilizado e exames normais, são bons candidatos à cirurgia refrativa. Em alguns casos especiais, podemos operar pacientes com menos de 21 anos.

É importante orientar o paciente sobre os possíveis resultados visuais e a forma com que podem interferir em sua vida pessoal e profissional.

São contra indicações relativas ao procedimento:

Todas estas contra indicações são relativas e devem ser avaliadas individualmente com o especialista.

  • córnea fina;
  • doenças reumatológicas;
  • diabetes;
  • olho seco;
  • glaucoma;
  • doenças retinianas;
  • descolamento de retina prévio ou pré disposição.

Exames necessários no pré-operatório

Na avaliação de um candidato à cirurgia refrativa a laser, deve ser realizada uma consulta oftalmológica completa e alguns exames complementares. Os principais são:

  • Paquimetria: medida da espessura da córnea;
  • Topografia corneana: determina as curvaturas anteriores da córnea e seu relevo;
  • Tomografia de córnea: analisa as superfícies anterior e posterior da córnea e mapeia a espessura corneana ponto a ponto.

Técnicas cirúrgicas com uso do excimer laser:

  • LASIK: nesta técnica, o cirurgião faz um corte transversal na córnea criando um flap. Após o levantamento do flap, aplica-se o laser seguindo os parâmetros programados. O olho é irrigado e o flap é reposicionado, terminando a cirurgia. A confecção do Flap pode ser realizada com lâmina ou laser de femtossegundo.
  • PRK: neste procedimento, o epitélio da córnea é removido. O laser é aplicado diretamente e coloca-se uma lente de contato para proteção do olho no pós operatório.

Complicações da cirurgia refrativa com excimer laser

Apesar de raras, podem ocorrer:

  • olho seco transitório: a cirurgia refrativa a laser reduz a sensibilidade da córnea e a produção de lágrima. É necessário usar lubrificantes durante, pelo menos, 6 meses após o procedimento;
  • presença durante a noite de halos em torno das luzes que podem persistir por semanas ou meses;
  • grau residual: a cirurgia pode corrigir menos ou mais que o necessário, resultando em pequenos graus de miopia, hipermetropia ou astigmatismo no pós operatório. Nem sempre esse grau residual provoca baixa de visão e, mesmo com ele, o paciente fica independente dos óculos e das lentes de contato .

Se você tem vontade de ficar livre dos óculos ou das lentes de contato, consulte um oftalmologista para descobrir se a cirurgia refrativa a laser é indicada no seu caso.

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.