Gato filhote usando sua caixa de areia rosa

Dra. Adriana Bonfioli

Para muitos donos, a caixa de areia do gato pode vir a ser um pesadelo. Por isso, entender mais sobre esse assunto pode te ajudar a evitar alguns dos tão temidos problemas que podem surgir.

Além disso, escolher a areia ideal é fundamental para manter a saúde do seu bichinho. E aí, já sabe como lidar com a caixa de areia? Independentemente da resposta, acompanhe o nosso texto de hoje para entender tudo o que precisa sobre o tema!

Sobre a caixa de areia para gatos

A caixa de areia é o banheiro dos gatos. Eles vão utilizá-la para fazer xixi e cocô com uma frequência bem grande. Sendo assim, ela é uma parte bem importante da vida do seu bichinho.

Contudo, ela pode ser uma problemática para os cat lovers de plantão, por seu cheiro e necessidade de troca constante. A boa notícia é que existem formas de facilitar o uso da caixinha para os bichanos e, também, de tornar sua higienização mais eficiente e tranquila para os donos.

Atualmente, existe uma variedade impressionante de opções de areias para gatos no mercado. Decidir qual é a melhor para o seu felino pode ser um verdadeiro desafio. Para saber fazer essa escolha com propriedade, é só continuar conosco!

Tipos de areia higiênica:

Existem diversos tipos disponíveis no mercado. São tantas que é muito difícil escolher, não é? Há uma variedade nas texturas, aromas, qualidades e, claro, nos preços, o que dificulta muito a vida do dono.

Sendo assim, quem melhor para escolher e decidir a melhor do que o seu próprio gatinho? Presentemente, os tipos mais comuns e suas características são:

1. Argila de aglomeração

Geralmente feita de bentonita, é uma argila altamente absorvente que se transforma em aglomerados sólidos quando o gato urina, o que pode facilitar a coleta e a limpeza da caixa de areia.

As desvantagens dela são que seu tipo de resíduo libera muita poeira, não é biodegradável e também é muito pesada ao transportar.

2. Argila sem aglomeração

Esta variedade é feita de argilas que não a bentonita. Absorve a urina, mas não forma aglomerados, por isso é fácil deixar resquícios de lixo úmido para trás quando você a recolhe da caixa. Isso significa, também, que ela ficará malcheirosa e poderá exigir trocas mais frequentes do que a argila de aglomeração.

No entanto, a areia não-aglomeradora é, geralmente, mais barata que a aglomeradora, além de ser a preferida de alguns gatos.

3. Derivados biodegradáveis de madeira e pinho

Além da serragem e outros derivados de madeira, está disponível a areia derivada da maca do pinheiro. Ela é reciclada e geralmente feita a partir de pedaços de madeira tratados termicamente para remover toxinas, óleos e alérgenos da madeira.

Este tipo de produto é fornecido em pellets (pelotas), grânulos ou moídos. Pode ter um perfume de pinho, que auxilia no controle do odor. No entanto, deve ser substituída regularmente.

4. Papel

É feita de papel reciclado, que é transformado em pellets, que não formam aglomerados de urina, ou grânulos. O papel é livre de poeira, altamente absorvente e biodegradável.

5. Cristais de sílica em gel

São feitos de pequenas esferas de sílica gel semelhantes ao dessecante encontrado em bolsas, medicamentos e outros produtos. Nesse caso, elas previnem que eles sejam danificados pelo excesso de umidade.

6. Areia higiênica de cristal

É altamente absorvente, controla bem o odor e é quase livre de poeira. No entanto, geralmente é mais cara, apesar de durar mais tempo.

O lado negativo é que alguns gatos não gostam de pisar nos cristais por causa da sua textura, mesmo com diferentes tamanhos de grânulos. Além disso, eles podem ser perigosos se ingeridos em grandes quantidades, ou por período de tempo prolongado, o que pode acontecer quando os gatinhos limpam as patas se lambendo.

Muitos cristais também são infundidos com produtos químicos absorventes e amenizadores de odor. Esses produtos químicos não tiveram estudos de segurança concluídos. Portanto não é possível saber das implicações para a saúde dos gatos com o uso à longo prazo de produtos químicos sintéticos para atenuar o mau cheiro.

No entanto, as implicações negativas para a saúde dos seres humanos são conhecidas: elas afetam negativamente a saúde respiratória, endócrina e imunológica dos donos.

7. Materiais vegetais diversos (como pinho, milho, trigo, farinha de mandioca, casca de nozes, entre outros)

São biodegradáveis, absorventes e fornecem certo nível de controle de odor. Porém seu uso deve ser regulado e monitorado em função de que o gato lambe as patas e, consequentemente, a areia ali presente, e seu organismo não está adaptado para digerir e processar esses ingredientes.

Escolhendo a areia higiênica e a caixa ideal para o seu gato:

Os filhotes (com idade a partir de 4 semanas) já começam a usar uma caixa de areia se houver alguma disponível, e a maioria deles não precisa de “treinamento” formal para aprender a usá-la.

Curiosamente, estudos sobre os tipos de areia favorita para os gatos mostram que eles são bastante específicos sobre o tamanho das partículas. Embora exista uma grande variedade de produtos no mercado, muitos apresentam grânulos grandes, que não são atraentes para a maioria dos bichanos.

Além disso, os gatinhos geralmente não aprovam areias com aromas sintéticos ou aditivos de controle de odor. E, como dito anteriormente, os produtos químicos usados ​​para perfumar ou abrandar o mau odor não têm estudos de segurança disponíveis.

Confie no instinto do seu gatinho!

Os próprios gatos costumam ser capazes de selecionar qual o tipo ideal para seu uso, se incentivados a isso. Uma abordagem interessante é permitir que seu pet faça sua escolha de areia autonomamente.

Para isso, ofereça tipos diferentes de areia em caixas separadas, lado a lado, e observe qual ele costuma usar com mais frequência. Essa será a ideal para ele.

Dica: presentar opções de produtos ecológicos, reciclados ou sustentáveis e com baixa produção de poeira é ideal, e ​​pode ser uma boa alternativa.

Boa parte dos gatos é menos exigente com a caixa em si do que com a areia propriamente dita. Alguns se recusam a utilizar caixas cobertas, especialmente em casas com vários animais. Todavia, se isso parecer um problema para o seu gatinho, você pode simplesmente retirar a cobertura. Sua melhor aposta é uma caixa de areia fácil de higienizar, pois a limpeza dela é um componente crítico para garantir que seu gatinho a use (e somente ela).

Ele precisa conseguir entrar e sair confortavelmente da caixa e ela deve ser grande o suficiente para que ele possa se movimentar e virar enquanto estiver ali dentro. Uma caixa com laterais altas pode ser boa idéia desde que, independentemente da idade ou condição física do gato, ele possa facilmente se locomover por ela.

Sempre substitua a caixa de areia em intervalos regulares, pois como quase todas as caixas são de plástico, embora sejam mais baratas, leves e fáceis de limpar, há desvantagens, como o fato de serem arranhadas ou quebradas facilmente quando seu gatinho mistura a areia e suas garras afiadas raspam a caixa. Depois de um tempo, esses cortes atraem germes e odores que podem permanecer mesmo após a desinfecção.

Preparando a caixa adequadamente:

Depois de saber o tipo de areia higiênica preferida do seu gato, verifique se a caixa para o uso é profunda e grande o suficiente para que ele possa usá-la confortavelmente (recomenda-se no mínimo 10 centímetros). É importante adaptá-la para as necessidades do seu pet. Isso vai evitar que ele faça as necessidades em locais inapropriados.

Mantenha, sempre, um nível de cerca de 5 cm de areia na caixa. Em caso de possuir mais de um gato, não esqueça de verificar se você possui caixas suficientes para cada um deles. E sempre certifique-se de que as caixas estejam em locais adequados.

Para além, manter o banheiro do seu gato rigorosamente limpo ajudará bastante a evitar a aversão à caixa de areia e também auxilia no controle da higiene sanitária.

Problemas relacionados ao uso da caixa de areia:

Os gatos são animais muito ligados aos hábitos, então o primeiro sinal de uma doença ou distúrbio geralmente é a mudança de comportamento.

Caso o seu gatinho passe a se aliviar do lado de fora da caixa de areia, observe a qualidade do dejeto e marque uma consulta com seu veterinário para verificar a saúde do pet. Se não houver motivo médico para o comportamento, você pode tentar alternativas que o auxiliem a retornar para o uso da caixa.

Dicas valiosas para você seguir:

1. Certifique-se de que seu bichinho escolha a areia ideal para ele

Como dito anteriormente, a escolha da areia ser do pet é muito importante, pois ele é quem vai usá-la. Gatos, inclusive os filhotes, têm preferências individuais bem definidas, que se estendem ao tipo de areia que mais os favorece.

2. Escolha a caixa de areia adequada

Certifique-se de que seu bichinho se sinta seguro e confortável, assim ele ficará mais tranquilo e utilizará a caixa regularmente.

3. Posicione a caixa em um local adequado

Coloque a caixa de areia em um local tranquilo e, na medida do possível, privado. Afinal, os gatos se sentem mais vulneráveis ​​ao comer e excretar.

Os locais ideais para caixas de areia são aqueles que estão fora do caminho e longe de ambientes ou aparelhos barulhentos. Escolha lugares quentes e acolhedores da casa, mas que não sejam muito isolados, como o porão ou a garagem.

Sempre verifique se as caixas não estão perto de tigelas de comida e água.

4. Mantenha a caixa de areia extremamente limpa

Gatos (independentemente da idade) são criaturas muito meticulosas, e eles dependem de você para manter a higiene da caixa dentro dos padrões de limpeza que exigem.

Para se ter ideia, muitos gatos desenvolvem uma aversão à caixas de areia sujas. Especialmente se você usar produtos sem amenizadores de odor. portanto, você deve ser disciplinado, o que significa retirar todos os aglomerados de cocô e urina duas vezes por dia, no mínimo.

É importante, também, lavar o recipiente cuidadosamente para remover o máximo de odor possível, para que o seu gatinho não fique indisposto ao usá-lo.

Lembre-se: o segredo do sucesso para controlar o odor das caixas de gatos, para o benefício de todos os membros da família, incluindo o do seu gatinho, é manter a caixa de areia em bom estado.

5. Mantenha a quantidade certa de caixas para o número de gatos

Caso você tenha mais de um felino na família, pode vir a ser necessário adicionar mais caixas. Você vai perceber isso pelo uso e disputa de espaços que eles tiverem.

A recomendação é de uma caixa por gato e mais uma reserva.

6. Jamais castigue seu gato por fazer as necessidades fora da caixa de areia

Se o seu bichinho estiver com dificuldades para usar a caixa de areia, ou se você o flagrar prestes a excretar em outro lugar, pegue-o com gentileza e cuidado e coloque-o em sua caixa.

Se você encontrar uma sujeira que ele deixou, apenas limpe-a. Não levante a voz, nem grite e muito menos lide com ele agressivamente, ou esfregando o rosto dele no acidente. Você só vai assustá-lo, e ele não fará a conexão entre o erro e o seu comportamento, principalmente por ser uma criatura irracional. Tudo o que ele entende ao ser maltratado é que ele deve ter medo de você.

É comum que, em algum momento de suas vidas, gatos desenvolvam problemas usando a caixa de areia. Lembre-se disso à medida que seu bichano amadurece e, ao longo da vida dele, com o entendimento de que cabe a você, o ser racional, encontrar e resolver a causa.

Em suma…

Com tantas informações, com certeza agora você está mais preparado para cuidar do seu gatinho. Não é?

Mas não podemos esquecer que vários aspectos contornam a vida e a saúde dos nossos gatos. Não somente a caixinha de areia é um elemento fundamental, como também a atenção que damos a eles e, principalmente, uma alimentação e nutrição adequada. Saiba mais sobre isso clicando aqui.

Gostou do texto? Leia a nossa matéria “Demência em cães: sinais, diagnóstico e tratamentos” para mais informações sobre o mesmo assunto.

Visite a editoria Saúde do Animal e saiba como manter a saúde do seu melhor amigo. Nossos veterinários têm muito para contribuir. Acesse, também, nosso Facebook, Instagram e Twitter para ficar por dentro de tudo sobre o universo pet.