Médicos realizando uma cirurgia bariátrica

Dr. Bruno Parreira de Melo

A cirurgia bariátrica é um procedimento que promove a perda de peso por meio de modificações no sistema digestivo como, por exemplo, a redução do tamanho do estômago (associada ou não ao desvio intestinal).

A indicação principal é a obesidade grave, quando o paciente não consegue perder peso por meio de dieta, mudanças do estilo de vida e/ou medicação. Nesses casos, são comuns complicações como hipertensão arterial, diabetes tipo 2 e apneia do sono, todos relacionados ao excesso de peso.

Por meio da cirurgia bariátrica, o paciente pode conquistar o peso ideal, melhorar a saúde e a qualidade de vida. Porém, para mantê-los, é preciso realizar uma série de mudanças nos hábitos alimentares e se comprometer com as atividades físicas.

Indicações para a cirurgia bariátrica

A cirurgia bariátrica está indicada para pacientes com obesidade há mais de 5 anos que tentam perder peso, sem sucesso, por pelo menos 2 anos, e apresentam:

  • IMC maior ou igual a 35 kg/ m2 associado a doenças causadas ou agravadas pela obesidade (diabetes, apnéia do sono, hipertensão arterial, dislipidemia, doença coronariana, doenças articulares, etc).
  • IMC maior ou igual a 40 kg/ m2; com ou sem doenças associadas( comorbidades)

Tipos de cirurgia bariátrica

Bypass gástrico

O bypass gástrico (ou gastroplastia com desvio intestinal em “Y de Roux”) é o tipo de procedimento mais realizado atualmente, principalmente devido a sua segurança e eficácia.

Nessa técnica, é feita a redução do estômago por meio do grampeamento da parte superior deste, que é separada do restante do órgão. Além disso, é feito um desvio do intestino delgado que passa a levar o alimento do estômago diretamente às alças intestinais mais distantes.

Figura indicando alguns órgãos do sistema digestivo humano

Esse tipo de cirurgia promove o emagrecimento por:

  • reduzir a capacidade de ingestão de alimentos do paciente;
  • reduzir a absorção de nutrientes;
  • promover o aumento da produção de hormônios que promovem a saciedade.

Cirurgia de Sleeve ou gastrectomia vertical

A cirurgia de Sleeve (gastrectomia vertical ou em “manga de camisa”) remove cerca de 80% do estômago, reduzindo-o a um tubo com volume limitado. A perda de peso com essa técnica ocorre por:

  • reduzir a capacidade de ingestão dos alimentos;
  • promover o aumento da produção de hormônios que promovem a saciedade.

Os resultados são comparáveis ao bypass gástrico, porém, com a desvantagem de ser um procedimento não reversível. O risco dos pacientes voltarem a ganhar peso após o segundo ano da cirurgia é maior do que aqueles submetidos a técnica de bypass gástrico.

Figura representando a Cirurgia de Sleeve ou gastrectomia vertical, um dos tipos de cirurgia bariátrica

Switch duodenal

Essa técnica associa a gastrectomia vertical e o desvio do intestino. O estômago é reduzido como na cirurgia de Sleeve, limitando o consumo de alimentos. Além disso, o intestino é desviado como na cirurgia de bypass gástrico. Sendo assim, o alimento que sai do estômago é conduzido diretamente às porções mais distantes do intestino, reduzindo a absorção de nutrientes.

A porção desconectada do intestino, que carrega a bile e as enzimas pancreáticas, é reposicionada também na porção distal, onde o alimento e as enzimas digestivas se misturam.

Essa é a técnica que promove maior perda de peso. Porém, é mais complexa e, portanto, tem maiores riscos de complicações.

Figura indicando alguns órgãos do sistema digestivo humano e representando o Switch duodenal , uma das técnicas usadas na cirurgia bariátrica

Banda gástrica ajustável

Essa técnica usa um anel de silicone inflável instalado ao redor do estômago. Ela apenas restringe o consumo de alimentos, por isso a perda de peso é mais lenta e menor do que com as outras cirurgias. Além disso, são descritas complicações relacionadas à prótese.

Figura indicando alguns órgãos do sistema digestivo humano e representando a banda gástrica, uma das técnicas usadas na cirurgia bariátrica

Cirurgia aberta versus laparoscópica

Atualmente, a maioria das cirurgias bariátricas é realizada por meio da videolaparoscopia. Essa técnica evita o corte extenso da cirurgia aberta. Ao invés disso, são feitos pequenos orifícios no abdome e os instrumentos cirúrgicos são inseridos através deles.

Com a laparoscopia, a recuperação é mais rápida e a taxa de complicações menor.

Riscos da cirurgia bariátrica

Como todo procedimento cirúrgico, a bariátrica tem os seus riscos, sendo os mais comuns:

  • sangramento;
  • infecção;
  • trombose;
  • fístulas gastrointestinais;
  • obstrução intestinal;
  • hérnia;
  • úlcera;
  • refluxo gastroesofágico.

Além disso, a consequência mais frequente de uma cirurgia bariátrica é a má-nutrição. São comuns deficiências de nutrientes, especialmente de proteína, ferro, cálcio, folato, vitaminas lipossolúveis (A, D, E e K) e vitamina B12.

Perda de peso após a cirurgia bariátrica

A quantidade de peso perdida após a cirurgia bariátrica depende da técnica escolhida e de fatores individuais, incluindo o peso pré-operatório. Somente um médico especialista pode determinar qual a melhor opção de procedimento para cada caso.

Além disso, as mudanças de estilo de vida são determinantes na manutenção da perda de peso ao longo tempo. Por isso, cultive hábitos saudáveis, alimente-se bem e faça atividades físicas! A saúde resulta de pequenas escolhas realizadas diariamente.

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.