Câncer de mama: tratamento e prevenção

Médico segurando um laço símbolo do do outubro rosa, campanha mundial de conscientização da prevenção de diagnóstico precoce do câncer de mama.

Se você foi diagnosticado com câncer de mama, é importante que você converse com seu mastologista e discuta sua proposta de tratamento, esclarecendo todas as dúvidas. Há várias opções. E é sobre elas que vamos falar!

1. Tratamento locorregional

O tratamento locorregional compreende o tratamento cirúrgico realizado na mama e axila.

O tipo de cirurgia escolhido varia de acordo com a situação do paciente e do estadiamento do câncer. O objetivos são:

  • remover o máximo possível do tumor;
  • descobrir se o câncer se espalhou;
  • reconstruir a forma da mama após a remoção do tumor.

Existem dois tipos principais de procedimentos para remover o câncer de mama. São eles:

  • cirurgia conservadora da mama (quadrantectomia, setorectomia ou lumpectomia): remove o tumor com margens amplas. A quantidade de tecido retirada depende da localização e do tamanho do nódulo. Associa-se a este procedimento, geralmente, a biópsia de linfonodo sentinela ou o esvaziamento axilar.
  • mastectomia: é uma cirurgia que remove toda a mama. Pode, ainda, ser radical (em que são removidas a mama e a axila), simples (remove apenas a mama) ou subcutânea (em que são preservados o mamilo e aréola).

2. Tratamentos adjuvantes

São realizados após o tratamento cirúrgico: radioterapia, quimioterapia, hormonioterapia e imunoterapia. Quando aplicados antes do ato cirúrgico são chamados neoadjuvante.

Radioterapia

É um tratamento que utiliza raios (ou partículas) de alta energia para destruir as células cancerosas. Ela pode ser usada em várias situações como, por exemplo:

  • após a cirurgia conservadora, para ajudar a diminuir as chances de o câncer voltar;
  • após a mastectomia, especialmente se o tumor tiver mais do que 5 cm e/ou for encontrado em muitos gânglios linfáticos;
  • quando o câncer se espalhou para outras partes do corpo.

São os principais tipos de radioterapia:

  • externa (ou convencional) – é o tipo mais comum de radioterapia para o câncer de mama. Nela, doses fracionadas de radiação são direcionadas à região afetada pelo tumor. Normalmente, o paciente não sente nada durante o tratamento, mas sim alguns dias depois deste. Seus principais efeitos adversos incluem inchaço, fadiga e alterações na pele.
  • braquiterapia – também conhecida como radiação interna, a braquiterapia direciona feixes de radiação por meio de um dispositivo colocado dentro da mama, na região acometida pelo tumor.

Banner da campanha Outubro Rosa Awor Mulher. Na esquerda tem o escrito outubro rosa um toque de cuidado pode mudar toda a história. Ao centro, tem a imagem de uma mulher com a mão em cima de um dos seios fazendo o auto exame. Ao fundo, tem a logo da Awor com o Laço da campanha destacado. Na direita, tem a logo da Awor Mulher e o escrito Priorize sua saúde! Marque seus exames de rotina. Agendar agora.

3. Tratamento sistêmico

Utiliza medicamentos que conseguem atingir as células cancerosas em praticamente qualquer parte do corpo e destruí-las. Eles podem ser administrados por via oral ou intravenosa. Dependendo do tipo do câncer, podem ser usados os seguintes tipos de tratamentos sistêmicos:

  • quimioterapia – utiliza medicamentos como as antraciclinas, taxanos, capecitabinas, ciclofosfamidas, carboplatinas e outros.Seus principais tipos são a adjuvante (administrada após a cirurgia de remoção do tumor), a neoadjuvante (administrada antes da cirurgia) e a avançada (utilizada quando o câncer se espalhou para outra parte do corpo).
    Por fim, o paciente que se submete à quimioterapia pode sentir efeitos colaterais como queda de cabelos, perda de apetite, náusea e/ou vômito, fadiga, entre outros. Tudo depende da medicação utilizada.
  • Terapia hormonal – alguns tipos de câncer de mama têm seu crescimento estimulado por hormônios como o estrogênio e a progesterona. A terapia hormonal utiliza medicamentos como o tamoxifeno e o anastrozol para bloquear essa ação. Os efeitos colaterais mais comuns desse tratamento são as ondas de calor e a secura vaginal.
  • Terapia direcionada (anti-HER)- utilizada em pacientes que apresentam o marcador tumoral HER-2. Os medicamentos, nesse caso, atacam especificamente as células cancerosas. São alguns exemplos: Herceptin®, Perjeta®, Kadcyla®. Seus efeitos colaterais dependem das drogas utilizadas.
  • Imunoterapia – usa medicamentos para estimular o sistema imunológico do paciente a reconhecer e destruir as células cancerosas do corpo de forma eficaz. Seus efeitos colaterais podem incluir fadiga, tosse, náusea, perda de apetite, constipação e diarreia.

E, por fim: o câncer de mama pode ser prevenido?

A prevenção do câncer de mama envolve três níveis: primário, secundário e terciário.

A prevenção primária depende do próprio paciente e exige sua compreensão e empenho. O que se deve fazer:

A prevenção secundária abrange o diagnóstico precoce da doença e é feita principalmente por meio da mamografia. Portanto, não deixe de fazer seu check up periódico.

Para mulheres com risco aumentado para o câncer de mama

Se você tem um risco aumentado para o câncer de mama (como, por exemplo, possuir um forte histórico familiar da doença ou uma mutação nos genes BRCA1 ou BRCA2), existem algumas coisas que podem ser feitas para ajudar a diminuir suas chances de desenvolvê-lo. São elas:

  • aconselhamento genético e teste para risco de câncer de mama;
  • autoexame frequente e regular das mamas, à procura dos sinais precoces da doença;
  • vigilância rigorosa através da realização de mamografia, ultrassonografia e, eventualmente, ressonância das mamas;
  • uso de medicamentos para diminuir o risco de câncer de mama (somente com prescrição e orientações médicas);
  • cirurgia preventiva (mastectomia profilática ou remoção dos ovários, principais fontes de estrogênio no corpo).

No mais, cuide-se, informe-se BASTANTE sobre o assunto, observe bem as suas mamas e mantenha as consultas de rotina em dia!

 

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.

Mastologia

Deixar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *