Câncer de colo de útero: causas, sintomas e tratamento

Mulher vestindo roupas íntimas com as mão formando um círculo na região do útero. Representação do câncer de colo de útero.

O câncer de colo de útero (ou cervical) acontece quando as células deste órgão sofrem uma mutação e começam a se multiplicar descontroladamente. Forma-se inicialmente uma lesão precursora do câncer de colo que, se não tratada, irá evoluir para a malignidade.

A maioria dos casos de câncer de colo de útero está associada à infecção pelo papilomavírus humano (HPV), que é altamente prevalente na população sexualmente ativa.

As mulheres que desenvolvem infecção persistente por HPV do tipo 16 têm cerca de 5% de risco de desenvolverem o câncer de colo em três anos e 20% de risco em dez anos. Em 2020, tivemos 16.590 novos casos de câncer de colo uterino diagnosticados no Brasil.

Figura representativa do câncer de colo de útero. Linhas indicam o útero, o colo e a vagina e uma seta aponta para a vista superior na qual está o câncer.

Causas do câncer de colo de útero

O câncer resulta do crescimento descontrolado de células que sofreram uma mutação genética. No caso do câncer de colo de útero, isso é geralmente causado pelo Papilomavírus (HPV), um vírus transmitido sexualmente .

Alguns fatores de risco podem aumentar a probabilidade de se desenvolver câncer cervical. São eles:

  • múltiplos parcerias sexuais sem uso de preservativo;
  • tabagismo (aumenta o risco não só para o câncer de colo de útero, assim como de outros tipos como de pulmão e garganta);
  • doenças que causam deficiência do sistema imunológico (o risco de câncer cervical é maior para pessoas com HIV ou AIDS ou que se submeteram a um transplante, porque usam medicamentos imunossupressores);
  • outras doenças sexualmente transmissíveis (clamídia, gonorreia e sífilis aumentam o risco de desenvolver câncer cervical).

Prevalência da infecção pelo HPV no Brasil

Em 2018, um estudo chamado POP-Brasil verificou a prevalência nacional de infecção pelo Papilomavírus (HPV). Os resultados mostraram que o vírus estava presente em 54,6% das mulheres e 51,8% dos homens brasileiros.

Ao lado da Organização Mundial da Saúde (OMS), a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) iniciou um esforço para realizar a vacinação contra HPV nas mulheres com até 45 anos.

No SUS a vacina está disponível para as meninas até os 15 anos de idade e, no caso de portadores de doenças imunossupressoras, até 45 anos. Outras mulheres são aconselhadas a receber a vacina na rede particular. Além da vacinação, é importante a realização de consultas ginecológicas de rotina, antes e após iniciar a atividade sexual.

Tipos de câncer cervical

Você sabia que existe mais de um tipo de câncer do colo de útero? São eles:

  • carcinoma de células escamosas: é o mais comum (encontrado em até 90% dos casos). Forma-se no revestimento do colo de útero;
  • adenocarcinoma: formado nas células que produzem muco;
  • carcinoma misto: apresenta características dos outros dois tipos.

Estágios do câncer

O câncer cervical tem quatro estágios:

  • Estágio 1: o tumor é pequeno e pode ter se espalhado para os gânglios linfáticos.
  • Estágio 2: o câncer é maior e pode ter se espalhado para fora do útero, ou para os gânglios linfáticos.
  • Estágio 3: o tumor se espalhou para a parte inferior da vagina ou pélvis. Pode, também, estar bloqueando os ureteres, tubos que transportam a urina dos rins para a bexiga. Não se espalhou para outras partes do corpo.
  • Estágio 4: o câncer pode ter se espalhado para fora da pélvis, em direção a órgãos como pulmões, ossos ou fígado.

Sintomas do câncer de colo de útero

Muitas mulheres não percebem que estão doentes na fase inicial da doença. O câncer de colo de útero provoca sintomas apenas em estágios avançados e estes podem ser confundidos com outras patologias.

Os sintomas mais comuns são:

  • sangramento incomum entre as menstruações, após relações sexuais ou após a menopausa;
  • corrimento vaginal com aparência ou cheiro diferente do normal;
  • dor pélvica;
  • necessidade de urinar com mais frequência;
  • dor ao urinar.

Tratamento

O câncer de colo de útero, quando diagnosticado precocemente, é bastante administrável. As quatro principais opções de tratamento, a depender da situação do paciente, são:

  • cirurgia;
  • radioterapia;
  • quimioterapia;
  • terapia direcionada.

Afinal: como prevenir o câncer de colo de útero?

Uma das maneiras mais simples de se prevenir o câncer cervical é manter os exames preventivos em dia, como o Papanicolau e o HPV HR (uma triagem que detecta células pré-cancerosas, para que possam ser tratadas antes de se transformarem em um tumor maligno).

 

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.

Ginecologia

Deixar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *