Cachorro e tutor ao ar livre interagindo demonstrando o bem estar canino

Jacqueline Lopes

Muito se fala, hoje em dia, sobre bem estar. Mas o que, realmente, quer dizer isso? Podemos dizer que a palavra ’bem estar’ traduz um estado de saúde plena, em que todas as exigências do corpo e da mente são atendidas. Ou, ainda, indica como o indivíduo se sente ao se adaptar ao ambiente e contexto em que vive.

O bem estar conta e faz diferença na vida de qualquer ser vivo, e com os cães não é diferente! Alguns pilares são fundamentais para estruturar uma rotina que promova felicidade e conforto a eles.

Os pilares do bem-estar canino

1. Relacionamento cão-tutor

O primeiro pilar do bem-estar canino, que define a base de toda a sua estrutura, é o relacionamento cão-tutor.

Ao contrário dos filhos humanos que, em algum momento de suas vidas, irão se tornar independentes, o cão não consegue viver sem o tutor. Na verdade, a qualidade dessa relação pode ser determinante para a saúde física e emocional dos nossos peludos.

Além de se preocupar com as necessidades básicas do animal, como água, comida, uma rotina de exercícios e estimulação mental, o tutor deve cultivar outro aspecto essencial para o bem estar: a independência emocional.

Como é impossível, para a maioria das pessoas, estar com seus cães o tempo todo, é muito importante ensinar a eles que ficar alguns momentos sem a companhia de um humano não é um problema.

Para tanto, é preciso que o cão seja habituado a tal situação, e que associações positivas sejam feitas, preferencialmente com seus alimentos e petiscos preferidos.

2. Ambiente

O segundo pilar que estrutura a rotina do bem-estar canino diz respeito ao manejo do ambiente.

Gerir o ambiente é importante tanto para que o cão não se machuque, quanto para que ele tenha acesso a recursos, principalmente nos momentos de independência de seus tutores.

Água, brinquedos de roer, cama confortável, conforto térmico, limitação de acesso a espaços da casa (em que poderia fazer suas necessidades fora do lugar), ou a móveis e objetos que possam ser destruídos, também fazem parte de uma boa gestão do ambiente.

Além disso, cuidar para que o espaço do animal não seja invadido é muito importante, e isso nos leva ao terceiro pilar da rotina estruturada, que é o passeio!

3. Passeio

Sim, passear é fundamental para a saúde física e mental de um cachorro. Cães são criaturinhas curiosas e exploradoras por natureza! Ter a oportunidade de expressar esses comportamentos por meio de uma investigação aguçada de pistas de odores pode ser o ponto alto do dia de um pet!

Por isso, todo tutor precisa priorizar um tempo para se dedicar a passear com seu cão. Um cachorro que não passeia diariamente não está experimentando o bem-estar em sua plenitude!

Contudo, o passeio deve ser um momento promotor de relaxamento, e não de estresse. Se ele não for bom para quem está nas duas pontas da guia, tem alguma coisa errada e pode ser necessária a ajuda de um profissional que trabalhe com comportamento canino positivamente.

O passeio é uma das estratégias – talvez a mais completa e que abrange mais tipos de enriquecimento ambiental. Aliás, eles são o quarto pilar da nossa rotina estruturada em busca de bem-estar canino…

4. Enriquecimento ambiental

O enriquecimento ambiental nada mais é que permitir que os cães expressem comportamentos naturais à sua espécie. Isso pode acontecer dentro das nossas casas e apartamentos, por meio de estratégias que promovam:

  • atividades através dos sentidos (tato, olfato, visão, audição e paladar);
  • integração ao contexto social em que o pet vive;
  • oportunidades de vivência e exploração do próprio ambiente doméstico;
  • treinos e brincadeiras feitos junto a seus tutores, onde os animais são desafiados a resolver problemas;
  • ressignificação da alimentação.

Um pouco mais sobre a alimentação

A maneira como a comida é oferecida ao cão pode ser uma oportunidade incrível para proporcionar bem-estar.

Pergunta: em que momento da evolução de um cão, ele se alimentou num pote? Só muito recentemente! Até ele vir pra dentro das nossas casas, ele comia o que caçava, o que revirava num lixo, os subprodutos das propriedades rurais etc.

O pote é uma invenção humana para facilitar as nossas vidas, principalmente no quesito higienização. Porém, para um cão, essa prática é o desperdício de uma super oportunidade de fazer o pet trabalhar para se alimentar, da mesma forma como ele evoluiu.

Podemos esconder o alimento ou petiscos pela casa, usar brinquedos de rechear, tabuleiros recreativos, comedouros lentos etc. São muitas outras estratégias criativas para transformar a refeição em um momento de estímulo e desafio mental!

5. Alimentação apropriada para cães

O quinto, e não menos importante pilar que garante que um cão estará vivenciando bem-estar, diz respeito ao tipo de alimentação.

Acredite: a ração não é um alimento bio-apropriado para os cães. Até a invenção de rações industrializadas, durante milênios, os cães evoluíram de seus ancestrais carnívoros, os lobos, caçando, abatendo e comendo suas presas.

Nunca, até a modernidade atual, um cão se alimentou de um produto alimentício tão diferente da sua alimentação ideal, e com tantos químicos adicionados para que durem um ano, em um saco, fora da geladeira.

Os cães e gatos são animais carnívoros e necessitam de proteína de origem animal, gordura de boa qualidade, pequena quantidade de vegetais e frutas e fontes naturais de minerais, vitaminas e ácidos graxos para se manterem saudáveis. Além disso, os alimentos devem ser frescos, úmidos e não processados.

Os animais que utilizam a alimentação natural têm melhor imunidade, menos alergias, apresentam pelagem brilhante e macia, não têm mau cheiro, são bem hidratados e têm mais vitalidade. Isso sim é bem estar de verdade!

Seu pet merece uma vida repleta de bem-estar!

Os níveis de prioridade desses pilares estão estrategicamente elencados nessa ordem porque tudo começa no relacionamento com seu cão, e no quanto você se dedica para fazer dessa relação a melhor possível para ambos.

Porém, vale ressaltar que a alimentação está longe de ser o pilar de menor importância! Ele é, apenas, o que requer mais comprometimento e dedicação do tutor. Afinal, não basta ofertar o resto da nossa comida. É preciso organizar-se para preparar as refeições e, por vezes, será necessário o acompanhamento de profissionais para implementar e manter esse novo estilo de vida.

Comece com o que é possível para você, hoje. Quando der um passo, planeje o seguinte. Toda mudança é difícil até se tornar um hábito!

pirâmide da hierarquia do bem-estar canino

Gostou do texto? Visite a editoria Saúde do Animal e saiba como manter a saúde do seu melhor amigo. Nossos veterinários e especialistas têm muito para contribuir. Acesse, também, nosso Facebook, Instagram e Twitter para ficar por dentro de tudo sobre o universo pet.